Porto Velho (RO) quarta-feira, 25 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Justiça

Ameron saúda novos dirigentes do Poder Judiciário de Rondônia para o biênio 2020/2021


Ameron saúda novos dirigentes do Poder Judiciário de Rondônia para o biênio 2020/2021 - Gente de Opinião

A sexta-feira (6) foi marcada pela solenidade de posse dos novos dirigentes do Poder Judiciário de Rondônia. Consolidando a decisão da Corte de agosto de 2019, o desembargador Paulo Kiyochi Mori foi empossado como o novo presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, na mesma cerimônia receberam posse a vice-presidente, desembargadora Marialva Henriques Daldegan Bueno; o corregedor geral, desembargador Valdeci Castellar Citon; o diretor da Escola da Magistratura (Emeron), desembargador Miguel Mônico e o vice-diretor, o juiz Edenir Albuquerque.

A vice-presidente da Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron), Inês Moreira da Costa, deu as boas vindas a nova cúpula administrativa do TJRO citando versos do poema “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades” de Luiz Vaz de Camões e rememorou a lendária história dos setes samurais do Judiciário de Rondônia. “O nosso Tribunal de Justiça tem ‘alma’. Desde a alma dos sete samurais que inauguraram o Judiciário de Rondônia, passando por todos os demais que ao longo dos anos vêm transformando o nosso Tribunal em instituição de referência. A alcunha de samurai, dada pelo desembargador Dimas Ribeiro da Fonseca aos primeiros integrantes dessa Corte de Justiça, faz alusão aos guerreiros que defenderam o Império Japonês em séculos passados. Samurai significa ‘servir’, ou aquele que serve, e torna-se também apropriada para este momento, porque nas veias do desembargador Paulo Kiyochi Mori corre o sangue da descendência oriental e registra o seu legado em servir ao nosso Judiciário, por tanto tempo”, proferiu a magistrada que neste ato representou o presidente, desembargador Alexandre Miguel.

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, desembargador Walter Waltenberg da Silva Júnior, destacou as ações implementadas pela atual gestão e que contribuíram para o engrandecimento do Judiciário. "Fizemos o possível. E temos certeza de que os frutos que ora colhemos, o fazemos em razão das sementes que foram lançadas no passado e dos cuidados que os colegas que nos antecederam tiveram em cultivar essa grande árvore de distribuição de Justiça no Estado de Rondônia. Muito obrigado a cada um dos meus pares por terem me dado essa oportunidade ímpar", afirmou.

O diretor de comunicação social da Ameron, desembargador Raduan Miguel Filho, reforçou os esforços empreendidos pela magistratura no sentido de levar a prestação jurisdicional às comunidades longínquas pela ação de magistrados e servidores lotados nas 23 comarcas, compostas por 3.385 pessoas, em 125 unidades jurisdicionais e que cuidam de um estoque constituído de 316.091 processos ativos, em trâmite em primeiro e segundo graus de jurisdição, à espera de solução. “Administrar essa grandiosa estrutura, com vistas à pacificação de conflitos sociais é, sem dúvida, um imenso desafio. Conforta-nos, porém, a juventude, o dinamismo, o idealismo e vocação de Vossa Excelência para o trabalho. Tranquiliza-nos o retrospecto das trajetórias pessoal e profissional de Vossa Excelência, que nos dão testemunho vivo de que teremos um gestor criativo, operoso, obstinado e que, certamente, contribuirá ainda mais para o engrandecimento do Poder Judiciário de nosso pujante Estado de Rondônia”, declarou se dirigindo ao presidente empossado.

A ampliação do acesso à Justiça e a interiorização do atendimento judiciário, incluindo a região da Ponta do Abunã, foi uma das bandeiras levantadas pelo presidente eleito do TJRO, desembargador Paulo Kiyochi Mori. O magistrado também falou sobre a importância de haver o controle interno dentro da instituição, conclamando a responsabilidade para todos, pois foi desta forma que o Selo Diamante conferido pelo Conselho Nacional de Justiça reconheceu o Judiciário de Rondônia como um dos três melhores do país. "90% dos processos tramitam em 1º Grau, logo, não restam dúvidas de que é nesse percentual que temos que focar, evidentemente sem esquecer os 10%. Vamos buscar concretizar 100% do PJe em toda jurisdição, bem como a remessa do máximo de feitos para tramitação perante o CPE. É de suma importância a integração, a ação integral, de todos os setores do Judiciário", ressaltou o presidente empossado que agradeceu aos antecessores, amigos, familiares e colegas magistrados pelo apoio nesta nova caminhada que é gerir o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia até 2021.

 

Novo presidente do TJRO

O desembargador Paulo Kiyochi Mori nasceu aos 27 de agosto de 1958, é paranaense da cidade de Paranavaí, chegou à Rondônia em 1982 quando exerceu a advocacia. Se tornou assessor do desembargador Dimas Ribeiro da Fonseca no período de 1983 até 1986. No final de 1986 Ingressou na magistratura para atuar na Comarca de Colorado do Oeste, fez carreira em Vilhena e Porto Velho, onde reside desde 1992.

Mais Sobre Justiça

Operação Bonifrate - Ministério Público, Polícia Civil e Secretaria de Finanças deflagram operação de combate à sonegação fiscal

Operação Bonifrate - Ministério Público, Polícia Civil e Secretaria de Finanças deflagram operação de combate à sonegação fiscal

O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Grupo de Atuação Especial

Operação cumpre mandados judiciais contra advogados envolvidos com o crime organizado

Operação cumpre mandados judiciais contra advogados envolvidos com o crime organizado

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado de Rondônia (GAECO/MPRO) e a Polícia Civil do Estado de R

Contágio de motorista de ambulância por Covid-19 é reconhecido como doença ocupacional pela Justiça do Trabalho

Contágio de motorista de ambulância por Covid-19 é reconhecido como doença ocupacional pela Justiça do Trabalho

O juízo da 5ª Vara do Trabalho de Porto Velho (RO) reconheceu o nexo causal em contaminação por Covid-19, como doença ocupacional, a motorista de ambu