Porto Velho (RO) domingo, 24 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Caerd reassume sistema de Ouro Preto após reconsideração da Justiça


 
O Juiz José Antônio Barreto acatou o pedido de reconsideração formulado pela Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) para que a estatal reassuma o sistema de abastecimento de água em Ouro Preto D’Oeste. Na mesma decisão, fixou em 60 dias o prazo de transição para que todo o sistema seja repassado para a nova controladora, a empresa Águas de Ouro Preto, que adquiriu a Caerd de Ouro Preto em um processo de privatização.

Na terça-feira (04/11), o mesmo Juiz havia concedido liminar no processo 004.2008.006164-4, determinando a posse imediata do patrimônio da Caerd pela empresa privada, o que gerou um caos imenso no sistema de fornecimento de água para toda população. O colapso resultou na suspensão de aulas, falta de água em presídios, hospitais, bombeiros, comércio e residências. Diante da gravidade da situação, o juiz revogou parcialmente a Liminar nesta quinta-feira (06/11).

Com a nova decisão da Justiça, a Caerd reassumiu imediatamente a gestão do sistema e restabeleceu em 24 horas a normalidade no fornecimento de água na cidade. O juiz determinou que durante os 60 dias de transição os técnicos da empresa Águas de Ouro Preto acompanharão toda a operacionalização da rede, para se capacitarem na gestão do fornecimento de água. Após este período a empresa privada assumiria o patrimônio estatal.

Entretanto, a Caerd já ingressou com varias medidas judiciais questionando o processo de privatização. Alem disso, o Sindicato dos Urbanitários (Sindur), que representa os funcionários da estatal, já mobiliza a categoria e denuncia à sociedade a ilegalidade do processo de privatização que, inclusive, já tem determinação do Tribunal de Contas do Estado para que seja anulado. A assessoria jurídica do Sindicato também estuda medidas para barrar esse processo ilegal de entrega do patrimônio publico, hoje avaliado em R$ 50 milhões, para a iniciativa privada.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), divulgou nota publica questionando a postura do prefeito de Ouro Preto, Brás Rezende (PMDB), que tenta, segundo a Central, auxiliar uma empresa privada a tomar o patrimônio publico, sem estabelecer antes como e quando ele será indenizado. Ao mesmo tempo a prefeitura deve aproximadamente R$ 1,5 milhões e não demonstra qualquer interesse e pressa de pagar a dívida, o que possibilitaria investimentos para melhorar os serviços prestados à população.

Fonte: Ascom - CUT/RO


Mais Sobre Municípios

Vilhena cresce mais que Estado e Brasil em 2020 e 2021 gerando empregos e abrindo empresas

Vilhena cresce mais que Estado e Brasil em 2020 e 2021 gerando empregos e abrindo empresas

O bom momento econômico de Vilhena fica evidente com relatórios emitidos pelo Ministério do Trabalho (MTE) e pela Secretaria Municipal de Fazenda (S

Busca ativa é realizada para solucionar pendências de documentação à regularização de imóveis nos bairros Calama e Paraíso em Porto Velho

Busca ativa é realizada para solucionar pendências de documentação à regularização de imóveis nos bairros Calama e Paraíso em Porto Velho

A Prefeitura de Porto Velho encerra nesta sexta-feira (22), às 13h, uma ação de regularização dos imóveis localizados nos bairros Calama e Paraíso. O

Hildon Chaves defende a importância de projetos de sustentabilidade na Amazônia

Hildon Chaves defende a importância de projetos de sustentabilidade na Amazônia

O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, participou na quinta-feira (21) da 300ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração (CAS) da Superintendê

Complexo Beira Rio será sede da Prefeitura de Cacoal

Complexo Beira Rio será sede da Prefeitura de Cacoal

Visando por fim na antiga prefeitura no Centro de Cacoal, a atual administração está alterando a finalidade do Complexo Beiro Rio e levará, até o fi