Porto Velho (RO) segunda-feira, 19 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Relacionamentos


Relacionamentos - Gente de Opinião
 

João Bosco Leal

O relacionamento humano é, provavelmente, a experiência mais difícil para todos, pois para que o mesmo se torne maduro, duradouro, quando os dois já seguirão um mesmo caminho, com metas e objetivos comuns, são necessárias insistências, concessões, renúncias e superação de dificuldades.

As pessoas, que um dia se encontraram, vieram de locais com educação, nível social e cultural distintos, o que certamente exige habilidade de ambos para começarem qualquer tipo de relacionamento, como amizades, paqueras, namoros ou casamentos.

Além disso, ambas possuem um passado, que pode ou não ser aceito pelo outro, mas nem por isso deve ser ocultado. Pelo contrário, o conhecimento de seu passado é fundamental para que seu parceiro, amigo ou namorado a conheça em profundidade e goste de você como é, com seu passado, pois foi com seus erros e acertos, quedas e levantes que você se tornou o que é hoje.Relacionamentos - Gente de Opinião

Os relacionamentos amorosos começam de diversas maneiras, mas normalmente é a atração física que provoca a primeira aproximação. O conhecimento, a conversa, os primeiros toques e beijos podem provocar uma enorme paixão, mas só isso jamais levará ao amor, que precisará ser construído ao longo do tempo.

A história está repleta de casos de relacionamentos em que as pessoas se conheceram, namoraram durante anos para depois se casarem, mas acabaram se separando, enquanto muitos casamentos - que dão certo e são duradouros -, ocorrem entre pessoas desconhecidas, que tiveram sua união combinada pelos pais ou imaginada por amigos que os apresentaram.

Esse tipo de união faz com que as pessoas comecem o relacionamento contando, um ao outro, fatos de seu passado, que muitas vezes levam a lembranças agradáveis ou dolorosas da vida de cada um, o que, indiretamente, vai provocando amizade, intimidade e cumplicidade entre os dois e isso é que fará surgir o verdadeiro amor.

Pelo simples fato de estarem sendo confessadas, as lembranças dolorosas já percorrem um longo caminho para que sejam esquecidas e as dores por elas provocadas sejam cicatrizadas. Todavia as que deveriam e não foram confessadas, se conhecidas através de terceiros, mostrarão a seu parceiro a feição de uma pessoa desconhecida, que pode ter sido tudo, menos sua cúmplice.

Os relatos de cada um fazem inclusive com que o outro possa entender os motivos de determinadas atitudes do parceiro e sua maior ou menor sensibilidade em relação a determinados assuntos. Com esse conhecimento fica mais fácil evitar situações desagradáveis, como comentários infelizes, o que torna a convivência mais alegre.

Os fatos desagradáveis, tristes e dolorosos do passado também abrem portas para que um possa amparar o outro, fazendo com que se tornem mais amigos. Isto é uma base fundamental para qualquer relação madura e saudável, onde não importa quem mais viveu, distâncias percorreu, erros cometeu, dificuldades superou, escolas cursou ou dinheiro ganhou.

O maior conhecimento entre os dois os fará caminhar na mesma direção, por caminhos que os conduzirá ao mesmo lugar, criar projetos comuns e tentar realizar sonhos e desejos comuns, ou mesmo os do outro e assim o verdadeiro amor será construído, em bases sólidas, sobre pedras e não sobre areia.

Está dentro de cada um o poder de alcançar a própria felicidade, mas nos relacionamentos humanos ela necessariamente passa pela transparência, franqueza e honestidade, pois só o que é verdadeiro permanecerá.

Somente quando seu parceiro aceita seu passado, apoia seu presente e incentiva seu futuro poderá ocorrer um relacionamento duradouro.

Fonte: João Bosco Leal    
* Jornalista e empresário

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual