Porto Velho (RO) sexta-feira, 23 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Protestos tentaram emparedar Congresso


Protestos tentaram emparedar Congresso   - Gente de Opinião

As manifestações deste domingo contra a corrupção e em apoio à Lava Jato emparedaram o Congresso e especialmente o  presidente do Senado, Renan Calheiros,  um dos alvos dos protestos, que em nota algo enigmática pareceu admitir o adiamento da votação do projeto sobre abuso de poder, apontado pelo juiz Sergio Moro como ameaça à Lava Jato.  Mas se Renan capitular, livrando também Temer do dilema de sancionar ou vetar a proposta, que fará o baixo clero da Câmara, que deu o golpe e empossou Temer buscando apenas a boia de salvação?  Todos os caminhos levam ao agravamento da crise: ou partirão para novos confrontos com o Judiciário/Ministério Público, ou começarão a desistir de Temer, que não serviu para estancar a sangria, nem estabilizar a política, nem recuperar a economia.

As manifestações foram expressivas e tiveram caráter político-ideológico claro: foram conduzidas pelo “Vem pra rua” e outros grupos de direita que impulsionaram o impeachment da ex-presidente Dilma, foram contra a classe política e contra o Congresso, que errando ou acertando, representa a população. Logo, foram nefastas à democracia. Representaram também segmentos de extrema-direita, que no Rio formaram um bloco pedindo a volta dos militares. Representaram ainda o moralismo conservador, com críticas à decisão do STF que descriminaliza o aborto até o terceiro mês de gravidez. Foram grandes mas não representam o país. Esta semana veremos novos protestos, puxados pelos movimentos sociais de esquerda, contra a política econômica recessiva do governo e a PEC 55, sob o slogan “Fora Temer”.  O racha do país volta a revelar sua extensão, apontando para a única saída consistente e segura, a convocação de eleições diretas.

A nota de Renan, emitida nesta tarde de domingo, diz:  “O presidente do Senado, Renan Calheiros, entende que as manifestações são legítimas e, dentro da ordem, devem ser respeitadas. Assim como fez em 2013, quando votou as 40 propostas contra a corrupção em menos de 20 dias, entre elas a que agrava o crime de corrupção e o caracteriza como hediondo, o Senado continua permeável e sensível às demandas sociais.”.  A permeabilidade significa que o Senado se vergará aos protestos e adiará a votação do abuso de autoridade? É o que parece.

O deputado Silvio Costa (PTB do B-PE), vice-líder da oposição, adverte:

– Renan e o Senado não podem capitular. Acabei de escrever ao Rodrigo Maia (presidente da Câmara) sugerindo que ele use a TV Câmara para um pronunciamento em que esclareça o que a Câmara votou. A população foi envenenada pela histeria dos procuradores, pelas versões de que estraçalhamos as propostas contra a corrupção.  O que fizemos foi ajustá-las à Constituição. A população, se esclarecida, entenderá que não podemos criar a figura do dedo duro remunerado. Que não podemos flexibilizar o habeas corpus, como fez a ditadura. Estão querendo encurralar o Congresso – diz ele.

Mas, encurralada, esperando pelas delações da Odebrecht, o que fará a base de Temer? Agravar a crise, com mais medidas que confrontam o Judiciário-Ministério Público, ou desistir da pinguela Temer.  Isso é o que veremos a partir de amanhã, quando deputados e senadores voltarem a Brasília digerindo as manifestações de hoje.  
 

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.