Porto Velho (RO) sexta-feira, 27 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Polícia

MPRO DENUNCIA 37 PESSOAS PELAS MORTES DE 12 DETENTOS NO URSO BRANCO


 

O Ministério Público de Rondônia, por meio da 18ª Promotoria de Justiça, denunciou 37 pessoas por homicídio duplamente qualificado pelas mortes de 12 detentos, ocorridas durante a rebelião no presídio José Mário Alves, o Urso Branco, no período de 18 a 23 de abril de 2004.

Os homicídios descritos na denúncia do Ministério Público foram praticados com selvageria e desumanidade, tendo como base lista elaborada pelos líderes da rebelião, determinando quem deveria ser executado. Com as mortes, os rebelados pretendiam ter reivindicações atendidas, sendo algumas delas a mudança na direção do presídio, a transferência de determinados presos e melhores condições de vida carcerária.

Segundo o apurado, os algozes imobilizavam os presos, golpeavam-nos com chuços, que são instrumentos perfurantes artesanais, mediante emprego de meio cruel, causando intenso sofrimento, não lhes dando chance de defesa.

O Ministério Público de Rondônia denunciou pela morte de 12 vítimas e pela tentativa de homicídio de outras três, os líderes da rebelião Ronaldo Jesus da Silva ou Ronaldo de Jesus da Silva, vulgo Bebezão, Márcio Viana da Silva, vulgo Pilha, Erisson Pereira Barros, Adelzimar de Abreu Lima, Sérgio Roberto Diniz, Raimundo Batista Valente, Paulo Ricardo Pereira, Edson Cavalcante da Silva, Péricles Dias Gomes, Jorge Quirino Barbosa, Rubson da Silva Furtado, Francisco Xavier Pinheiro, Lucivaldo Guedes de Oliveira, Jair Rocha de Matos Sousa, Antônio Carlos Santos Ferreira, Claldeilton Fernandes Pantoja, José Cícero de Almeida, Moacir dos Anjos Ferreira ou Maicon Borges Ferreira e Márcio Barros Filho.

Conforme a denúncia, independentemente de terem sido identificados como participantes diretos ou indiretos de alguns homicídios ou tentativas de homicídios, são coautores de todos os crimes decorrentes da rebelião, já que, na qualidade de líderes, detinham o domínio organizacional do fato. Planejaram, organizaram e dividiram funções, participaram funcionalmente da execução dos crimes, tendo o domínio da vontade dos outros detentos, determinando, inclusive, quais seriam as vítimas, visando o atendimento de suas reivindicações.

Os demais presos estão sendo denunciados também por homicídio duplamente qualificado pelas mortes em que tiveram participação ou autoria. São eles: José Raimundo de Jesus dos Santos, Jocta Rocha dos Santos, Alexandro José de Oliveira Nascimento, Genival Batista de Oliveira, Rogério da Silva Coelho ou Marcelo da Silva Coelho, Samuel Cavalcante Carvalho, Raimundo Moreira Matos, Eduardo Mariano Dias, Marcos Farias Carlos, Ronaldo Ramos Saraiva, Jeferson Rubens Vieira, Marcelo Maciel da Silva, Raimundo Nonato Reski Jr, Valci Conceição Maroto, José Feitosa da Silva ou Francisco de Assis Silva Filho, Marcos Aurélio Duarte de Oliveira e Hércules Ferreira Holanda.

A chacina no Presídio Urso Branco teve ampla repercussão nacional e internacional, acarretou a instauração de um processo internacional em face do Estado de Rondônia, por desrespeito aos direitos humanos e motivou a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI.

Fonte: Juliane Bandeira DRT 808/RO
Ascom MPRO 
 

Mais Sobre Polícia

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

O 5º Batalhão de Polícia Militar de Rondônia (5º BPM – Batalhão Belmont) realiza, nesta sexta-feira (23), às 19h, a formatura militar alusiva ao seu

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Na manha de hoje (21), a Polícia Rodoviária Federal participou da Operação Arinna, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime O