Porto Velho (RO) sexta-feira, 4 de dezembro de 2020
×
Gente de Opinião

Polícia

RO recbe três membros de PGC de Santa Catarina


Sâmia Frantz
Zero Hora

A megaoperação começou ainda na madrugada de quinta-feira, com a retirada de dois homens do presídio de Chapecó. Na sexta, outros nove saíram de penitenciárias de Joinville, Itajaí e Blumenau. O grupo foi levado para a Capital, onde aguardou a transferência oficial no presídio que fica no Bairro Trindade. Neste sábado, foi a vez das duas maiores operações de transferência marcarem a madrugada, finalizando as transferências de presos do PGC.

A primeira delas, em Criciúma, retirou sete bandidos. Em São Pedro de Alcântara, considerada a operação de maior risco, foi levado o maior número de homens: 22. Transportados em furgões da Deap, os presos foram escoltados pela rodovia por um forte aparato policial: cerca de 10 viaturas cada um. De lá foram direto para a Base Aérea da Capital. A chegada ao local ocorreu com 20 minutos de diferença, por volta de 6h15min. Poucos minutos antes, o comboio que partira da Penitenciária da Trindade já chegava ao local.

De lá, todo o grupo embarcou em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), que decolaria por volta das 9h. Antes disso, todos passaram por exames físicos e de corpo de delito feito por agentes do IGP. O procedimento é necessário para marcar a transferência dos presos do sistema estadual para o federal. No mesmo horário, outra aeronave da FAB decolou com tropas da Força Nacional de Segurança, para garantir a segurança da operação na chegada aos outros Estados. Do total de presos, 37 foram levados para o presídio de Mossoró (RN) e os outros três para Porto Velho (RO).

Entre os transferidos está o traficante Rodrigo de Oliveira (conhecido como Rodrigo da Pedra), que estava detido em Criciúma. A lista com os demais nomes só será divulgada a partir de segunda-feira, porque depende do aviso prévio às famílias e de autorização judicial. Todas as transferências, segundo o diretor do Deap, Leandro Lima, foram tranquilas e sem tentativas ou princípios de rebelião.

— Organizamos toda a operação para a madrugada pela facilidade de deslocamento nas rodovias, que têm pouco movimento. Não há qualquer relação com a rotina dos presídios ou algo assim. E mesmo assim não houve rebeliões — explicou.

Também no sábado, ao mesmo tempo em que eram organizadas as transferências, a Polícia Civil desencadeou uma grande operação no Estado para prender cem pessoas. Até as 9h, já havia detido 23.

Em Joinville e Blumenau, soldados da Força Nacional também entraram nos presídios, levando à suspensão das visitas.

Apesar da grande mobilização, quatro novos ataques, desde a noite de sexta, elevaram para 105 o número de atentados desde o início da nova onda de violência em Santa Catarina, no dia 30 de janeiro.

Mais Sobre Polícia

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

O 5º Batalhão de Polícia Militar de Rondônia (5º BPM – Batalhão Belmont) realiza, nesta sexta-feira (23), às 19h, a formatura militar alusiva ao seu

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Na manha de hoje (21), a Polícia Rodoviária Federal participou da Operação Arinna, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime O