Porto Velho (RO) segunda-feira, 30 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

PREÇOS DOS PRODUTORES AUMENTAM ATÉ 150%


 

Os preços pagos aos produtores rurais de Rondônia vêm crescendo significativamente nos últimos anos. Levantamento realizado pelas equipes técnicas da Secretaria de Estado da Agricultura, Produção e Desenvolvimento Econômico e Social (Seapes) revela que os ganhos de rendimento aumentaram em até 20% a cada ano, em todas as principais culturas - arroz, feijão, milho, mandioca, café e soja. A valorização também foi registrada nos principais produtos pecuários - da arroba do boi gordo ao litro de leite resfriado.

A saca de arroz de 60 kg, por exemplo, passou de R$ 21,72 em 2005 para R$ 23,94 em 2006, alcançando os R$ 33,93 em agosto do ano passado - o que representa um incremento de 56,21%. O feijão foi cotado em 2004 a R$ 59,76, em 2006 fechou em R$ 58,01 e alcançou os R$ 61,11 em 2007 - ou 5,34% a mais.

O café da variedade Robusta, que espalha-se por mais de 90% dos cafeeiros de todo o Estado, foi negociado em 2004 a R$ 109,65 a saca de 60 kg. Saltou para R$ 123,79 em 2005, R$ 145,59 em 2006 e, no ano passado, chegou aos R$ 186,87 – o que representa uma valorização de 70,42% no período.

Mesmo o milho, que é comercializado em patamar menos elevado, apresentou variação de preços positiva para o produtor. A saca passou de R$ 13,57 em 2002 para R$ 15,31 em 2005 e chegou a R$ 19,58 no ano passado, ou 44,28% a mais no cômputo geral.

Leite e carne - Segundo Marco Antonio Petisco, secretário titular da Seapes, um dos maiores ganhos no setor pecuário foi observado no preço pago à vista pelos frigoríficos pela arroba do boi gordo: ela chegou ao mercado por R$ 36,41 em 2002, por R$ 40,46 em 2005 e, em dezembro passado, fechou em R$ 53,04 - um ganho de 45,67%.

Digno de nota também foi o desempenho do leite “in natura”, principalmente após a efetiva entrada em vigor, a partir de 2007, da Instrução Normativa Nº 51/2002, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que obrigou toda a cadeia produtiva a adequar-se a novos padrões de segurança sanitária, entre eles o mais importante o armazenamento e transporte em tanques refrigerados.

De apenas 23 centavos, pagos em 2002, o preço passou para 36 centavos em 2005 e, em outubro do ano passado, no auge da entressafra, o valor alcançou 57 centavos – uma valorização de 147% em cinco anos.
 
Fonte: A/I SEAPES

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre