Terça-feira, 23 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Opinião

JESUS E OS SONHOS DE NATAL


 
Faustino  Vicente *

Família reunida, mesa farta e muitos presentes, este é o sonho de milhões de pessoas para a festa da noite de Natal. Há os que,mesmo podendo, dispensam essa forma de comemoração. Existem ainda aqueles que,embora desejassem,não participam pelas mais diversas circunstancias.Em qualquer das três alternativas é possível um Natal Feliz, desde que se tenha a consciência das reais,e sublimes,motivações que a data representa. Felicidade é, antes de tudo, estado de espírito.

A história, e a trajetória triunfal, do anfitrião natalino – Jesus Cristo – nos legou o poder supremo da espiritualidade – “a dimensão mais nobre do ser humano,que o move à transcendência”. Ela pode ser manifestada através de ações práticas dos dois mandamentos mais importantes: amar a Deus sobre todas as coisas e, semelhante a este, amar o próximo como a si mesmo.Esse grau de importância foi expresso pelo próprio Cristo,quando questionado a respeito. Na evolução espiritual encontra-se o segredo que harmoniza as necessidades humanas: saúde (física e mental), convivência familiar, relacionamento social, exercício profissional e condições financeiras. O equilíbrio entre esses fatores é decisivo para o nosso bem estar.

Devemos nos conscientizar que o responsável pela maior festa da cristandade,também sonhou,quando de sua passagem pela terra.Sonhou com um mundo de fartura para todos, tendo nos deixado a flora,a fauna e os recursos do solo e do subsolo.Sonhou,e pregou,a paz entre todos os povos do planeta azul.Sonhou com uma sociedade mais igualitária economicamente e mais justa socialmente.Sonhou com  a inexistência da discriminação,do preconceito e de qualquer tipo de exclusão social.Sonhou com a prática da fé, da esperança e da caridade – as três virtudes teologais – que podem ser  compreendidas pela leitura, e reflexão, dos textos bíblicos.

O Natal é uma oportunidade, a mais,para fazermos um balanço da nossa vida espiritual e para erradicarmos as “ervas daninhas”, que insistimos em cultivar em nossa mente – os sentimentos negativos.Podemos agregar valores se entendermos,definitivamente, que é dividindo que se soma.Os fundamentos do cristianismo não servem apenas para cada um de nós,mas podem ser aplicados em qualquer atividade humana,inclusive, na gestão empresarial.Visão,missão,princípios,normas de procedimentos e metas,elementos que ganharam status organizacional no século XX,constam nas Escrituras da forma explícita.

Entre as referências bíblicas encontra-se a construção da Arca de Noé (cf. Gênesis 6: 14 e 16) cujas especificações detalhadas nos fazem lembrar da ISO (International  Organization Standardization). Norma técnica internacional de certificação de qualidade assegurada. A ISO pode ser entendida como – escreva o que, e como você faz, e faça como você escreveu.Célebre,também, é a exemplar lição de planejamento estratégico revelada por José do Egito,administrador admirável, (cf. Gênesis 41: 37 a 45) podendo ser comparado  com o CEO (Chief Executive Officer) -  Presidente Executivo de hoje.Ele soube, com extrema competência, administrar os sete anos de fartura e os sete anos de escassez. As vagarosas e silenciosas passadas de Moisés pelo deserto, na caminhada à Terra Prometida,o colocaram na galeria de protagonistas históricos, pelos valores que ele agregou à gestão de recursos humanos. Ele pode ser considerado o pai da descentralização do poder e da gestão participativa (cf. Êxodo 18: 13 a 26).

Daniel,nomeado pelo Rei Nabucodonosor, governador de toda a província, administrou a então poderosa Babilônia,com a ajuda de seus três amigos: Sidrac,Misac e Abdénago. (cf. Dan.2: 48 e 49)  Ler, refletir e vivenciar os ensinamentos contidos na Bíblia são as referências que Jesus nos deixou para a conquista de qualidade de vida, de felicidade e da salvação eterna.

*  Faustino  Vicente  - Consultor de Empresas – e-mail: [email protected]  - tel.(11) 4586.7426 – Jundiaí (Terra da Uva) – São Paulo - Brasil

Gente de OpiniãoTerça-feira, 23 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Os 30 anos do Estatuto da OAB

Os 30 anos do Estatuto da OAB

Feliz do país que preserva, valoriza, respeita as nossas instituições, o regime democrático e a liberdade de expressão, independentemente das suas d

Porto Velho – a pior cidade para se viver!

Porto Velho – a pior cidade para se viver!

Mais uma notícia triste e, ao mesmo tempo, revoltante para nós portovelhenses, saiu no site o Antagonista. Porto Velho foi considerada a pior cidade

O perigo do “já ganhou”

O perigo do “já ganhou”

Na recente pesquisa eleitoral para a prefeitura de Porto Velho, a ex-deputada federal Mariana Carvalho aparece na frente com quarenta por cento das

A polarização do poder político envenena a atmosfera social alemã

A polarização do poder político envenena a atmosfera social alemã

O despertar do povo incomoda muita gente Na Alemanha e na França, elitistas e populistas não olham a meios na disputa do poder. Vive-se já numa so

Gente de Opinião Terça-feira, 23 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)