Porto Velho (RO) quinta-feira, 26 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Polícia

Medicamentos abortivos contrabandeados da Bolívia seriam para atender licitação



NOVAS INFORMAÇÕES SOBRE MEDICAMENTOS CONTRABANDEADOS DA BOLÍVIA. DONO DA DROGA HAVIA GANHADO LICITAÇÃO EM HUMAITÁ-AM E SERIA ELE DONO DE FARMACIA EM PORTO VELHO.


Raimundo Altamir Lima da Cunha e Roberta Lima Ferreira que traziam 3.780 comprimidos do remédio Cytotec e mais 200 comprimidos do remédio Procops contrabandeados da Bolívia, foram presos na madrugada deste domingo, na BR 425 região do distrito de Araras, por policiais civis de Nova Mamoré/RO, comandados pelo Delegado Lobo, em conjunto com policiais do GIC, comandados pelo Delegado Jeremias Mendes,. Após as “compras” na Bolívia os infratores retornaram para o Brasil e se hospedaram em um hotel, onde aguardaram à noite chegar. Depois embarcaram no táxi e seguiam para a capital do Estado, quando então foram abordados e presos.

No momento da prisão Raimundo disse ao delegado Loubivar ser proprietário de uma farmácia localizada no bairro Embratel, em Porto Velho. Disse ainda ter adquirido os medicamentos na cidade de Guayaramerin-Bolívia, pelo valor de R$ 3 mil e que sua intenção era levá-los para a cidade de Humaitá-AM, aonde sua empresa tinha ganhado uma licitação pública. Já Roberta falou ao delegado ser companheira de Raimundo e tê-lo acompanhado até à Bolívia. Segundo a Polícia ela sabia que seu companheiro comercializava medicamentos de origem ilícita.

Segundo o Delegado Lobo, o medicamento Cytotec tem circulação restrita no território nacional, e não pode ser vendido diretamente à população. “Somente hospitais credenciados podem adquiri-lo, isto conforme portaria 344/98, do Ministério da Saúde”, salientou a autoridade policial.

O remédio, que deve ser indicado no tratamento de úlceras gástricas e duodenais, tem efeito altamente abortivo em face das contrações uterinas que ocasiona, e por conta disso, vem sendo usado indiscriminadamente em manobras abortivas. Possui efeitos colaterais nefastos como paralisia facial, estrabismo e anomalia de membros. 

Medicamentos abortivos contrabandeados da Bolívia seriam para atender licitação  - Gente de Opinião



Valor

A droga é vendida no mercado paralelo por R$ 50,00 o comprimido, sendo que os traficantes “recomendam” quatro drágeas para cada abortamento. Fazendo simples conta 3.780X50= 180.000 mil reais. É o valor do lucro estimado. A prisão dos infratores e a apreensão dos medicamentos trouxeram enorme satisfação aos policiais: “ muitos embriões deixaram de ser assassinados, muitas crianças poderão nascer perfeitas, sem os perversos efeitos da “pílula milagrosa”, desabafou o Delegado.

GIC e PC

Esta foi a segunda apreensão de contrabando da Bolivia neste final de semana. Na sexta-feira, foram apreendidos por policiais civis em Nova Mamoré e do GIC, cigarros sem documentação fiscal. E, neste domingo, estes medicamentos. O delegado Jeremias Mendes do GIC, que acompanha o trabalho de sua equipe nesta e em outras localidades do Estado, onde existem suspeitas de tráfico, contrabando e outros delitos, observou que seu grupo esta dia e noite trabalhando em defesa da sociedade contra todo tipo de criminalidade.

Fonte: Lenilson Guedes

Mais Sobre Polícia

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

O 5º Batalhão de Polícia Militar de Rondônia (5º BPM – Batalhão Belmont) realiza, nesta sexta-feira (23), às 19h, a formatura militar alusiva ao seu

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Na manha de hoje (21), a Polícia Rodoviária Federal participou da Operação Arinna, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime O