Porto Velho (RO) sexta-feira, 27 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Polícia

Campanha 'Trânsito Vivo:A Vida Pede Atenção' da prefeitura


 Campanha 'Trânsito Vivo:A Vida Pede Atenção' da prefeitura  - Gente de Opinião


Os 30 cruzamentos considerados mais perigosos em Porto Velho foram alvo da campanha de educação no trânsito no final de semana, quando a prefeitura de Porto Velho, em parceria com o governo do Estado realizou blitzes e pit-stops. Com panfletos e faixas, as equipes procuraram sensibilizar os motoristas para que respeitem as leis, como o uso do cinto de segurança, a proibição do celular ao volante e as cadeirinhas para crianças no banco de trás dos veículos. Pelo município, participaram servidores e voluntários das secretarias municipais de Saúde, de Educação e de Transportes e Trânsito. Pelo estado participaram os técnicos da Agência de Vigilância Sanitária, da secretaria Estadual de Educação, do Departamento Estadual de Trânsito e Policia Militar, além da Companhia de Trânsito, Polícia Rodoviária Federal e alunos e professores do Colégio Tiradentes. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias participou da operação com cerca de 150 pessoas. No total, a iniciativa contou com 320 participantes.

A campanha denominada “Trânsito Vivo: A Vida Pede Atenção”, faz parte das ações da prefeitura municipal de Porto Velho e do governo do Estado, como parte da criação do plano para conscientizar os motoristas e conter a  violência no trânsito e foi desenvolvida com ações a curto, médio e longo prazo. Entre as primeiras ações constam, a veiculação de várias peças publicitárias com focos no uso obrigatório do cinto de segurança e da cadeirinha infantil, respeito à faixa de pedestres, combate à embriaguez no volante, respeito à sinalização de trânsito e conscientização dos motociclistas. A prefeitura de Porto Velho lança a campanha de mídia nesta semana.
 

Campanha 'Trânsito Vivo:A Vida Pede Atenção' da prefeitura  - Gente de OpiniãoOrientações  

Nas faixas mostradas aos motoristas nos cruzamentos durante os pit-stops, haviam dados como 78% dos óbitos ocorridos no trânsito da Capital no ano passado foram de homens. Nesse mesmo ano, morreram 173 pessoas em acidentes na cidade. Mostrar esses dados aos motoristas teve o objetivo de sensibilizar as pessoas sobre a importância que cada um tem em dirigir com mais segurança e respeito às regras do trânsito.

Nem mesmo o sol e o calor intenso do sábado desanimaram as equipes, que permaneceram nos cruzamentos das 8h ao meio-dia. Na avenida Amazonas com a Nações Unidas, os agentes se dividiram em dois grupos para atuarem nos dois lados da via pública. Servidor da Secretaria Municipal do Trânsito, Eldson Gomes, de 19 anos, salientou a importância desse trabalho. “O trânsito está cada vez pior. Temos que conscientizar as pessoas”, falou. Junto com ele, o aposentado Francisco Mendonça, da Igreja dos mórmons pedia paciência aos motoristas. “É preciso educar as crianças”, lembrou.

Na avenida Jatuarana com Tancredo Neves, o movimento foi intenso. Mesmo com pouca sombra, Marcos Lima de 36 anos, não diminuiu o ritmo da panfletagem. “A maioria dos motoristas nos recebe bem”, disse. O voluntário Elder Peterson, de 19 anos, veio de Ohio, nos Estados Unidos há apenas três meses, mas já domina o idioma português. Ele fez um trabalho fundamental mostrando as faixas aos motoristas a cada sinal vermelho. “É a forma que encontramos de fazer o bem ao próximo”, disse.

Na Algodoeiro com Calmon Viana, as mulheres ficaram com as faixas, enquanto os homens distribuíam os panfletos. Lucinéia Ferreira, de 31 anos, servidora da Secretaria Municipal de Educação, enalteceu a boa convivência com os voluntários da igreja. Alguns motoristas que cruzavam por ali mostravam que já haviam recebido o panfleto antes. “É sinal que esta funcionando”, comemorou.

Na Jatuarana com a Geraldo Siqueira, muitos motoristas paravam na blitz em situação irregular, como percebeu Leonice Santos, 41 anos, também servidora da Semed. “Alguns estão sem o cinto, outros na moto sem a viseira. Nós aproveitamos para orientar”, disse. O motorista Adélio Fontineli, 50 anos, parou no pit-stop e elogiou o trabalho das equipes. “O Trânsito está muito violento, acho essa iniciativa muito boa, e preciso mesmo se fazer isso”, disse.

Na Amazonas com a Rio Madeira as equipes levaram um isopor com água para suportar o calor. Na esquina, a blitz dividiu espaço com os vendedores ambulantes. O coordenador da unidade de saúde Agenor de Carvalho, Jocel Soares, de 35 anos, estava entre os voluntários na panfletagem e percebeu que nem todos os motoristas foram receptivos. ”Alguns fecham o vidro e evitam nos escutar”, comentou. Frank Nogueira, 34 anos, funcionário do Detran, anotou numa planilha a quantidade de veículos que foram abordados, entre automóveis, motos, caminhões e até pedestres. “É para fazer uma estatística”, revelou.

A receptividade dos motoristas foi considerada excelente na esquina da Rio Madeira com a José Vieira Caula, como percebeu o bispo David Araújo, 30 anos, da Igreja parceira na campanha. No mesmo local, uma revenda de automóveis também distribuía seus panfletos, mas a convivência foi harmoniosa. “Alguns não abrem o vidro para eles, mas abrem para nós”, comemorou.

Na Guaporé com José Vieira Caula, o aposentado Francisco Silva, 60 anos, também voluntário da igreja, preferiu usar um chapéu para se proteger do sol. Perto dali, em mais um cruzamento considerado perigoso, na Vieira Caula com Daniela, os panfletos terminaram antes das 11h, mas o pessoal seguiu com as faixas durante o sinal vermelho. Alan Dias, 21 anos, membro da Igreja parceira, estava de aniversário no sábado, e mesmo assim dedicou a manhã à campanha. Alan veio de Marília, São Paulo, em missão pela sua igreja e aceitou participar da iniciativa, junto com o porto-riquenho Antônio Melendez, 19 anos. Todo esse esforço serviu para conscientizar as pessoas por um trânsito mais seguro. Para a médica-veterinária da Semusa, Régia Martins, uma das coordenadoras da campanha,’ a meta é estabilizar e reduzir a mortalidade por acidentes até 2020’, enfatizou

Para o secretário adjunto da Semtran, João Marcos, além do que a prefeitura já vem realizando como as novas sinalizações e a intensificação nas ações de iluminação feitas pela Emdur,outras campanhas educativas devem ser realizadas nos próximos dias. “O prefeito disse que fechou parceria com o Estado para intensificar as ações de fiscalização e repressão.” A maioria dos acidentes acontece por imprudência dos motoristas que dirigem após consumir bebidas alcoólicas, sem habilitação, furando o sinal, que não respeitam os pedestres e que acima de tudo, abusam da velocidade. Por isso, a prefeitura e o estado vão continuar esta campanha para orientar e conscientizar a população de que o respeito a vida é o mais importante”, finalizou o secretário.

Fonte: Robinson Gambôa /  Nara Vargas
Fotos: Medeiros

 

Mais Sobre Polícia

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

O 5º Batalhão de Polícia Militar de Rondônia (5º BPM – Batalhão Belmont) realiza, nesta sexta-feira (23), às 19h, a formatura militar alusiva ao seu

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Na manha de hoje (21), a Polícia Rodoviária Federal participou da Operação Arinna, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime O