Porto Velho (RO) sábado, 23 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Grupo Águas de Ouro Preto sofre derrota na Justiça para a Caerd


 
A tentativa do Grupo Águas de Ouro Preto de se apoderar do patrimônio da Caerd em Ouro Preto D’Oeste esbarrou na Justiça. Por unanimidade a 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça rejeitou o Agravo de Instrumento n° 100.004.2008.005392-7 impetrado pela prefeitura de Ouro Preto do Oeste contra a Caerd. A prefeitura queria cassar a liminar que garantiu à Caerd o direito de continuar administrando o sistema de abastecimento de água de Ouro Preto em observação à Lei n° 11.445, de 2007.

Desde o dia 04 de novembro a população de Ouro Preto vinha sofrendo as conseqüências da privatização, que criou um caos no abastecimento de água à população.

O Sindicato dos Urbanitários (Sindur), vem lutando intensamente contra a dilapidação do patrimônio da Caerd. Na semana passada o Sindur, com apoio da CUT e sindicatos filiados, denunciou um esquema orquestrado pela prefeitura de Ouro Preto e pelo Consórcio Águas de Ouro Preto, que pertence ao Grupo Eucatur, para tomar as instalações da companhia.

“Está se questionando o processo de privatização na Justiça. O que não se pode admitir é que o grupo empresarial se apodere do patrimônio da Caerd, que é o patrimônio do povo de Rondônia”, disse Nailor Gato, presidente do SINDUR.

A direção do Sindur vem denunciando o verdadeiro “desmonte” que ocorre na Caerd, em prejuízo do povo de Rondônia.

“A discussão central deste processo, a exemplo de vários outros ocorridos neste Estado, diz respeito às necessidades da população quanto à prestação satisfatória dos serviços de água e esgoto. As mudanças instituídas pela Lei n. 11.445/2007 trouxeram uma série de inovações acerca das concessões dos serviços públicos”, diz trecho do relatório do Juiz.

O Juiz também revelou, em seu relatório, que há erros no processo de licitação. “...a instrução do agravo demonstrou haver irregularidades ainda mais graves cometidas pelo município agravante e que devem ser sanadas para ser considerada válida a outorga da concessão a terceiro”. “Os documentos juntados nos autos demonstram que o município agravante não efetuou o levantamento adequado das instalações ou dos investimentos efetuados pela agravada ao longo do tempo”, diz o relatório.

“Assim, baseado essencialmente nos elementos de prova juntados neste feito, bem como o prejuízo iminente aos interesses da agravada pela inobservância do agravante aos termos da lei de concessões, revogo o efeito suspensivo, de forma a revalidar a liminar concedida em primeira instância”, decidiu o Juiz Francisco Prestello de Vasconcellos, relator do processo.

Fonte: Ascom/SINDUR.

Mais Sobre Municípios

Vilhena cresce mais que Estado e Brasil em 2020 e 2021 gerando empregos e abrindo empresas

Vilhena cresce mais que Estado e Brasil em 2020 e 2021 gerando empregos e abrindo empresas

O bom momento econômico de Vilhena fica evidente com relatórios emitidos pelo Ministério do Trabalho (MTE) e pela Secretaria Municipal de Fazenda (S

Busca ativa é realizada para solucionar pendências de documentação à regularização de imóveis nos bairros Calama e Paraíso em Porto Velho

Busca ativa é realizada para solucionar pendências de documentação à regularização de imóveis nos bairros Calama e Paraíso em Porto Velho

A Prefeitura de Porto Velho encerra nesta sexta-feira (22), às 13h, uma ação de regularização dos imóveis localizados nos bairros Calama e Paraíso. O

Hildon Chaves defende a importância de projetos de sustentabilidade na Amazônia

Hildon Chaves defende a importância de projetos de sustentabilidade na Amazônia

O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, participou na quinta-feira (21) da 300ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração (CAS) da Superintendê

Complexo Beira Rio será sede da Prefeitura de Cacoal

Complexo Beira Rio será sede da Prefeitura de Cacoal

Visando por fim na antiga prefeitura no Centro de Cacoal, a atual administração está alterando a finalidade do Complexo Beiro Rio e levará, até o fi