Porto Velho (RO) sexta-feira, 25 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

MP ajuíza ação de improbidade e dano moral por irregularidades em escola



O Ministério Público de Rondônia, por meio da Promotoria de Justiça de Ariquemes, ajuizou ação civil pública por ato de improbidade administrativa e por dano moral coletivo, com pedido de liminar de indisponibilidade de bens, em razão de diversas irregularidades praticadas por agentes públicos, pessoas físicas e jurídicas, na "aquisição de materiais de construção para ampliação da Escola de Ensino Fundamental Pequeno Príncipe", no município de Cujubim.

Diante das contundentes provas de irregularidades, o Ministério Público pede, em caráter liminar, a decretação da indisponibilidade dos bens de todos os réus da ação, até o valor, por réu, de R$ 136 mil, visando assegurar a reparação do dano ao patrimônio municipal e a cobrança de multa civil prevista no artigo 12 da Lei nº 8.429/92. 

Uma das inovações da ação foi o pedido de condenação de todos os envolvidos, ao final do devido processo legal, à reparação do dano moral sofrido pelos alunos vitimados pela não conclusão das obras de ampliação. A pena pecuniária, em caso de condenação, pode chegar à proporção de meio salário-mínimo por aluno matriculado àquela época, devendo o valor ser revertido a título de Fundo de Reserva da Escola Municipal Pequeno Príncipe de Cujubim, que deverá ser depositado em conta específica para ser gerida pela respectiva Associação de Pais e Professores (APP).

Entre os réus da ação estão o ex-prefeito do município, Oldemar Antônio Fortes, e Maria Ediméia de Andrade, que foram os responsáveis pela deflagração do processo de licitação com irregularidades consideradas insanáveis. De acordo com os Promotores de Justiça Átilla Augusto da Silva Sales e Nelson Liu Pitanga, o próprio objeto da licitação foi indevido, pois se tratava claramente de obra de ampliação de escola, enquanto o processo administrativo visou apenas a aquisição de materiais de construção.

Entre as irregularidades encontradas na obra estão a inexecução do contrato, superfaturamento, não-conclusão da obra e dano moral coletivo imposto aos alunos. Participaram da licitação as empresas Renascer Materiais para Construção Ltda., 11 de Julho Materiais de Construção e Distribuidora de Materiais para Construção Avenida Ltda., todas ligadas ao empresário Helder Pereira Bezerra, também réu na ação.

Fonte:  MPRO / Fábia Assumpção MTE/372/AL
 

Mais Sobre Municípios

Nove bairros de Porto Velho recebem obras de infraestrutura nesta quinta-feira

Nove bairros de Porto Velho recebem obras de infraestrutura nesta quinta-feira

Todos os dias, equipes de obras da Prefeitura de Porto Velho atuam no cumprimento das metas do projeto de urbanização da capital. O planejamento é fei

Saneamento avança em Ariquemes: empresa de saneamento conclui a primeira etapa de construção do novo reservatório de água tratada

Saneamento avança em Ariquemes: empresa de saneamento conclui a primeira etapa de construção do novo reservatório de água tratada

Garantir água com qualidade e regularidade é um dos principais objetivos da Águas de Ariquemes, atualmente, na área urbana do município mais de 93%

Professora da rede pública municipal de Ariquemes vence concurso nacional do projeto "Caminho das Águas"

Professora da rede pública municipal de Ariquemes vence concurso nacional do projeto "Caminho das Águas"

Com o filme "Todos Pela Água", a professora Gilvany Santos Batista da Escola Municipal Jorge Luiz Moulaz, em Ariquemes, foi a vencedora no concurso

Vilhena: Pago recurso destinado por Mariana Carvalho para compra de caminhão-pipa

Vilhena: Pago recurso destinado por Mariana Carvalho para compra de caminhão-pipa

A parceria entre a Deputada Federal Mariana Carvalho e o ex-Vereador Rafael Maziero segue gerando resultados positivos para Vilhena. Desta vez, a Pr