Porto Velho (RO) segunda-feira, 10 de maio de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

FLONA DO JAMARI: Amorim e entidades recorrem a Justiça


Medidas judiciais estão sendo interpostas amanhã (8), para suspender o processo de concessão de uso da Floresta Nacional (Flona) do Jamari, por parte do deputado federal Ernandes Amorim (PTB), e de representantes dos eventuais beneficiários do empreendimento,  moradores dos municípios de Cujubim e Itapuã do Oeste.
O processo para exploração da Flona Jamari vem sendo conduzido pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB) – órgão do Ministério do Meio Ambiente –, segundo Amorim, de forma equivocada, imposta de cima para baixo, em total desrespeito a Lei de Gestão de Florestas Públicas que determina a realização de audiências com ampla divulgação aos envolvidos – moradores e interessados em participar do processo -; e “feito às escondidas” sem a participação das autoridades do Estado e, principalmente, da bancada federal.

Amorim vinha negociando a ampliação de prazos, como forma de assegurar a todos o direito de participação, mas nesta quarta-feira se viu obrigado a recorrer da Justiça, dado o tratamento “de estado periférico” dispensado pelo Serviço Florestal Brasileiro a Rondônia, sua gente e representantes.
É que o SFB havia concordado com as reclamações do deputado e adiado o prazo de publicação do edital de licitação da Flona para o dia 14 próximo – previsto inicialmente para 31 de outubro – e realizar novas audiências agendadas uma em Cujubim (8) e outra em Itapuã (9), mas novamente sem dar ampla divulgação do evento. “Nem na página deles na Internet tem o local e hora dessas audiências. O que temos solicitado é prazo e mobilização para que os envolvidos possam realmente participar da elaboração desse edital. Mas novamente vem às escondidas e querem validar de todas as formas o que foi feito apenas em gabinete. Por essa razão, fomos procurados por entidades para suspender esse processo na Justiça até que seja assegurado o direito de se discutir esse processo”. Amorim também procurou o governador Ivo Cassol (sem partido) que já se manifestou contrário ao processo e também determinou medidas judiciais para sustá-lo.
Em reunião ocorrida na Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), nesta quarta-feira, técnicos do SFB alegaram que tem dado publicidade das audiências via internet aos moradores de Cujubim e Itapuã do Oeste. “Onde que um colono tem acesso nessas localidades a Internet. Não se podem tratar coisas sérias dessa forma. Exigimos respeito e vamos buscá-lo na Justiça. Na página do órgão não consta nem local nem horário dessas reuniões. A de Porto Velho da mesma forma. Só a Justiça pode resolver essa questão”. Amorim afirma que, mesmo ser ter sido formamelmente convidado, participará das audiências, “pois temos muito a ajudar, propostas, e muitos porquês a serem esclarecidos”. 

Fonte: Yodon Guedes

Mais Sobre Municípios

Tarifa a R$1 no transporte coletiva começa a valer na segunda-feira (10)

Tarifa a R$1 no transporte coletiva começa a valer na segunda-feira (10)

No próximo domingo (9), encerra o prazo de gratuidade da tarifa no transporte coletivo em Porto Velho. A partir de segunda-feira (10), até o dia 9 de

Iniciada as ações de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em Rolim  de Moura

Iniciada as ações de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em Rolim de Moura

A Secretária Municipal de Assistência Social de Rolim de Moura (RO) Sandra Miranda, informou que as ações para chamar atenção da sociedade rolimoure

ACR reivindica aumento do número de ônibus em Porto Velho

ACR reivindica aumento do número de ônibus em Porto Velho

A mais antiga e prestigiada associação comercial de nosso estado, a Associação Comercial de Rondônia-ACR, fundada em 30 de setembro de 1928, sob o n

Servidores da saúde de Porto Velho avaliam importância da rotina de dedicação

Servidores da saúde de Porto Velho avaliam importância da rotina de dedicação

O Dia do Trabalhador esse ano é diferente para muitos dos servidores do município de Porto Velho. A pandemia da Covid-19 mudou a rotina para quem atua