Porto Velho (RO) terça-feira, 17 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Lente Crítica

União dos Estudantes diz que omissão de entidades como OAB contribuiu para absolvição de vereadores


 

 União dos Estudantes diz que omissão de entidades como OAB contribuiu para absolvição de vereadores - Gente de Opinião

Djanio Ferreira (em pé, falando aos estudantes) critica a absolvição dos vereadores

Atendendo ao chamado da União Rondoniense dos Estudantes Secundaristas (Ures) centenas de alunos das escolas públicas e particulares de Porto Velho devem tomar as ruas da capital nos próximos dias para, num ato pacífico, protestar contra a decisão da Câmara Municipal, que absolveu os cinco vereadores envolvidos e citados na Operação Apocalipse da Polícia Civil.

O presidente da Ures, Dejanio Ferreira de Sousa, representando os estudantes do ensino médio de todo o Estado, afirmou que há uma insatisfação geral com o resultado da votação do relatório do vereador Léo Moraes na Câmara de Vereadores e, por isso, convocará o manifesto. Para o líder estudantil, os vereadores foram paternalistas, protegendo seus pares, e as entidades organizadas foram omissas ao não se manifestar contra o que ele chamou de impunidade.

Argumenta Dejanio Ferreira que uma entidade com a história de luta como a OAB tem, ao lado de outras entidades representativas, não pode e não deve se omitir de ajudar a sociedade a se ver livre de políticos como os vereadores envolvidas nas denúncias da Operação Apocalipse. “É dever das entidades organizadas se oporem às decisões e ações que contrariem o interesse da coletividade. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) é uma das entidades que devia ter se posicionado contra esse protecionismo político que ocorre na Câmara de Vereadores”, acentua. Dejanio lembrou que até um passado bem recente era normal ver a OAB promovendo ações em favor da cidadania e contra a corrupção, como a lavagem da calçada da Assembleia Legislativa, para pedir punição aos deputados denunciados como envolvidos na ‘Operação Termópilas’ ou realizando mobilização em favor da aprovação do projeto da ficha limpa. “A OAB, no passado teve uma atuação forte em favor da sociedade, quando ela se omite toda a comunidade lamenta”, reitera.

Para o líder estudantil, o resultado da sessão que votou o relatório do vereador Leo Moraes, que pedia a cassação pelo menos de um vereador, causou indignação em todos os populares que se dignaram a presenciar a votação. “A impressão que ficou é a de que houve complô para que o número de votos para cassação não fosse atingido. Não compreendo como pessoas públicas envolvidas em crimes podem continuar impunes. Há inquérito policial e denúncia do Ministério Público, como podem ser inocentes?”.

Fonte: União Rondoniense dos Estudantes Secundaristas


 

Mais Sobre Lente Crítica