Porto Velho (RO) terça-feira, 7 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Mundo - Internacional

Ban Ki-moon pede rapidez sobre armas químicas


Da Agência Lusa

Nova York - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, pediu hoje (1º) ao chefe da missão de peritos, Ake Sellstrom, que esteve na Síria, para acelerar a análise das amostras recolhidas no local de um possível ataque com armas químicas.

"Dada a terrível dimensão do incidente de 21 de agosto em Ghouta, perto de Damasco, [Ban Ki-moon] pediu ao dr. Ake Sellstrom para acelerar a análise das amostras e das informações que a missão obteve e para comunicar os resultados logo que possível", disse aos jornalistas o porta-voz da ONU, Martin Nesirky. Sellstrom, que está em Haia (Holanda), falou hoje com Ban Ki-moon.

As amostras recolhidas na Síria pelos peritos que investigam o possível ataque com armas químicas serão entregues aos laboratórios competentes a partir de amanhã (2), indicou o porta-voz. "Os preparativos para catalogar as amostras continuam e a partir dessa segunda-feira começam a ser entregues aos laboratórios", disse Martin Nesirky. Segundo ele, dois responsáveis sírios vão acompanhar o processo.

O porta-voz recusou-se, mais uma vez, a avançar com uma data concreta para a divulgação das conclusões da investigação da ONU, que vai depender dos resultados das análises laboratoriais. Segundo a Organização para a Interdição de Armas Químicas, com sede em Haia, as análises podem demorar três semanas.

Nesirky lembrou que "todo o processo ocorrerá em conformidade com as mais estritas normas de verificação". Ontem (31), a ONU reiterou que não vai tirar qualquer conclusão sobre a utilização de armas químicas na Síria antes do resultado das análises.
 

Mais Sobre Mundo - Internacional

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisa mostra características de pessoas infiéis

Pesquisadores de universidades americanas sugerem que os potenciais infiéis têm um perfil: Apresentam níveis educacionais e financeiros acima da méd

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

O minério Niobium da Amazônia brasileira desperta cobiça internacional por ser estratégico para as indústrias

Quem pensa que o presidente francês Emmanuel Macron foi o primeiro presidente de uma potência europeia a questionar a soberania brasileira sobre a 

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Suicídio - OMS alerta para adoção de estratégias de prevenção

Dos 183 países integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38 pesquisados pelo organismo, entre eles o Brasil, contam com uma estratégia