Porto Velho (RO) sexta-feira, 27 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Polícia

SISMEIRO DIZ QUE POBRE SÓ TEM JUSTIÇA 'MEIA-SOLA'



“A construção de uma sociedade livre, justa e solidária como pretendem o presidente Lula e o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, no que chamaram de” novo pacto republicano” passa, obrigatoriamente, por uma providência transcendental, embora de extrema simplicidade, que é o fortalecimento da Defensoria Pública. Sem isso, qualquer iniciativa será completamente inócua e a população carente continuará vivendo o drama de lhe ver destinada uma justiça apenas ilusória, uma justiça meia-sola”. 

O desabafo é do defensor público João Luiz Sismeiro de Oliveira, presidente da Associação dos Membros da Defensoria Pública de Rondônia - Amdepro, que ontem elogiou a postura dos ministros Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal e Marco Aurélio Mello, ex-presidente. Ambos classificaram de “urgente” a necessidade de melhoria da estrutura das defensorias públicas. Sismeiro insiste na realização de concurso público para a contratação de novos defensores, “tantos quantos foram necessários ao estabelecimento de uma relação de equilíbrio em relação ao Ministério Público”. 

Sismeiro diz que suas palavras podem chocar a erudição acadêmica do meio jurídico, mas a verdade é que o povo entende perfeitamente o que diz, especialmente porque convive com essa triste realidade. “No momento em que buscamos uma sociedade mais justa e solidária, temos que nos livrar da hipocrisia” – disse ele, para citar o exemplo de campanhas do Ministério da Saúde, tipo hanseníase tem cura, enquanto a população morre de lepra. “Não é possível permitir que o país continue dissimulando a realidade, com belos discursos e meias palavras, enquanto a população continua tendo acesso apenas a meia justiça” - disse. 

O presidente da Amdepro vai além, ao afirmar que o equilíbrio entre o estado acusador e o estado defensor há de contemplar igualmente a questão salarial: o defensor público tem que ganhar o mesmo que um promotor de justiça. Somente assim, segundo Sismeiro, o cidadão carente será defendido com igualdade de condições em relação à acusação. A carga de trabalho destinada aos poucos defensores, o salário aviltado em relação aos promotores de justiça e a destinação de causas a advogados sem vínculo com o estado, contratados como assessores dos defensores, tudo isso resulta no arremedo de justiça que é ofertado à população carente – disse ele. 

Sismeiro citou o ministro Marco Aurélio Mello, para quem é preciso melhorar o acesso do cidadão comum à Justiça. O ministro defendeu a ampliação dos quadros da Defensoria Pública e melhores salários para os profissionais que atuam em nome do cidadão comum, sem condições de contratar advogado. As defensorias estaduais estão sobrecarregadas e não conseguem dar conta da demanda. “Há uma falsa percepção das funções do Poder Judiciário. Se a Justiça é para os ricos é porque existem fragilidades no sistema que levam a essa situação e precisam ser sanadas” – disse o ministro. 

- Está na hora – continuou ele - de o Estado perceber que a assistência jurídica e judiciária para aquele que não pode contratar um advogado é uma garantia constitucional que tem que ser proporcionada pelo Estado. O Estado precisa estruturar devidamente as defensorias públicas, remunerando condignamente os integrantes, no mesmo nível da advocacia acusadora — que é exercida pelo Ministério Público — para ter-se um equilíbrio de armas entre as partes. 

O promotor é um advogado público feito para acusar. O defensor público também é um advogado público, mas para defender. O que verificamos, consideradas as carreiras? A realidade evidencia um certo descaso. Parece que o Estado está fazendo um favor ao cidadão. Não é favor, o Estado tem a obrigação de proporcionar àqueles que não podem contratar um advogado assistência jurídica e judiciária. Isso está no rol das garantias constitucionais, no rol das garantias do artigo cinco da Constituição – concluiu o ministro.

Fonte: Carlos Henrique

Mais Sobre Polícia

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

O 5º Batalhão de Polícia Militar de Rondônia (5º BPM – Batalhão Belmont) realiza, nesta sexta-feira (23), às 19h, a formatura militar alusiva ao seu

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Na manha de hoje (21), a Polícia Rodoviária Federal participou da Operação Arinna, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime O