Porto Velho (RO) segunda-feira, 26 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Opinião

Salário Mínimo - Ursula Von Der Leyen em Portugal + Geopolítica e Portugal + Crítica à não Crítica na Mediocridade


Salário Mínimo - Ursula Von Der Leyen em Portugal + Geopolítica e Portugal + Crítica à não Crítica na Mediocridade - Gente de Opinião

SALÁRIO MÍNIMO  - URSULA VON DER LEYEN EM PORTUGAL

Em Missão de Convicção

Ursula von der Leyen, a Presidente da União Europeia, médica, mãe de sete filhos, que para proteger as gravidezes não bebia álcool e ainda hoje não bebe álcool encontra-se de visita a Portugal (28 e 29.09.2020). 

Defensora dos direitos humanos sempre se distinguiu por defender resolutamente os direitos das mulheres! 

Quando foi em missão diplomática à Arábia Saudita em 2016, deu instruções para que as mulheres da sua delegação não usassem a abaya, uma vestimenta que cobre a cabeça e a roupa. 

Empenha-se na defesa da dignidade do trabalho e na criação de um salário mínimo europeu!

Para o Conselho Europeu o ordenado mínimo dos portugueses ( 635 €) não garante um estilo de vida digno!

Segundo INVESTIPEDIA “se o salário mínimo em Portugal tivesse sido atualizado devidamente desde 1974, hoje em dia seria de 1268€”.

Semelhante problema acontece também com o aumento das reformas. Excedente de contribuição dos trabalhadores em vez de servirem para aumentarem adequadamente as reformas (especialmente, as abaixo do mínimo de sobrevivência) são usadas para equilibrar o orçamento do Estado e assim apresentar melhores dados para a EU.

O ordenado mínimo dos portugueses e reformas de miséria de uma boa parte dos reformados garantem o  estilo de vida à francesa  da nossa classe governante e de seus amigos beneficiados.

 

António da Cunha Duarte Justo

 

Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=6102

 

GEOPOLÍTICA E PORTUGAL

União Europeia entre os USA e a Rússia a serem empurrados pela China

“George Glass, embaixador dos EUA em Lisboa, em entrevista ao Expresso, publicada este sábado, admitiu consequências em matéria de segurança e Defesa para Portugal se o país escolher trabalhar com a China” (1).

O embaixador falou claro (sem diplomacia, tal como fez o seu homólogo na Alemanha) das forças e interesses económico-geopolíticos, isto é, daquilo que geralmente os políticos nacionais não gostam que se fale.

Portugal encontra-se na ressaca das ondas e em que os conflitos de interesses mais se manifestarão.

Incomoda, mas chama a atenção para as circunstâncias que nos movem e moverão: a realidade económica motivadora de guerras, da determinação de zonas de influência política e de agendas internacionais.

Não se trata aqui de pintar a realidade com as tintas de Belzebu ou do Diabo, porque essas discussões sentimentais só ajudam um e outro a levar o seu negócio à frente.

A guerra em Portugal tem acontecido no dia-a-dia entre a China e os USA (e em parte UE, dos países mais fortes) a nível económico.

A importância do porto de Sines é realmente "incrivelmente estratégica" para a distribuição do gás natural liquefeito americano, especialmente num momento em que Trump se insurge descaradamente contra o gasoduto North Stream 2 que liga a Rússia à Alemanha.

Um outro capítulo será a concretização e interesses geopolíticos ligados ao porto de Sines! Sines será também a entrada da rota comercial para a Europa.

Naturalmente que não é também inocente o uso da tecnologia chinesa na nossa rede 5G. Trata-se de reconhecer os poderes que têm as biscas e os trunfos mas contar também com desenvolvimentos futuros.

Enquanto os nossos fomentadores de opinião se fixam em questões de ideologias continuaremos a ser embalados entre as ilhas das sereias. Esta não é a altura de sermos uns contra os outros (uns blocos geográfico-económicos-políticos) contra os outros.Importante seria descobrir, na nossa pequenez real e de sonhos, a vantagem estratégica que viremos a ter numa ordem mundial bi ou tripolar!

Na discussão deste assunto não seria oportuno tratar-se aqui de se colocar do “lado certo” ou do “lado errado”, mas de compreender a complexidade do assunto para poder jogar com os dois! Cada potência faz a sua pressão, cada uma à sua maneira. Relevante seria termos a consciência da nossa importância estratégica e termos um conceito e um sonho para Portugal. Doutro modo poderia restar-nos tornar-nos num cavalo de troia dos interesses geopolíticos!

António da Cunha Duarte Justo
Nota em Pegadas do Tempo, 
https://antonio-justo.eu/?p=6092

 

CRÍTICA À NÃO CRÍTICA DA MEDIOCRIDADE

A SOCIEDADE PRECISA DE MEDÍOCRES

“A sociedade necessita de medíocres que não ponham em questão os princípios fundamentais e eles aí estão: dirigem os países, as grandes empresas, os ministérios, etc. Eu oiço-os falar e pasmo não haver praticamente um único líder que não seja pateta, um único discurso que não seja um rol de lugares comuns. Mas os que giram em torno deles não são melhores. Desconhecemos até os nossos grandes homens: quem leu Camões por exemplo? Quase ninguém. Quem sabe alguma coisa sobre Afonso de Albuquerque? Mas todos os dias há paleios cretinos acerca de futebol em quase todos os canais. Porque não é perigoso. Porque tranquiliza. Os programas de televisão são quase sempre miseráveis mas é vital que sejam miseráveis. E queremos que as nossas crianças se tornem adultos miseráveis também, o que para as pessoas em geral significa responsáveis. Reparem, por exemplo, em Churchill. Quando tudo estava normal, pacífico, calmo, não o queriam como governante. Nas situações extremas, quando era necessário um homem corajoso, lúcido, clarividente, imaginativo, iam a correr buscá-lo. Os homens excepcionais servem apenas para situações excepcionais, pois são os únicos capazes de as resolverem. Desaparece a situação excepcional e prescindimos deles. Gostamos dos idiotas porque não nos colocam em causa. Quanto às pessoas de alto nível a sociedade descobriu uma forma espantosa de as neutralizar: adoptou-as. Fez de Garrett e Camilo viscondes, como a Inglaterra adoptou Dickens. E pronto, ei-los na ordem, com alguns desvios que a gente perdoa porque são assim meio esquisitos, sabes como ele é, coitado, mas, apesar disso, tem qualidades. Temos medo do novo, do diferente, do que incomoda o sossego.
A criatividade foi sempre uma ameaça tremenda: e então entronizamos meios-artistas, meios-cientistas, meios-escritores. Claro que há aqueles malucos como Picasso ou Miró e necessitamos de os ter no Zoológico do nosso espírito embora entreguemos o nosso dinheiro a imbecis oportunistas a que chamamos gestores. E, claro, os gestores gastam mais do que gerem, com o seu português horrível e a sua habilidade de vendedores ambulantes: Porquê? Porque nos sossegam. Salazar sossegava. De Gaulle, goste-se dele ou não, inquietava. Eu faria um único teste aos políticos, aos administradores, a essa gentinha. Um teste ao seu sentido de humor. Apontem-me um que o tenha. Um só. Uma criatura sem humor é um ser horrível. Os judeus dizem: os homens falam, Deus ri. E, lendo o que as pessoas dizem, ri-se de certeza às gargalhadas. E daí não sei. Voltando à pergunta de Dumas – Porque é que há tantas crianças inteligentes e tantos adultos estúpidos? Não tenho a certeza de ser um problema de educação que mais não seja porque os educadores, coitados, não sabem distinguir entre ensino, aprendizagem e educação. A minha resposta a esta questão é outra. Há muitas crianças inteligentes e muitos adultos estúpidos, porque perdemos muitas crianças quando elas começaram a crescer. Por inveja, claro. Mas, sobretudo, por medo." António Lobo Antunes, In Diálogos Lusófonos
Imaginem que isto não tinha sido dito por quem foi dito!.. Infelizmente uma das consequências da globalização em direcção ao igualitarismo produz medíocres. Estes beneficiam o sistema e democraticamente legitimam-no tal como se legitimam a si mesmos; e isto porque a maioria (de inteligência penteada) é que determina não só o caminho mas até as "verdades" hodiernas!

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=6100

Mais Sobre Opinião

Corporativismo quer salvar o mandato do senador cuequeiro

Corporativismo quer salvar o mandato do senador cuequeiro

Quando se trata de fazer arranjos políticos, o Congresso Nacional não deixa por menos – com as devidas exceções -, apesar de essa não ser uma caract

Para quem tem cloroquina, quem se importa com vacinação?

Para quem tem cloroquina, quem se importa com vacinação?

Diante de severas crises que costumam abalar as Nações, tudo que se espera dos seus governantes, são ações, atitudes e comportamentos sensatos, equi

Campanha eleitoral não empolga eleitor

Campanha eleitoral não empolga eleitor

Em novembro próximo, o eleitor de Porto Velho terá um encontro marcado com as urnas. Vamos escolher prefeito e vinte e um vereadores. A campanha, poré

Tributo ao ativista e abolicionista contemporâneo, Dr. Wllian Johnes - Presidente da Ordem dos Bacharéis do Brasil- OBB

Tributo ao ativista e abolicionista contemporâneo, Dr. Wllian Johnes - Presidente da Ordem dos Bacharéis do Brasil- OBB

Mas uma vítima do trabalho análogo à de escravos a escravidão moderna da OAB, acaba de tombar. Com tristeza tomei conhecimento que no último dia 16.10