Porto Velho (RO) quarta-feira, 20 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

Eleições 2018

O BRASIL É UM PAÍS SÉRIO? Por William Haverly Martins


O BRASIL É UM PAÍS SÉRIO? Por William Haverly Martins - Gente de Opinião

O BRASIL É UM PAÍS SÉRIO?
Por William Haverly Martins

Não se trata aqui de esclarecer se a frase “o Brasil não é um país sério” foi dita por Charles De Gaulle, em 1962, durante a chamada “Guerra da Lagosta” ou pelo embaixador Abel de Souza Filho, durante as conversações envolvendo França e Brasil, quando se discutia a pesca da lagosta nas costas brasileiras.

Trata-se aqui da estupefação nacional e internacional diante de um país que possui uma minoria corrupta, cujo líder está na cadeia, que já foi maioria e perdeu esse status exatamente porque surripiou a nação em bilhões de reais, comprometeu empresas estatais e menosprezou os sentimentos de pertencimento de um povo a sua pátria, e agora, como se nada tivesse acontecido, briga com todas as armas da estupidez pelo direito de permanecer no poder.

A Globo chegou ao cúmulo de, pela primeira vez na história política deste país, encomendar ao Data Folha uma enquete para saber se o eleitor queria um debate global com a participação do Bolsonaro, e, o que é pior, incluiu perguntas sobre a possibilidade de o Brasil voltar a ser uma Ditadura, etc. etc. É incompreensível o ódio da Rede Globo aos militares brasileiros, afinal a Globo nasceu e cresceu durante o regime militar. Antes de morrer, Roberto Marinho, que elogiou o regime militar e agradeceu publicamente a ajuda recebida, jamais imaginou que seus herdeiros cuspiriam no prato que comeram. A Globo não é uma emissora séria. O posicionamento da Globo e da Folha/UOL vai lhes custar caro. 

Se estes desesperados seguidores do PT, que renegaram a pátria onde nasceram, em nome de uma ideologia espúria não estão satisfeitos com o Brasil, que peçam asilo a Cuba; vão para a Venezuela, Bolívia, Nicarágua, países estes que receberam bilhões de dólares de ajuda, dinheiro do contribuinte brasileiro, em nome da esquerda, a título de fundo perdido.

O Brasil que parecia ser um país de loucos, entorpecidos e inconscientes, um país que não passava seriedade, acordou com o grito de independência de Jair Messias Bolsonaro: Brasil acima de tudo e Deus acima de todos. O mal não triunfará porque os homens de bem deste país não deixarão.

Não adianta querer ganhar no tapetão, manipulando a espada da justiça, que vocês conhecem muito bem — não esqueçam que, na outra mão, Themis carrega uma balança. O judiciário não é feito só de Lewandovski, Dias Toffoli e Gilmar Mendes; os juízes patriotas, sérios e direitos deste país já conhecem bem esta história de Caixa2 e o uso do poder econômico, que levou a cúpula do PT às barras dos tribunais, e sabem, também, o nível de indignação da grande maioria do povo brasileiro, muito acima da força do Whatsapp, do Instagram ou do Facebook. O povo trabalha de graça, por amor a sua Pátria.

Jorge Mussi, ministro do TSE, atendeu a um pedido de Fernando Haddad, do PT, contra o adversário Jair Bolsonaro – que está, segundo as pesquisas, cerca de 20 pontos à frente em intenções de voto. Contudo, o magistrado negou o pedido de medidas cautelares feito pelos advogados do PT, que queriam que houvesse quebra de sigilo e busca e apreensão. O buraco é mais embaixo! Nenhum processo impetrado na célere justiça brasileira chegará a tempo de impedir a destruição de Haddad/PT nas eleições presidenciais/2018.

Não adianta espernear, enquanto existir líderes da grandeza de Jair Bolsonaro17 a bandeira do Brasil jamais será vermelha.

Avante meu povo, para a esmagadora vitória, 17 neles!

Mais Sobre Eleições 2018

Sindafisco elege nova diretoria nesta quinta-feira, 8/11

Sindafisco elege nova diretoria nesta quinta-feira, 8/11

Nesta quinta-feira, 8 de novembro, acontecerá a votação para eleger a nova diretoria do Sindicato dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais de Ron

Bolsonaro detona Folha no Jornal Nacional

Bolsonaro detona Folha no Jornal Nacional

Presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) atacou a Folha de S. Paulo nesta segunda-feira, 29, em entrevista ao Jornal Nacional; em discurso acalorado, Bo