Porto Velho (RO) terça-feira, 22 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Prefeitura de G.Mirim e MP firmam TAC para funcionamento do hospital Bom Pastor



O Ministério Público de Rondônia, por meio da Promotoria de Justiça de Guajará-Mirim, firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Município de Guajará e o Hospital Bom Pastor, com a finalidade de regularizar o funcionamento da maternidade do hospital, bem como promover assistência adequada à saúde de seus usuários.

O Termo de Ajustamento de Conduta é resultante de Procedimento de Investigação Preliminar, instaurado pela Promotoria, em que se apurou que o Município não estava fazendo os devidos repasses financeiros ao hospital, descumprindo cláusula de convênio celebrado com a unidade de sáude e, por consequência, inviabilizando o atendimento na maternidade.

Entre os termos acordados, foi estabelecido que o município de Guajará-Mirim quitará, junto ao hospital, o valor em atraso das chamadas produções (julho de 2009) e o do mês em curso até o dia 30 de setembro deste ano, mediante apresentação de comprovação, por parte da unidade. Também fará o pagamento regular do débito mensal, até o dia 10 de cada mês, devendo o hospital apresentar as produções até o dia 25 do mês antecedente. Eventuais atrasos na apresentação das documentações implicarão no atraso do pagamento observando o mesmo lapso temporal.

De acordo com o TAC, proposto pela Promotora de Justiça Luciana Nicolau de Almeida, o Município disponibilizará, a partir do dia 1º de setembro deste ano, uma enfermeira, a qual prestará serviços no hospital por 20 horas semanais, e um auxiliar de serviços gerais, o qual cumprirá o expediente de 40 horas semanais. No prazo de 60 dias, deverá, ainda, disponibilizar um técnico de enfermagem para prestação de serviços por 40 horas semanais. Ainda segundo o Termo, a vacinação dos recém-nascidos será de responsabilidade do município, devendo ser feita dentro do hospital.

A renovação do convênio com a unidade de saúde por mais um ano, ou até que as obras da maternidade municipal sejam concluídas, foi outro item previsto pelo Termo de Ajustamento de Conduta.

O descumprimento das condicionantes exigidas pelo TAC implicará em adoção de medidas judiciais relativas ao ato de improbidade administrativa e pagamento de multa pessoal pelos agentes responsáveis (prefeito municipal e secretária municipal de saúde), no valor de R$ 2 mil, mais multa diária de R$ 200. As multas eventualmente impostas deverão ser depositadas em favor do Hospital Bom Pastor e revertidas para suas atividades filantrópicas, de acordo com o Termo.

Fonte: Ascom MPRO/Juliane Bandeira DRT 808/RO  

Mais Sobre Municípios

Porto Velho: Sine tem vagas para pessoas com ou sem formação

Porto Velho: Sine tem vagas para pessoas com ou sem formação

Diversas vagas de emprego estão disponíveis no mercado em Porto Velho, conforme informa a página virtual do Sine Municipal. São postos para pessoas em

Equipes de obras realizam serviços em 11 bairros de Porto Velho

Equipes de obras realizam serviços em 11 bairros de Porto Velho

Equipes de obras da Prefeitura de Porto Velho seguem em ritmo acelerado nesta segunda-feira (14), com serviços estruturantes em 11 bairros. Elas reali

Presidente Alex Redano comemora o início das obras de asfalto do Tchau Poeira em Ariquemes

Presidente Alex Redano comemora o início das obras de asfalto do Tchau Poeira em Ariquemes

Em pleno domingo (13), foram iniciadas as obras de asfaltamento do programa Tchau Poeira, do Governo do Estado, em Ariquemes. O início dos trabalhos