Porto Velho (RO) quinta-feira, 1 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Municípios

Dengue faz seis vitimas fatais em Ouro Preto e epidemia avança sem controle


 
A dengue continua a fazer vitima no município de Ouro Preto do Oeste, na última terça (12/01) a adolescente Kethelyn Mienke Valentin, 12 anos, veio a óbito no Hospital Municipal de Ji-Paraná após a confirmação que atestou choque hemorrágico e insuficiência homeopática. 

A vitima foi medicada no último sábado (09/01) no Hospital Municipal de Ouro Preto, o médico plantonista (o nome não foi revelado pela direção do Hospital), medicou e liberou a adolescente que na madrugada do dia 12/01 foi levada as presas pelos seus pais para o Hospital Municipal de Ji-Paraná e veio a óbito ainda na manhã do mesmo dia.

O setor de epidemiologia da secretaria municipal de Saúde de Ouro Preto do Oeste, confirmou que já houve seis óbitos com suspeitas de dengue hemorrágica o que vem preocupando as autoridades no município.

A diretora administrativa do Hospital Municipal Ivone Vicentin, disse que diariamente são atendidas cerca de 120 pessoas e na sua grande são pessoas com sintomas de dengue.

“Temos 68 leitos sendo que na quase sua totalidade estão ocupados com pacientes com sintomas da dengue”, disse Ivone Vicentin que confirmou diariamente são encaminhadas pessoas para Ji-Paraná e Porto Velho.

O médico Ricardo Dias Ilivi especialista em doenças tropicais explicou O tratamento desde os primeiros sinais de febre, a hipótese de dengue deve ser cogitada e o acompanhamento médico passa a ser muito importante.

Nos casos das crianças, Dias ressalta que esse acompanhamento, tanto médico quanto familiar, precisa ser redobrado, pois na infância a evolução para complicações ocorre de forma abrupta. A mesma atenção deve ser dada a pessoas com quadros especiais, idosos e de gestantes.

O médico também ressalta que no período "pós-febre" a atenção tem que ser redobrada. Segundo o profissional, os primeiros sintomas de dengue hemorrágica aparecem depois que a febre é controlada.

O médico enfatiza que, além do acompanhamento profissional e do uso de paracetamol e dipirona com receita médica, a hidratação é a parte mais importante do tratamento, principalmente quando a febre passa. "A hidratação precoce é o melhor remédio e deve ser intensificada depois da febre. Ela ajuda no prognóstico, evitando o choque hipovolêmico. Pode ser suco, água de côco ou qualquer outro líquido".

A Dengue Hemorrágica é uma doença grave e se caracteriza por alterações da coagulação sanguínea da pessoa infectada. Inicialmente se assemelha a Dengue Clássica, mas, após o terceiro ou quarto dia de evolução da doença surgem hemorragias em virtude do sangramento de pequenos vasos na pelo e nos órgãos internos. A dengue hemorrágica pode provocar hemorragias nasais, gengivais, urinárias, gastrointestinais ou uterinas.

Na dengue hemorrágica, assim que os sintomas de febre acabam a pressão arterial do doente cai, o que pode gerar tontura, queda e choque. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte.

Fonte:  Gazeta Central / Alexandre Araujo

Mais Sobre Municípios

Semana do Trânsito: Comitê encerra atividades comemorativas

Semana do Trânsito: Comitê encerra atividades comemorativas

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), coordenadora do Comitê Municipal de Segurança Viária, realizou na última sexta-feira (25) o encerramento d

Nota Pública - Paralisação do transporte urbano em Porto Velho

Nota Pública - Paralisação do transporte urbano em Porto Velho

A Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), informa que foi confirmada a paralisaç