Porto Velho (RO) quinta-feira, 2 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Meio Ambiente

Agricultores podem renegociar dívidas do microcrédito rural


 
 
Em Porto Velho, Candeias do Jamari e Ji-Paraná,
agricultores estão impedidos de contratar o Pronaf B

 
Desde o primeiro trimestre deste ano os agricultores de Porto Velho, Candeias do Jamari e Jí-Paraná estão impedidos de contratar novos empréstimos de Pronaf B, também conhecido como microcrédito rural, devido ao elevado índice de inadimplência das operações contratadas nesses municípios. Para mudar essa situação, o governo federal está oferecendo alternativas como a renegociação da dívida e a elaboração de um plano de recuperação desses créditos através dos conselhos municipais de desenvolvimento rural.

O Pronaf B é uma linha de microcrédito rural voltada para a produção e geração de renda das famílias agricultoras de mais baixa renda do meio rural. Oferece recursos de pequenos valores, de forma simplificada, para  pequenos investimentos em atividades agrícolas e não agrícolas como compra de pequenos animais, artesanato, implementos para fabricação de alimentos, caixas de abelha etc.

Para renegociar a dívida, o governo federal elaborou a Medida Provisória 432 que concede condições de renegociação em qualquer modalidade de crédito rural, incluindo o Pronaf B. Isso vale para os municípios onde as operações estão suspensas e para todo o estado de Rondônia. O agricultor precisa ir ao banco até 30 de setembro de 2008 para assinar um termo de adesão, guardando sua cópia. No momento da assinatura do termo o agricultor não precisa pagar nada, mas até 30 de dezembro de 2008 o agricultor terá que pagar 1% para ter direito ao prazo a mais ou ainda, em alguns casos, pagar tudo que falta com um desconto especial de 10% além do desconto normal.

Plano de recuperação

O delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) em Rondônia, Olavo Nienow, disse que para os bancos voltarem a operar com essa linha de crédito nesses municípios é necessário que as prefeituras, através dos conselhos municipais de desenvolvimento rural, elaborem um plano de recuperação desses créditos.

 "Esse plano é uma importante medida articulada para resolução das causas que levaram à suspensão de novas contratações", explicou Nienow. A delegacia do MDA (DFDA) colocou à disposição uma equipe técnica local como apoio às prefeituras que ainda não formataram este plano. A DFDA tem prazo até 15 de agosto para informar à Brasília as medidas tomadas pelos executivos municipais.

Fonte: Jeanne Machado

 

Mais Sobre Meio Ambiente

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Acordo de R$ 2,7 milhões na Justiça do Trabalho viabilizará projetos sustentáveis em Presidente Médici/RO

Um acordo no valor de R$ 2,7 milhões homologado pela Justiça do Trabalho em Ji-Paraná/RO beneficiará projetos sustentáveis que visam o tratamento e re

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

Rio Madeira ultrapassa os 15 metros, dois a menos que em 2019, afirma Defesa Civil

O rio Madeira atingiu na segunda-feira (9) a cota de 15,24 metros, um pouco acima da média (15 metros), mas longe de uma enchente como a registrada em

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

Prefeitura de Porto Velho alinha medidas para a realização do Amazônia + 21

O prefeito Hildon Chaves se reuniu no Prédio do Relógio (sede do poder executivo) na manhã desta segunda-feira (09), acompanhado do secretário adjunto

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Policiais Militares do Batalhão Ambiental participam de oficina sobre Crimes Ambientais de Menor Potencial Ofensivo

Sessenta Policiais Militares do Batalhão de Polícia Ambiental, de todo o Estado, participaram na manhã desta sexta-feira (28/2) da Oficina sobre