Porto Velho (RO) terça-feira, 26 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Pagamentos atrasados motivam greve dos médicos em Guajará-Mirim


 
Cerca de quinze médicos estão em greve desde a última quarta-feira (15) no município de Guajará-Mirim. As principais reivindicações são salários atrasados há 25 meses por parte da administração municipal, falta de pagamento de insalubridade e falta de condições mínimas de trabalho nas unidades de saúde.

De acordo com o Diretor Clínico do Hospital Regional de Guajará-Mirim, José Rodriguez Andrade, apenas os atendimentos de urgência e emergência foram mantidos na principal unidade de saúde. “Tentamos negociar com a prefeitura, mas não conseguimos sucesso. A greve foi inevitável”.

Após três anos de inúmeras tentativas para resolver os constantes atrasos nos salários, junto à prefeitura municipal, os médicos decidiram parar as atividades. Segundo Dr. José Rodriguez, os médicos recebem os salários sempre após o dia 20 de cada mês, sendo que outros servidores públicos recebem no dia 10. Ele explica ainda a Lei Municipal aprovada na Câmara de Vereadores não é cumprida. A legislação determina o pagamento de insalubridade de 40% sobre o salário para quem trabalha no hospital.

O salário defasado também é motivo de revolta dos profissionais de saúde. Na capital um plantão de 24 horas custa cerca de R$ 1.500,00. Em Guajará-Mirim o médico recebe apenas R$ 840,00 reais bruto pelo mesmo plantão.

Outro grave problema motivador da greve dos médicos é a falta de estrutura no Hospital Regional de Guajará-Mirim. Os médicos denunciam que não há aparelho para exames de eletrocardiograma. O centro cirúrgico esta sem lâmpadas e com material instrumental antigo. A maternidade, única de cidade, esta inativa há 5 anos com uma obra que nunca foi concluída. Pacientes mais graves são encaminhados para hospitais de Porto Velho.

Negociação

Foram várias reuniões entre o Sindicato Médico e a Prefeitura de Guajará-Mirim para encontrar uma solução sobre os atrasos de salários, mas nada foi resolvido. Para o presidente do SIMERO, Rodrigo Almeida, falta vontade política das autoridades para resolver o problema. “A prefeitura não aceita negociar e é responsável pela situação em que se encontra o setor de saúde naquela cidade”, afirmou.

A greve dos médicos de Guajará-Mirim vai continuar por tempo indeterminado.

Fonte: Adão Gomes

 

Mais Sobre Municípios

Professores de Rolim de Moura são homenageados com Moção de Honra e Reconhecimento

Professores de Rolim de Moura são homenageados com Moção de Honra e Reconhecimento

Na manhã de segunda-feira (25), a Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SEMEC) em parceria com a Câmara de Vereadores em nome da Prefeitura de

Prefeitura e Saae participam da 3ª Semana das Engenharias na Fimca de Vilhena

Prefeitura e Saae participam da 3ª Semana das Engenharias na Fimca de Vilhena

Nesta segunda-feira o prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês, e o diretor geral do Serviço Autônomo de Águas e Esgotos (Saae), Faiçal Akkari, particip

Obras de saneamento recebe visita técnica do Conselho Municipal de Saneamento Básico de Ariquemes

Obras de saneamento recebe visita técnica do Conselho Municipal de Saneamento Básico de Ariquemes

Na tarde da última quinta-feira (22.10), representantes do Conselho Municipal de Saneamento Básico de Ariquemes, realizaram uma visita técnica às ob

Vilhena cresce mais que Estado e Brasil em 2020 e 2021 gerando empregos e abrindo empresas

Vilhena cresce mais que Estado e Brasil em 2020 e 2021 gerando empregos e abrindo empresas

O bom momento econômico de Vilhena fica evidente com relatórios emitidos pelo Ministério do Trabalho (MTE) e pela Secretaria Municipal de Fazenda (S