Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Opinião: Mangabeira Unger, ao 'Paulo Freire' de Rondônia...


Opinião: Mangabeira Unger, ao 'Paulo Freire' de Rondônia... - Gente de Opinião
Muitos professores da rede pública em Rondônia não sabem, mas, desde que o governador Confúcio Moura tomou posse, quem determina os destinos da educação em nosso estado é o “aloprado” Mangabeira Unger que, aliás, não entende absolutamente nada sobre o assunto e muito menos sobre as particularidades de Rondônia. Claro que isso não vai acabar bem!

Mangabeira chegou a Rondônia no começo de 2011, considerado por muita gente do governo como o “guru” de todas as áreas, embora seu currículo não tenha lá muita coisa. Qualquer pessoa que fizer uma pesquisa sobre o “renomado educador” vai perceber que Mangabeira fez curso de direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde nasceu, graduação que não habilita nenhuma pessoa para conhecer a Pedagogia e traçar metas educacionais para nenhum governo, sem nenhum demérito para as pessoas com formação na área jurídica, claro! Vale registrar que Mangabeira nunca foi nada na educação do estado do Rio de Janeiro, por não ter formação.

Entretanto, o governo de Rondônia insiste em acreditar que Mangabeira entende alguma coisa de educação e que vai salvar este setor em nosso estado. Puro delírio!! A única coisa que vem ocorrendo de forma sistemática é que o Estado paga, com muita regularidade, passagens para o “guru” de Rondônia viajar para onde bem entende. Apenas nos meses de abril, maio e junho deste ano, Mangabeira fez passeios no Japão, Alemanha, Estados Unidos, França e outros países e cidades da Europa, Ásia e América do Norte. Tudo pago pelo contribuinte de Rondônia e sem trazer nenhum benefício para o estado. Os documentos de autorização das viagens de Mangabeira estavam todos no Diário Oficial do Estado até pouco tempo atrás, mas estranhamente já não aparecem no diário. Estranho mesmo! Ninguém entende por que um governo tão sério omite dados como estes...

Após estas “viagens” todas, o “professor” Mangabeira esteve reunido recentemente com diretores de escolas, pedagogos da rede pública do estado ( mas eram pedagogos formados em pedagogia; não em direito na UFRJ), o colunista social Júlio Olivar, dublê de secretário da educação, entre outras autoridades do Governo da Cooperação. Em pauta a adoção do Sistema de Ensino Integral nas escolas públicas de Rondônia. Apesar das “viagens” do “professor” Mangabeira, ele parece não ter visitado escolas da Europa, pois o sistema de ensino que Mangabeira quer para o estado, que ele nem conhece, não existe em nenhum dos países onde ele esteve a passeio com o dinheiro dos rondonienses. Não existe na Europa, Ásia e América do Norte países onde a educação tenha sucesso com 40 ou 45 alunos em sala, com professores muito mal pagos e com Secretários de Educação  e “gurus” sem formação na área. Mangabeira fez o curso de direito, Júlio Olivar é colunista social e os professores de nosso estado nunca foram convidados para debater ensino integral, isso sem falar na estrutura das escolas.

Certamente, se o ilustre Paulo Freire, pedagogo de verdade, estivesse vivo, escreveria mais um livro. Este dedicado ao que Mangabeira Unger e Júlio Olivar farão com a educação de Rondônia:  A PEDAGOGIA DOS DELÍRIOS E DO DECLÍNIO...

Ninguém em sã consciência consegue acreditar que pessoas sem nenhuma formação na área teriam capacidade para desvendar os segredos e as soluções para os graves problemas educacionais de nosso estado. E o que mais entristece  é saber que muitos dos pedagogos de verdade aplaudiram entusiasmados os delírios do “aloprado” Mangabeira, como se ele fosse o próprio Paulo Freire, na reunião que foi feita para “inovar” a educação. Em matéria governista publicada na imprensa Mangabeira ainda declara que atualmente o sistema de educação é “decoreba”, prova de que ele não conhece mesmo nada sobre nossas escolas, é um incompetente e fala por “achismo”, como se soubesse das particularidades de nossas escolas. Duvido que este indivíduo tenha visitado algum dia uma escola de Rondônia. O único local que o “pedagogo” Mangabeira conhece nesse estado são os corredores do hotel de luxo onde fica em Porto Velho, sem pagar nenhum centavo, pois tudo que ele faz ali é pago com o dinheiro dos contribuintes de Rondônia.

Com esses desmandos todos, fica realmente muito complicado para o governador Confúcio Moura se livrar de seus críticos, como eu. Estes fatos é que levam o governo a fazer até nota de “desabafo” na imprensa, como se isso transformasse as pessoas em cegos, teleguiados e nefelibatas... Que qualidade poderá  ter a educação, conduzida  por pessoas com o gabarito de Mangabeira e Júlio Olivar? Paulo Freire explica!
 

FRANCISCO XAVIER GOMES

Professor da Rede Estadual

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual