Porto Velho (RO) sábado, 21 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Polícia

OPERAÇÃO LEÃO DE FOGO: Quadrilha fraudava 6 milhões de litros de combustível



Brasília / Maceió, 24/11/2010 – A Polícia Rodoviária Federal, em conjunto com o Ministério Público Estadual, a Secretaria de Fazenda, e a Justiça Estadual de Alagoas, concluiu às 14h desta quarta-feira (25) a Operação Leão de Fogo. Na ação, que envolveu 150 PRFs de 14 Estados, foram cumpridos 31 mandados de busca e apreensão e 15 pessoas acabaram presas.

Divididos em quarenta equipes, os PRF amanheceram em 12 munícipios alagoanos, como Arapiraca, Pilar, União dos Palmares, Atalaia, Barra de São Miguel, além de Maceió. Nestas localidades, empresários, caminhoneiros e funcionários de postos de abastecimento operavam um amplo esquema de sonegação fiscal e adulteração de combustíveis. De acordo com as investigações, os acusados fraudavam mais de 6 milhões de litros de álcool por ano. Em algumas situações, caminhões de combustível circulavam pelas rodovias com notas fiscais adulteradas, ou simplesmente fugiam da fiscalização.

“Transportadores de combustível entravam até cinco vezes em Alagoas, sempre apresentando a mesma nota fiscal. Em outros casos, cargas de álcool-combustível saíam das usinas de cana-de-açúcar com destino a fábricas de aguardente, mas eram desviadas para distribuidoras e postos de abastacimento”, afirma o inspetor Moisés Dionísio, chefe da Divisão de Combate ao Crime da PRF.

A sociedade teve papel decisivo para o início dos trabalhos que culminaram na ação desta quarta-feira. Após as operações Paracelso e Golfo Pérsico, realizadas pela PRF em 2008 e 2009, respectivamente, os telefones de contato da Polícia Rodoviária Federal em Alagoas passaram a receber denúncias frequentes sobre adulteração de combustível. A partir destas informações, a PRF providenciou o levamentamento de dados e solicitou apoio da Secretaria da Fazenda de Alagoas. Em dois anos de apuração, não só foi comprovado o teor das suspeitas como também a ousadia da quadrilha.

Empresários construíram verdadeiras fortalezas que garantiam a camuflagem da adulteração. Pátios de transbordo protegidos por muros de três metros de altura, casamatas para a proteção de vigilantes, tanques de combustível escondidos em terrenos de difícil acesso davam toque profissional ao esquema fraudulento. De acordo com a Secretaria de Fazenda de Alagoas, os cofres públicos podem ter perdido R$ 10 milhões mensais com a sonegação de impostos.

Os presos na Operação Leão de Fogo responderão por sonegação fiscal, falsificação de documentos públicos, formação de quadrilha e adulteração de combustíveis. Todos foram apresentados à Polícia Civil de Alagoas e agora ficam à disposição da justiça estadual.

Fonte: Departamento de Polícia Rodoviária Federal

Mais Sobre Polícia

Policiais morrem mais através de suicídio do que em confronto com crime

Policiais morrem mais através de suicídio do que em confronto com crime

A 13ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública registra exposição à violência fatal a que os policiais brasileiros estão sujeitos. Em 2018, 3

Operação Carrossel - Hildon Chaves rejeita as acusações que resultaram em mais uma operação da PF

Operação Carrossel - Hildon Chaves rejeita as acusações que resultaram em mais uma operação da PF

Durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta quarta-feira (4/9), o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, refutou todas as acusações e sus

Deputada Rosângela Donadon teve celular e redes sociais invadidas

Deputada Rosângela Donadon teve celular e redes sociais invadidas

A deputada estadual Rosângela Donadon (PDT) informa que, a exemplo de outros parlamentares, também teve o celular clonado e criminosos utilizaram su

Nota Oficial - Sobre clonagens das linhas de celulares dos deputados estaduais

Nota Oficial - Sobre clonagens das linhas de celulares dos deputados estaduais

A Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia vem a público informar que as linhas celulares funcionais de alguns deputados estaduais foram clonada