Porto Velho (RO) terça-feira, 17 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

3 milhões de gibis da Turma da Mônica vão estimular leitura entre crianças



Alana Gandra
Agência Brasil


Rio de Janeiro - Leitura aliada à brincadeira. Essa é a equação encontrada pelo Programa Mais Cultura,  criado no final do ano passado pelo Ministério da Cultura, que  prevê triplicar em 2009 o número previsto inicialmente para 2008  de 50 milhões de  crianças atendidas em 1.790 escolas. Hoje (10), a secretária de Articulação Institucional do MINC, Silvana Meireles, também coordenadora executiva do Mais Cultura,  recebeu  do grupo Maurício de Sousa Produções e da editora Globo 3 milhões de gibis da Turma da Mônica. A solenidade foi realizada na Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

As revistas, desenhadas pelo cartunista Maurício de Sousa, serão distribuídas a 5.360 bibliotecas públicas; 6 mil bibliotecas do Programa Arca das Letras, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, parceiro do Mais Cultura; 517 Pontos de Leitura; e 200 Pontinhos de Cultura em todo o país.
 
Maurício de Sousa salientou a necessidade de engajamento das pessoas em projetos como o Mais Cultura, que sirvam para  fazer com que o público leia mais, "que  chegue mais à cultura, ao conhecimento. Acho que isso devia fazer parte de todo mundo". Em seus gibis, nos quais retrata crianças brasileiras cujos traços e aventuras são inspirados em seus filhos e netos, Maurício de Sousa sempre procura inserir lições de moral e de cidadania.  "No meio da historinha, sempre tem alguma coisa a mais. É a mesma coisa que você estar contando uma história para o filho. Você coloca algum conselho, uma referência, uma lembrança sua que sente que vai fazer bem para quem está ouvindo a história".

As personagens criadas por Maurício de Sousa contribuem também para ampliar a exportação brasileira de cultura. Elas já estão presentes em  mais de 30 países, com destaque para a Mônica, que começa agora a conquistar o mercado chinês, por meio da alfabetização de 180 milhões de crianças, e Ronaldinho Gaúcho, cujos gibis são requisitados principalmente em  mercados considerados exóticos, revelou o cartunista. "O que interessa é que a gente consiga levar arte e cultura brasileiras para os outros países". A meta em 2009 é  exportar  para  Indonésia, Coréia, Itália, entre outros mercados.

2009 será também o clímax do programa Mais Cultura, disse Silvana Meireles à Agência Brasil. O Ministério da Cultura anunciou hoje os resultados dos editais nacionais do Mais Cultura, que envolvem 600 Pontos de Cultura e 200 Pontos de Ludicidade/Espaços de Brincar, que serão instalados no próximo ano em todo o território nacional, além de 410 bibliotecas modernizadas. "Boa parte das ações está sendo construída agora e ainda está no campo do invisível. Mas, no ano que vem, elas vão chegar de fato o nosso público,  que é um publico das classes C, D e E", informou a coordenadora-executiva do Mais Cultura.

Os kits  do Concurso Pontos de Leitura  têm valor de R$ 20 mil cada e incluem 500 livros, computador e mobiliário. Eles visam a criar locais que estimulem o hábito da leitura entre as pessoas. Já os Pontinhos de Cultura receberão prêmio de R$ 18 mil cada, para aperfeiçoamento  dos Espaços de Brincar.

O balanço do programa Mais Cultura é positivo, avaliou Meireles. O número de  Pontos de Cultura, que era de 800 em três anos, saltou em 2008 para 2.000, por meio do lançamento de 1.200 novos pontos no Brasil. O programa tem uma dotação orçamentária específica que totalizou este ano R$ 226 milhões, além de contrapartidas estaduais. Silvana Meireles acredita que a partir da posse dos novos gestores públicos municipais,  haverá também adesão das prefeituras ao programa. Para 2009, a dotação para o Mais Cultura deve ficar no mesmo patamar.

Silvana Meireles celebrou o gesto de Maurício de Sousa, que inaugurou outro tipo de parceria com o Mais Cultura, com a sociedade civil. Ela espera que esse exemplo possa ser seguido por outros  artistas e intelectuais, que passarão a ser "coadjuvantes do programa, que pretende atingir uma faixa da população que é muita desassistida e excluída, inclusive, da infra-estrutura institucional, como é o caso das bibliotecas".

Atualmente, o nível de leitura no Brasil ainda é baixo. Ele  atinge 1,8 livro lido por habitante ao ano, levando em conta que a faixa etária também foi  ampliada, afirmou Silvana Meireles. "Se comparado com a França, ou mesmo com a Colômbia, onde o índice é de 3,4 livros per capita/ano, ainda precisamos fazer muitas ações como essa, porque o gibi é uma maneira bela de você atrair crianças para o prazer da leitura".

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç