Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Energia

NOTA DE REPÚDIO: AUMENTO DA TARIFA DE ENERGIA


NOTA DE REPÚDIO: AUMENTO DA TARIFA DE ENERGIA - Gente de Opinião

Os setores do Comércio, Indústria, Serviços e Turismo, por intermédio da  Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Velho – CDL -, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae/RO, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Rondônia – FCDL -a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Rondônia – Fecomércio/RO -, a Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Rondônia – FACER; a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Abrasel/RO, a Associação Comercial de Porto Velho – ACEP, a Associação Comercial de Rondônia – ACR –, a Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB/RO -, o Sindicato das Micro e Pequenas Indústrias de Rondônia – SIMPI-,– , o Sindicato das Empresas de Segurança Privada de Rondônia – Sindesp–, o Sindicato do Comércio Atacadista de Rondônia – Singaro -, o Sindicato dos Atacadistas de Rondônia – Sindilojas-, o Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Rondônia – Sindhotel-, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino de Rondônia – Sinepe/RO,  assim como a  Câmara Municipal de Vereadores de Porto Velho repudiam veementemente o  reajuste de 25,34% da  tarifa de energia elétrica autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) em 11/12/18 e que entra em vigor a partir desta quinta-feira (13.12.18), em todo o Estado de Rondônia.

                  

Essas entidades e instituições que representam uma fatia significativa do setor produtivo de Rondônia, portanto, a que mais emprega e gera empregos e tributos ao Estado, consideram o aumento da tarifa abusivo e gerador de impacto negativo sobre a nossa economia, haja vista os desdobramentos deste reajuste nos custos operacionais das empresas, bem como no orçamento doméstico dos cidadãos como um todo.

O aumento nesse patamar é uma vergonha e supera todos os principais índices que regulam a economia, considerando como referência, por exemplo, o da inflação, que deve fechar o ano de 2018 em torno de 4,5%.

 Esse reajuste, logo após a privatização da Ceron para o grupo Energisa, é um indicativo preocupante, por sinalizar que os interesses privados e de alta lucratividade da concessionária de energia elétrica passam a sobrepor os limites do bom senso e os critérios de bem-estar e equilíbrio econômico e social da sociedade e do Estado.

As entidades e instituições ao reafirmarem o seu compromisso de trabalharem incansavelmente para que os direitos do setor produtivo e dos cidadãos rondonienses sejam resguardados, cobra das autoridades competentes e do grupo concessionário Energisa um reposicionamento referente ao aumento tarifário proposto, a fim de se fazer justiça ao povo rondoniense que hoje - apesar do uso do potencial hidrelétrico do Rio Madeira, via instalação das duas usinas hidrelétricas que produzem energia  para o Sul e Sudeste do Brasil -   tem, ironicamente, como contrapartida, continuar pagando uma das tarifas de energia elétrica mais caras do País.

 

Porto Velho, 12 de dezembro de 2018



Mais Sobre Energia

Setor de energia solar cria comissão de estudo para regulamentar e normatizar mercado nacional

Setor de energia solar cria comissão de estudo para regulamentar e normatizar mercado nacional

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) inicia esta semana os trabalhos de uma comissão de estudo com o objetivo de reforçar a qualidade, de

Suspensão indevida de fornecimento de energia elétrica gera indenização a consumidora em Ariquemes

Suspensão indevida de fornecimento de energia elétrica gera indenização a consumidora em Ariquemes

Nesta quarta-feira, 10, a 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Rondônia manteve a condenação da Energisa Rondônia no valor de 6 mil reais, em r

Deputados Alex Redano e Jair Montes compartilham experiência de investigação com a CPI da Amazonas Energia

Deputados Alex Redano e Jair Montes compartilham experiência de investigação com a CPI da Amazonas Energia

Ao receber a visita do presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia, deputado Alex Redano (Republicanos), e do relator da CPI da Energ

Proluz alcança 90% das comunidades rurais de Porto Velho com serviço de iluminação pública

Proluz alcança 90% das comunidades rurais de Porto Velho com serviço de iluminação pública

Nove em cada dez comunidades rurais de Porto Velho já contam com o serviço de iluminação pública. A marca chega após a expansão do Programa de Ilumi