Porto Velho (RO) quarta-feira, 14 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Eleições 2018

As nuvens estão ficando mais carregadas no horizonte


As nuvens estão ficando mais carregadas no horizonte - Gente de Opinião

Alguns fatos para que os democratas reflitam sobre os últimos movimentos da cúpula militar e da extrema direita, com adesão de pelo menos um veículo de expressão no universo da mídia conservadora:

1) Aparentemente a foto que o senador Magno Malta lançou nas redes sociais do corte na barriga é verdadeira. É de péssimo gosto, mas ela informa que o corte é enorme, típico de uma operação de emergência, sem preocupação com recuperação rápida ou estética;

2) Bolsonaro só deve sair do hospital no fim do mês, à beira do primeiro turno e em condições precárias. Ele tem tido complicações como a que foi divulgada pelo hospital hoje, uma distensão abdominal. É um episódio relativamente corriqueiro em cirurgias do porte da que Bolsonaro sofreu, segundo um médico que consultei, mas a suspensão da alimentação oral pode atrasar a recuperação;

3) Bolsonaro sairá do hospital com uma bolsa de colostomia e assim irá para o segundo turno, o que é uma aposta quase certa hoje, a não ser que Haddad arranque e vença no primeiro de uma vez. Os médicos que atendem Bolsonaro afirmam que será necessária nova cirurgia em novembro, para reconstruir o trânsito intestinal. Ou seja, ele estará fragilizado, com enorme dificuldade de enfrentar a campanha e com possibilidade de infecção flagrante;

4) O jornal O Estado de S.Paulo, hoje porta-voz da extrema-direita na imprensa, continua cevando a teoria da conspiração política no episódio da facada;

5) O general Villas Bôas deu o roteiro da narrativa da direita/extrema-direita de que a derrota de Bolsonaro colocará em xeque a legitimidade da eleição. Ele afirmou, e não me parece que seja coincidência o fato de a entrevista ser dada ao Estado de S.Paulo: "O atentado confirma que estamos construindo dificuldade para que o novo governo tenha uma estabilidade, para a sua governabilidade, e podendo até mesmo ter sua legitimidade questionada". A frase abre caminho para um novo golpe -a postura de Aécio ao contestar a legitimidade da eleição de Dilma e o golpe de 2016 como que "naturalizaram" o discurso golpista na vida política;

6) A dança dos militares ao redor de Bolsonaro intensa. Quem foi visitá-lo no hospital nesta quarta foi o sombrio general Sérgio Etchegoyen, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e o grande articulador da militarização do governo Temer com: a nomeação inédita de um general para ministro da Defesa, a intervenção no Rio, a lei que transfere para a Justiça Militar o julgamento de militares que cometerem crimes contra civis; e a ocupação por militares depostos chaves na Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), na Fundação Nacional do Índio (Funai) e até na Casa Civil da Presidência.

7) Depois da sequência de declarações agressivas dos generais Augusto Heleno Ribeiro Pereira e Hamilton Mourão, o primeiro um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro e o segundo candidato a vice, mais um passo dos militares: nesta quarta, o PRTB entrou com ação no TSE para que Mourão assuma o comando nos debates eleitorais em nome da chapa. Pode ser um pequeno golpe na campanha bolsonarista: a decisão foi tomada ontem, terça, numa reunião PRTB, partido capitaneado por Levy Fidelix, com a presença do próprio Mourão e de outros militares sem que o candidato hospitalizado ou seus filhos tenham sido ouvidos.

A sequência de eventos indica novo salto no protagonismo político dos militares tanto da reserva (Mourão e Heleno) como da ativa (Villas Bôas e Etchegoyen). Situação é preocupante. Há uma tempestade em preparação no horizonte.

Pode ser que os ventos da democracia a dissipem, mas as nuvens estão ficando mais carregadas.

Mais Sobre Eleições 2018

Sindafisco elege nova diretoria nesta quinta-feira, 8/11

Sindafisco elege nova diretoria nesta quinta-feira, 8/11

Nesta quinta-feira, 8 de novembro, acontecerá a votação para eleger a nova diretoria do Sindicato dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais de Ron

Bolsonaro detona Folha no Jornal Nacional

Bolsonaro detona Folha no Jornal Nacional

Presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) atacou a Folha de S. Paulo nesta segunda-feira, 29, em entrevista ao Jornal Nacional; em discurso acalorado, Bo