Porto Velho (RO) quinta-feira, 6 de maio de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Médica de Guajará recebe prêmio nacional


 Diretora do Hospital de Pediatria Maria Cravo Gama, em Recife, a médica Ana Amélia Araújo e equipe conquistaram o reconhecimento nacional pelo excelente trabalho desenvolvido no atendimento às crianças e à mãe acompanhante e ao aleitamento materno ao receberem, no mês passado, o 2º Premio Nacional Professor Fernando Figueira, concedido pelo Ministério da Saúde. 

“Este prêmio é fruto de uma conquista coletiva que vem sendo feita desde 2001 por toda a equipe da unidade hospitalar. Temos uma estrutura pequena, porém ousada na capacidade assistencial e organizacional, tendo em vista a grande demanda de usuários”, declarou emocionada a médica Ana Amélia, natural de Guajará-Mirim(RO), e que firma carreira na assistência à saúde materna e infantil. 

A entrega do prêmio ocorreu no Grand Hotel Bittar, em Brasília, e contou com a participação de representante do mandato da senadora Fátima Cleide, assessor José Fernandes Barros. Segundo ele, o prêmio é um reconhecimento aos estabelecimentos hospitalares integrantes do SUS que se destacaram em ações inovadoras de humanização do atendimento à criança e incentivo ao aleitamento materno. 

Localizado na Rua do Rosário, s/n, em Afogados, o Cravo Gama atende por mês a uma média de 6.000 crianças e adolescentes, provenientes, sobretudo, da Zona Sudoeste do Recife. Cerca de 70% desse contingente são menores de cinco anos de idade. As doenças respiratórias e intestinais constituem nos principais motivos de consulta. Além dos atendimentos de urgência, a unidade realiza internações, sendo a maioria de crianças com menos de cinco anos. Na área de promoção à saúde, o Cravo Gama oferece vacinação aos pacientes internados e às crianças atendidas na emergência. Desenvolve ainda o Projeto Fazer Crescer, que acompanha crianças menores de seis meses de forma individualizada durante o internamento, visando à redução da mortalidade infantil. 

Segundo a diretora Ana Amélia Araújo, a indicação ao premio, constituído de um certificado, um troféu e uma placa comemorativa aos vencedores, seguiu os critérios exigidos pelo Ministério da Saúde. Entre eles, fazer parte do Sistema Único de Saúde, ter 80% dos leitos pertencentes ao SUS, permitir a presença do acompanhante durante o internamento da criança e ter constituída e funcionando a comissão de análise de óbitos infantis. 

O hospital de Recife concorreu, na categoria Nordeste, com instituições da Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte, todas visitadas por comissão do Ministério da Saúde para avaliação. As outras unidades premiadas são: Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria (Bragança/PA); Hospital Santa Helena (Cuiabá/ MT); Hospital Guilherme Álvaro (Santos / SP) e Fundação Hospitalar Rio Negrinho (Rio Negrinho / SC). 

A premiação foi feita durante a VII Reunião da Comissão Nacional de Monitoramento e Avaliação do Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal e a Plenária da Rede Norte e Nordeste de Perinatologia. Durante o evento, foi divulgado um balanço da implementação do pacto em todo o país, como a qualificação de profissionais, realização de seminários estaduais, ampliação da Rede Nacional de Bancos de Leite Humano, ampliação da Política Nacional de Planejamento Familiar, entre outros. 

O Prêmio Fernando Figueira visa incentivar mudanças institucionais que garantem a humanização da assistência e a cidadania das crianças e de seus familiares, somando a outras iniciativas do Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal.
Professor Fernando Figueira 

Em 1960, o médico e professor da Universidade Federal de Pernambuco Fernando Figueira criou o Instituto de Medicina Infantil de Pernambuco (Imip), hoje conhecido como uma das maiores instituições do Brasil na área da assistência materno-infantil. O Imip foi instituição pioneira, ao garantir, na década de 70, a presença obrigatória das mães no acompanhamento hospitalar de seus filhos. Mesmo antes dessa iniciativa, o instituto permitia visitas diárias dos familiares, inclusive com horário livre para aqueles que residiam foram do Recife. Fernando Figueira também proibiu, durante a sua gestão como secretário de Saúde de Pernambuco, nos anos 70, a distribuição do leite em pó pelas indústrias alimentícias nas maternidades públicas, atitude adotada posteriormente pelos demais estados na União. 

Na década de 80, o médico instalou, ainda no Imip, o primeiro Banco de Leite Humano no Norte e Nordeste do país e criou o Centro de Incentivo ao Aleitamento Materno. As iniciativas de incentivo ao aleitamento materno e às práticas humanizadoras instituídas pelo professor Fernando Figueira levaram o Imip, na década de 90, a ser o primeiro hospital no Brasil a receber o título de Hospital Amigo da Criança, conferido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pelo Ministério da Saúde. 

Fonte: Mara Paraguassu

Mais Sobre Municípios

Iniciada as ações de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em Rolim  de Moura

Iniciada as ações de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em Rolim de Moura

A Secretária Municipal de Assistência Social de Rolim de Moura (RO) Sandra Miranda, informou que as ações para chamar atenção da sociedade rolimoure

ACR reivindica aumento do número de ônibus em Porto Velho

ACR reivindica aumento do número de ônibus em Porto Velho

A mais antiga e prestigiada associação comercial de nosso estado, a Associação Comercial de Rondônia-ACR, fundada em 30 de setembro de 1928, sob o n

Servidores da saúde de Porto Velho avaliam importância da rotina de dedicação

Servidores da saúde de Porto Velho avaliam importância da rotina de dedicação

O Dia do Trabalhador esse ano é diferente para muitos dos servidores do município de Porto Velho. A pandemia da Covid-19 mudou a rotina para quem atua

Internações por Covid-19 diminuem mais de 60% no Hospital Municipal de Ji Paraná

Internações por Covid-19 diminuem mais de 60% no Hospital Municipal de Ji Paraná

Nos últimos dias, o Hospital Municipal Dr. Claudionor Couto Roriz registrou uma queda de aproximadamente 60% no número de pacientes internados em tr