Porto Velho (RO) domingo, 20 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Opinião

RESISTIMOS, LUTAMOS, COM A GREVE TRIUNFAMOS!


 RESISTIMOS, LUTAMOS, COM A GREVE TRIUNFAMOS! - Gente de Opinião

Porto Velho, 30 de Novembro de 2011.

No dia 23 de novembro os bravos estudantes e professores da Universidade Federal de Rondônia culminaram sua luta com a derrubada do professor José Januário de Oliveira Amaral do cargo de Reitor. Saudações a todos que permaneceram firmes e que enxergaram no caminho da combatividade a única maneira de lograr vitória.

José Januário, durante todo o período em que esteve na Administração Superior agiu de forma anti-democrática, aplicando autoritariamente todos os projetos devastadores do Governo Federal, que são responsáveis pelo caos que se instalou em várias universidades federais Brasil afora. Ele também se envolveu em esquemas obscuros e de acordo com o promotor do Ministério Público Estadual de Rondônia, Pedro Abi-Eçad, liderou uma organização criminosa. Em entrevista a revista VEJA, Abi-Eçad declarou que “Toda organização criminosa tem um líder. E o líder, nesse caso, era o reitor”.

O ex-REitor fez declarações a imprensa em que nos acusava de“bandidos, dignos de Urso Branco”, em uma frustrada tentativa de criminalizar e isolar o Movimento Estudantil. Mas as denúncias de corrupção em que está envolvido provam justamente o contrário! Não somos bandidos!Lutamos contra os bandidos, estes que exploram e roubam o povo acobertados pelo manto da democracia e da legalidade!

Lutamos de forma aguerrida por uma universidade pública de qualidade, que sirva ao povo trabalhador e não aos interesses de grandes empresas, grupos políticos ou interesses pessoais. Por isso não aceitamos os desmandos do professor Januário e levantamos a bandeira do “FORA JANUÁRIO!” até derrubá-lo. Que o Januário sirva de exemplo a todos os grupos que pretendam se apoderar da UNIR. Na UNIR não há espaço para corruptos, oportunistas, autoritários, demagogos, políticos eleitoreiros ou qualquer grupo dessa espécie, serão todos escorraçados de nosso meio. Avisamos também que não admitiremos que tentem se aproveitar desta luta para fins eleitorais ou de promoção pessoal.

Nesses 77 dias de greve e 56 dias de ocupação nos deparamos com grandes desafios. Permanecemos em um prédio sem energia (que foi cortada por capachos do ex-REItor, logo no primeiro dia), matamos um leão por dia para conseguirmos diesel para o gerador, alimentação para dezenas de pessoas, produtos de limpeza e etc. Fomos seguidos, vigiados, hostilizados e ameaçados diversas vezes. Foram noites sem dormir por conta da iminente ameaça de reintegração de posse e sabotagens afins. Mas tudo isso foi vencido pela organização, combatividade e resistência dos estudantes em luta.

Enfrentamos a repressão policial com grande clareza do papel do Estado, que é reprimir os que o desafiam e exigem tomar em suas mãos o futuro. Estudantes e professor foram presos, intimidados, agredidos e perseguidos, mas todos mantiveram a histórica postura dos que lutam. Ergueram as cabeças, imbuídos da certeza da consequência e justeza de sua luta.

Além de conquistarmos a vitória em nosso principal ponto de pauta, que era o afastamento do professor José Januário do cargo de REItor, driblamos sua tentativa de golpe ao dar posse a vice-reitora Maria Cristina e conseguimos montar uma mesa de negociação com o MEC que tem discutido todos os nossos pontos de pauta. Pretendemos arrancar do Governo Federal um por um dos nossos direitos!

Obrigamos o MEC a se posicionar e resolver os problemas causados pelo projeto demagógico de reforma universitária do governo federal, que tem como fundo o sucateamento das universidades e a privatização da educação.

Em nossas negociações com o MEC conquistamos direitos como:

 Hospital Universitário: O MEC aportará os recursos financeiros necessários à IMPLANTAÇÃO do nosso HU.

  • Restaurante Universitário: O RU da UNIR, com capacidade de 1.000 lugares, foi uma conquista da greve. O orçamento destinado a construção e implementação do RU é de 4,5 milhões de reais, sendo que a licitação da empresa responsável pela obra será lançada até 02/12/2011.

  • Aquisição de novos livros para a biblioteca: Os departamentos deverão apresentar a administração uma lista com os livros necessários para cada curso.

  • Contratação de técnicos: Até o final do ano, de forma emergencial, o MEC e a Reitoria lançarão o Edital para a contratação de 27 servidores técnicos administrativos em nível superior (arquiteto; engenheiro elétrico, civil e mecânico) e 13 servidores técnicos administrativos em nível médio.

  • Laboratórios de Informática: O MEC está realizando a compra de novos equipamentos de informática nas próximas semanas. Para o próximo ano, o Campus de Porto Velho, que conta atualmente com apenas um laboratório de Informática, passará a contar com 4 laboratórios e cada Campus do Interior também terá um Laboratório.

Essas são apenas algumas das nossas conquistas. E as negociações continuam até que sejam atendidas as pautas de reivindicação de todos os cursos e campi da UNIR.

Vamos garantir nossa participação efetiva em todos os espaços e decisões da universidade. Permaneceremos de punhos erguidos! Nenhum direito a menos!

Esta vitória não é apenas dos estudantes, professores e técnicos da UNIR, é uma vitória do povo. Uma vitória da ciência, pesquisa, ensino e extensão. É a vitória do novo Movimento Estudantil, combativo e independente, exemplo para todas as universidades e escolas do país. Apresenta perspectivas para todos os outros movimentos populares, porque nesta greve, escolhemos o caminho da luta e não o da conciliação e neste caminho trilhamos até o triunfo. Este foi o primeiro passo para a construção de uma universidade verdadeiramente democrática, que produza ciência e técnica em prol do povo trabalhador.

Agradecemos a todo o povo de Rondônia e do Brasil. A todos que escreveram mensagens de força em seus carros, a todos que fizeram doações de dinheiro, alimentos ou diesel, a todos que nos defenderam quando fomos acusados de bandidos, a todas as organizações, entidades e sindicatos que enviaram notas de solidariedade, a todos que ajudaram a propagandear nossa luta através dos sites, blogs, muros e jornais impressos e televisionados. Agradecemos as mães e pais que apoiaram e hoje sorriem orgulhosos de seus filhos. Esta vitória só foi conquistada porque o povo está conosco e é nele que depositamos nossas esperanças de transformar esta sociedade, colocamos nossos braços a disposição de quem tem em suas mãos a história. 

DERRUBAR OS MUROS DA UNIVERSIDADE, SERVIR AO POVO DO CAMPO E DA CIDADE!

VIVA A VITORIOSA GREVE DA UNIR! VIVA A GLORIOSA OCUPAÇÃO DA UNIR!

VIVA A COMBATIVIDADE DOS HERÓICOS ESTUDANTES E PROFESSORES DA UNIR!

REBELAR-SE É JUSTO!

Comando Geral de Greve dos Estudantes da UNIR

Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Rondônia

Mais Sobre Opinião

Uma CPI para investigar a CPI

Uma CPI para investigar a CPI

Houve uma época em que CPI era sinônimo da busca da verdade, da correção de rumos. De uns tempos para cá, porém, algumas CPI’s viraram instrumentos

Sentença de morte

Sentença de morte

A princípio não acreditei, mas logo a ficha caiu. E aí, o susto. Meu Deus! Quantas pessoas ainda vão precisar morrer para que alguns de nossos dirig

A luta intercultural numa terra ainda patriarcal + Das andanças da justiça na Quinta Lusitana

A luta intercultural numa terra ainda patriarcal + Das andanças da justiça na Quinta Lusitana

A LUTA INTERCULTURAL NUMA TERRA AINDA PATRIARCALIsraelitas e Ismaelitas lutam por Canaã a terra prometida a AbraãoPor António JustoA guerra faz-se em

Va', pensiero, sull'ali dorate

Va', pensiero, sull'ali dorate

Semana passada, numa espécie de patuscada entre o presidente da Argentina e o premier da Espanha, Pedro Sánchez, foi dita uma frase, deturpada do es