Porto Velho (RO) terça-feira, 15 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Cremero denuncia uso de medicamento chinês sem registro para atender a população



O hospital público de Guajará-Mirim está utilizando medicamentos provenientes da China, sem nenhum controle por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e colocando em risco a saúde da população. A denúncia é do Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero), depois de fiscalizar o funcionamento do hospital na semana passada e recolher amostras dos medicamentos para serem encaminhados a Vigilância Sanitária e ao Ministério Público, com os devidos pedidos de providências.

De acordo com o conselheiro federal do Cremero, Hiran da Silva Gallo, que também é diretor-tesoureiro do Conselho Federal de Medicina, a constatação de que a saúde pública de Guajará-Mirim está utilizando medicamentos da China para medicar a população é um escândalo e precisa ser apurada com rigor pelas autoridades competentes. Entre outras irregularidades, o conselheiro aponta a suspeita de pirataria que recaem sobre a maioria dos produtos que se dizem da China e a falta de informação sobre a autorização da Anvisa para utilização desses remédios.

Hiran Gallo alerta que caso não se comprove os procedimentos legais para liberação desse remédio, a população está correndo sério risco. "Caso algum paciente venha a ter complicações por conta do uso desses remédios, os gestores públicos deverão ser responsabilizados e penalizados", apontou o diretor do CFM, levantando suspeita quanto aos procedimentos para aquisição desses medicamentos.

Durante audiência na última segunda-feira, 20, no Ministério Público, a presidente do Cremero, médica Inês Motta, e o conselheiro Hiran Gallo solicitaram providências investigatórias para apurar a procedência do remédio e a modalidade de licitação que a Prefeitura do Município e a Secretaria Municipal de Saúde estão adotando para aquisição do produto.

Nos relatórios produzidos pela fiscalização do Cremero constam ainda várias outras irregularidades, como a contratação de médicos sem registro no CRM, insuficiência no atendimento ao público e falta de pagamento aos profissionais da saúde.

Nesta quarta-feira, a presidente do Cremero, Inês Motta, e o diretor do CFM, Hiran Gallo, voltaram a se reunir no Ministério Público, onde foram recebidos pelo procurador-geral de Justiça, Ivanildo Oliveira. Também participaram da reunião o secretário estadual de Saúde, Milton Moreira, o prefeito de Guajará-Mirim, Atalíbio Pegorini, e o Secretário Municipal de Saúde, Clezio Lobato. 

Fonte: Ascom/Cremero

Mais Sobre Municípios

Equipes de obras realizam serviços em 11 bairros de Porto Velho

Equipes de obras realizam serviços em 11 bairros de Porto Velho

Equipes de obras da Prefeitura de Porto Velho seguem em ritmo acelerado nesta segunda-feira (14), com serviços estruturantes em 11 bairros. Elas reali

Presidente Alex Redano comemora o início das obras de asfalto do Tchau Poeira em Ariquemes

Presidente Alex Redano comemora o início das obras de asfalto do Tchau Poeira em Ariquemes

Em pleno domingo (13), foram iniciadas as obras de asfaltamento do programa Tchau Poeira, do Governo do Estado, em Ariquemes. O início dos trabalhos