Porto Velho (RO) terça-feira, 17 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Lente Crítica

FÉRIAS NA LUA – TÔ AQUI NO BEM BOM!



Por Altair Santos (Tatá)
                                    

FÉRIAS NA LUA – TÔ AQUI NO BEM BOM! - Gente de Opinião                          

Com pedido de licença ao nosso admirado Chico Buarque: “meus caros amigos me perdoem, por favor!” Quero, em sofreguidão, me desculpar com todos vocês por não tê-los avisado do meu repentino sumiço por uns dias. Sinto saudades de vocês, mas é que tudo se deu muito em cima da hora.

Aproveitei uma promoção relâmpago, naquele foguete chinês que veio pro espaço e parcelei um pacote com preço bastante atraente. A bordo do pinga pinga espacial vim parar aqui na lua! Quase sem grana e cansado dos bares e outros atrativos de Porto Velho, decidi investir num pacote alternativo, possível ao meu anêmico e combalido poderio financeiro. Assim, vim dar uns bordejos neste bairro alto, pra conhecer o lugar e fazer novos amigos!

Daqui, as boas que vos mando dizem do lazer e outras curiosidades da região. Já andei bastante, gastei o que não tinha e nem sei como vou voltar, talvez de carona nas asas do homem pássaro! Até agora, algumas coisas me agradaram, outras não. Por exemplo: as ruas daqui parecem muito com as daí, inclusive tem uma, que de tão parecida, fui seduzido a tirar os sapatos e senti-la, pisá-la com os pés descalços, como sendo este chão o meu solo pátrio, algo muito parecido com a Rua onde mora o jornalista Carlos Caldeira, em Porto Velho, ali pras bandas do Bairro Cuniã, vocês conhecem né?

Por curioso, isso se deu sob o olhar reprovador e ao arbítrio punitivo de São Jorge que, enfurecido e dando uma de guarda da SEMTRAN daqui, me chamou de seboso e tascou uma baita e merecida multa por imundice. Além disso, cumpro pena prestando serviço comunitário varrendo a poeira lunar. Ufa, ainda não saí da sala! Aliás, São Jorge além de morador ilustre é autoridade maior na cidade. Seu cavalo é meio de transporte ecologicamente correto.

À noite, antes do descanso merecido, o Santo Guerreiro aluga o animal a preço de euro. Uma voltinha no lombo do “cavalo” sai caro pra “burro”! Ele não só monopoliza o transporte, como também, é dono dos bares e botecos do pedaço. O padroeiro do Corinthians ganha uma boa grana com isso! Mas ele é um cara legal e boto fé, ele resolve!

Aqui nem tudo são flores digo, estrelas. Como bem podem atestar - e as fotos não mentem jamais - esse amigo de vocês foi alvo do clic dum paparazzo, quando estava muito à vontade, vestido em roupa casual, num típico sábado lunático, como vejam: após o expediente comercial, descontraidamente a folgar tomando umas e outras, apreciando a paisagem bem na ilharga da cratera 40 (Ops! Qualquer semelhança é mera coincidência!!!) e vivendo o idílio do doce atendimento e atenção da Jorgete, uma atraente e fulminante bar girl, sobrinha do plenipotenciário São Jorge. Há quem diga – e eu acredito – que ela é cobiçada até noutras cidades da região como Marte, Vênus, Saturno e demais paragens penduradas aqui pelo espaço!

Cá entre nós, a Jorgete é dona de beleza ímpar, detentora de uma geografia física onde repousam generosas e elogiáveis sinuosidades (as curvas) e outros predicativos aqui impublicáveis, em respeito a essa missiva aberta. Tais atributos da moça, por mim tímida e injustamente apequenados, em consórcio com sua eloqüência e educação matriz, lhe confere a patente de musa do samba e dos sambistas daqui. É uma rara flor estelar de singular perfume. Por merecido e muito mais, ocupa o posto de Rainha inconteste da bateria dos Acadêmicos da Lua Cheia, cujo presidente, carnavalesco, mestre de bateria, diretor de harmonia, é ele o sangue bom do São Jorge, igual a alguns presidentes “faz tudo” de certas escolas de samba daí de Porto Velho.

A fatal e encantadora e Jorgete é o colosso feminino do espaço, sereia a nadar no mar de constelações, colírio para os olhos embaçados pela poeira cósmica. Se morasse na terra, seria essa ninfeta, a tecla play da tara irrefreável e desmedida dos turistas e moradores, mas também seria o objeto da repulsa, do ciúme maior e da reprovação implacável de esposas, amantes, casos, biscates, noivas e namoradas daí de baixo. Noutras, Jorgete seria um sexy-meteoro que colidiu com a terra. Seria!

E como verbalizado, tão linda e tão bela, ela estava aqui comigo, na mesa do bar, numa boa, sem neura, no maior trololó e coisa e tal, até o caldo entornar!

Em meio ao êxtase da contemplação, ao mel da paquera com a quase seduzida diva interplanetária, eis que pra cortar o barato, surge do nada, à minha frente, a espantosa porra de uma destoada dupla sertaneja lunaversitária. Os caras me alvejaram a alma, bagunçaram o meu o juízo e o da moça também, ao cantarem repetidamente o tal arrocha, mamãe passou açúcar em mim e, eu quero tchu eu quero tcha, dentre outros hits do bagaço musical nacional, que nasceram na terra, emporcalharam tudo aí pelo chão, subiram pelos ares e empestaram até a lua, além de contaminar outros espaços e ameaçar a segurança e tranqüilidade da paz serena do céu, o paraíso celestial.

Sobre isso, São Pedro de pronto, mandou ultimato a São Jorge para que contivesse a invasão perigosa, sob ameaça de uma incontrolável diarréia cultural intergaláctica. Em acontecendo, pode vir ele, trancar de vez as portas do paraíso e todos, doravante, terem de hospedar-se em definitivo (quando morrerem) lá nos quintos dos infernos, aí por perto da terra. Sacanagem né?

Os bares daqui vendem uma boa cervejinha e o cardápio nos restaurantes, assim como nos botecos, só tem um tipo de oferta: carne de dragão em diferentes preparos. Toda manhãzinha, São Jorge pega sua lança, monta o cavalo e vai com seus magarefes da Fazenda Dragolândia, na zona rural da lua, abater dragões e abastecer as casas do ramo.

Os chefes mais afamados e especializados na culinária desses enormes lagartos sugerem, pra acompanhar uma “gela”, a famosa “patinha de dragão com risoto de estrelas”, huummm não tem sabor de nada! Pra levantar a moral na ressaca, a pedida é caldo de pinto (pinto de dragão), já pensou? Aos domingos, no churrasco entre amigos é costela de dragão na brasa.

As estações da lua, da forma como são conhecidas aí na terra, não refletem a realidade daqui. Lua cheia, Lua Nova, Quarto Crescente e Quarto Minguante são as regiões do lugar. É o mesmo que zona leste, zona norte, zona sul, etc. Os puteiros, os cabarés, os motéis e inferninhos ficam todos no bairro Lua Nua, pelo nome, pense na esculhambação! São Jorge se nega até em passar perto, já chamou eleição para a escolha de uma subprefeitura que assuma e organize aquela imensa Sodoma e Gomorra do cosmo. Não me perguntem como, mas o favorito disparado das pesquisas pra ganhar o pleito é um tal de Capiroto, primo legítimo do Cão, também apelidado de Capeta. Quem financia a campanha é o próprio e maquiavélico parente infernal.

Cão disse na TV que só não entra na disputa porque está impopular e inelegível aqui nessas bandas e com seus direitos político cassados e tostados nas brasas do inferno. Ele cometeu o desatino de borrifar enxofre nas ventas do povo no último réveillon. Todo mundo ficou “noiadin noiadin” a ponto de alguns dizerem que o cavalo de Jorge  galopava acima do limite de velocidade, cruzando sinal vermelho, cantando pneus, quer dizer, patas, além de dar coices em quem fizesse cavalo de pau. Afinal, cavalo aqui só ele!

Em andança por aqui descobri que o balneário fica pertinho e se chama Banho de Lua, o Hospital Psiquiátrico tem o nome de “No Mundo da Lua”, a joalheira é “Lua de Prata”, dieta da lua aqui não existe e o prato das vaidosas tem o formato de quarto minguante, é bem menor. Quando da prática de atos obscenos, os despudorados ficam “de bunda pra lua”, Será papai??? 

Em vias de finalizar essas mal traçadas linhas, chegou convite pra visitar um canteiro de obras na comunidade. Lá, qual foi minha surpresa? Deparei com uma frente de trabalho fazendo uma operação de melhoria urbana, um tapa buracos! Hummm!!!!! Duvido saberem quem eu vi por lá, trabalhando sem cessar! Rumm, deixa pra lá! Antes da volta mando outra cartinha e, se possível, umas fotos desses operários de quem falei.

Peço a quem receber esta, retransmitir aos meus queridos amigos e amigas da pátria facebook!

Daqui da Lua, um abraço a todos!

Do amigo Tatá.

tatadeportovelho@gmail.com

Mais Sobre Lente Crítica