Porto Velho (RO) quinta-feira, 30 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

História

Um crime negociado

GRILAGEM DE TERRA PUBLICA E DEPREDAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO; A UNIÃO DESSES DOIS CRIMES DESGRAÇAM QUE HÁ ANOS ESTÁ ACABANDO COM, O PRINCIPAL MARCO DA HISTORIA DO BRASIL (MUNDIAL) A ESTRADA DE FERRO MADEIRA MAMORÉ.


Um crime negociado  - Gente de Opinião

VERGONHA: NÃO chores por mim Rondônia, coitada de Rondônia.

O acordo foi fechado por dois milhões  de libras esterlinas e a construção da estrada de ferro Madeira Mamoré. em terras publicas brasileiras.

Que em 1903- Brasil e Bolívia assinam o TRATADO DE PETRÓPOLIS, ficou concretizada a aquisição (compra) do espaço boliviano do Acre para o Brasil.  

Um crime negociado  - Gente de Opinião

O embaixador Barão Rio Branco ao lado do senador boliviano  Fernando Genchalla, (foto Museu de Petropolis) em Petrópolis, entre autoridades do Brasil  e Bolívia, negociam a compra do ACRE. O acordo foi fechado por dois milhões  de libras esterlinas e a construção da estrada de ferro Madeira Mamoré. em terras publicas brasileiras. 

 


 

Louis Victor Schwartzkopff

Um crime negociado  - Gente de Opinião

O ano da despedida, 1971 – Com a noticia de desativação da ferrovia Madeira-Mamoré, anunciava: Seus dias estavam contados pelo regime militar extinção feita pela ditadura, que se instalou em 1964, o mundo volta seu olhar para a região do alto Madeira. preocupado com a desativação da ferrovia Madeira=Mamoré. e. eram, 22, quatro  locomotivas de fabricação Alemães - Louis Victor Schwartzkopff e dezoito, as locomotivas Americanas –Baldwin Locomotive Works, percorriam a trajetória ferroviária na estrada de ferro Madeira-Mamoré.

e...Localizaram em Porto Velho

Daí, os Alemães procuraram localizar no mundo a raridade que existia...que não foram destruídas pela Guerra Mundial, de 1939 a1945, e sim, encontraram, em Porto Velho, em 1971 as Louis Victor Shawartzkopff. E a partir daí passaram ser as estrelas mundiais. Suas imagens se espalharam para a Alemanha e para o mundo. As três  locomotivas fabricadas na Alemanha, em 1936 da fabrica  Louis Victor Shawartzkopff, localizadas na EFMM, chegadas aqui, importadas por Getúlio Vargas, chegando em Porto Velho em 1938. Demoraram mais de um ano da Alemanha para para chegar  na Amazônia, para cruzar o atlântico.

 Por ultimo, veio para Madeira-Mamoré, uma única, chegou posteriormente, Portanto existem quatro locomotivas alemãs fabricadas na Shawartzkopff. 

 

          No cinema a ferrovia Madeira-Mamoré  para o mundo, cineasta dirige ferroviários e a ferrovia Madeira Mamoré

“ LUZ, CÂMARA E AÇÃO”

inicia Grita o diretor, em alemão, as primeiras cenas de filmagem... rodar! É dinamarquês/ alemão do autor do livro de Christian Kaasberg, presente naquele grande cenário. o escritaor de”Djxrevelens Jernbane – Enrejse i Amazonas historie”. O Ano de 1995, no pátio ferroviário da estrada de ferro Madeira Mamoré, Amazônia, Brasil.

Um crime negociado  - Gente de Opinião

Naquele Momento o tempo parecia apagar-se, á intensidade do sol de 10 horas do dia, com a neblina para integrar-se a locomotiva, a sirene e a 18 apitam Juntos para dar luz por ela própria e destacar, a fumaça da Luis Victor Shawartzkopff. Lagrimas e emoção...

Um crime negociado  - Gente de Opinião

Os ferroviários postam-se, para serem mostrado ao mundo, espontâneos, rostos marcados, competentes, simples. Não sabiam que suas vidas eram conhecidas no mundo. Começava a interpretar um “escript” que só os ferroviários saberia interpretar, sobre a ferrovia a vapor mais importante do século vinte. Heráclito Rodrigues, interpretava o seu próprio papel....como um nobre. A como um ator experiente, os cineastas, imprecionados. Ali estava um poeta,um intelectual, escritor, um sábio.. foto Evandro Lopes.

 

PONTE ARTE DE PERIQUITOS, poderia ser a de RIBEIRÃO, ARARAS, BANANEIRAS, registrada na FERROOVIA DO DIABO obra prima de Manoel Rodrigues ferreira, em 1959 (foto Manoel R. Ferreira – ferrovia do diabo)

Um crime negociado  - Gente de Opinião
Um crime negociado  - Gente de Opinião

Mas...

PONTE PIRIQUITOS, foto de Alan Erick, Um furo fotográfico. Arrancada da estrutura da via permanente ferroviária e. Atirada à ribanceira, ao lago da hidrelétrica da hidrelétrica de JIRAU. É atirada  e o eleito  deputado de Guajará Mirim ...aliás O MUMIA paralítica “deputado Dr. NÃO SEI O QUÊ”, titulo que é usado para angariar VOTO ao fazer algumas consultas medicas, para se se reeleger  eternamente como deputado estadual.  



Um crime negociado  - Gente de Opinião

RETA DE ABUNÃ,  com aproximadamente 60 km, a maior reta ferroviária do mundo, em torno da vila Presidente Marques Abunã, 220 km de Porto Velho.

Um crime negociado  - Gente de Opinião
Um crime negociado  - Gente de Opinião

A RETA maior do mundo, ao lado de Abunã, em destaque:  Estação Ferroviária

Deram “peia” no servidor municipal em Abunã

Sentindo-se lesados os moradores deram uma surra no elemento colocado como administrador da vila. Chamavam de “peia”. Fizeram justiça na base do chicote. Mas chegando em Porto Velho, segundo o Morador Antonio Veras, a policia soltou, a mando do prefeito Roberto Sobrinho.

Abunã? Veio a tona mais esse escândalo....PREDIO DA ESTAÇÃO onde esta a maior reta ferroviária do mundo e, onde foi a parte mais difícil da construção da ferrovia do diabo. Seus moradores , tem procurado a resistir o assedio que tem se abatido sobre  sobres os moradores da bucólica vila. Lutaram como destemidos pioneiros. É Preciso lembrar o caso um morador de Abunã, foram despejados da Vila, ele Antonio Veras, veio a depressão, e morreu de tristeza. Ela, Nicinha foi morta....misteriosamente. Defendiam com unhas e dentes, sua terra seu ambiente.

Um crime negociado  - Gente de Opinião
Um crime negociado  - Gente de Opinião

TRILHOS ARRANCADOS DA VIA PERMANTE NA RETA DE ABUNÃ, ROUBAM 20 KM DE TRILHOS, A CARCAÇA DE UM TROLEY, ERA USADO PARA O TRANSPORTE, DAS PEÇAS HISTÓRICAS, ERAM  VENDIDAS POR 0,75 CENTAVOS DE REAL. ANTONIO VERAS DE ABUNÃ E JOSÉ EVARISTOS DE MELO, MAQUINISTA, FIZERAM A APRENSÃO DE ALGUMAS PEÇAS DOS GATUNOS. AVISANDO A PF  2008

 

Os moradores de Abunã, conseguiram prender o administrador da vila, Ele, roubava trilhos de 1908 da EFMM, na reta do Abunã, vendia, para um atravessador, por 0,50 centavos de real. Sentindo-se lesados os moradores deram uma surra no elemento administrador, chamavam de “peia”. Fizeram justiça na base do chicote. Mas chegando aqui a policia soltou, a mando do prefeito. Depois veio a perseguição aos moradores, vinha de todos os lados, a região é violenta. Mataram a Nicinha e até um Juiz, dizem que foi um acidente.  

Os crimes que vem sendo apontados contra o meios ambiente e também contra o maior marco histórico de Rondônia e nacional. Esses crimes desgraçam há anos o dito acervo. Foram denunciados ao Ministério Publico, na esfera federal e estadual... Mas como diz  aquele ditado: “COLOCARAM UMA RAPOSA PARA TOMAR CONTA DO GALINHEIRO.” Realmente

Os muitos desmandos, milimetricamente planejados, inicialmente por um sistema de desinformação que estão sendo direcionados para a DESTRUIÇÃO definitiva da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, feitas pelo aparelhamento de agentes públicos dentro de instituições honrosas, é tão perversos, com a omissão e até participação, dos Poderes Constituídos da República, não como está ocorrendo agora, CONTRA  a maior referencia de um povo, com isso, está sendo vilipendiado, impensado, como em uma chacina mortal, que nas DITADURAS, que infelicitaram o país.

Um altar profanado e saqueado

10 DE JULHO

A desativação da estrada de ferro Madeira-Mamoré, em 10 de julho de 1972. E a reativação por exigência popular aatraves de movimentos populares que atendeu  o governador Jorge Teixeira de Oliveira. Em todo Brasil, para a reativação  foi um grito, quando as locomotivas começam  a partir de 1980, o que era esperança voltou ser realidade.  Em Porto Velho e Guajará Mirim. Foi o “... Amanhã será outro dia....”É retomada as viagens na ferrovia.

O começo do processo de destruição da estrada de ferro Madeira-Mamoré e do meio ambiente, na região do alto Madeira, foi no começo do novo milênio, mais precisamente em 2004, foi um ataque planejado, de forma aparentemente invisível, por uma organização (criminosa), capaz de corromper, aparelhar, instituições honradas, muito mais alterar a constituição e destruir a ferrovia Madeira Mamoré. Um plano audacioso arquitetado, para manipular parte do poder executivo, legislativo, principalmente parte do judiciário, SPU, IPHAN e, curadorias de meio ambiente do MPF e MP RO.

EIS que... surge a misteriosa lei Cassol, (Testone/Neodi) nº 1776/ 2007 , embora escondida, teve um papel fundamental e, a ferro e a fogo, introduzida a “mobilidade de Rebanho por contágio”  para ser contaminado, pelo silencio, pela omissão, como o plano para matar brasileiros, pela praga da Covide 19... Há, 10 anos antes. para silenciar,  a fazer a implantação das Hidrelétricas de Santo Antônio e JIRAU no alto Madeira.

Presume-se, a lei cassol nº 1776/2007 foi apenas um dos instrumentos, mas o PLANO INVISÍVEL quem são os autores ? Mas foi implantado, a partir de um prefeito do interior, completamente desconhecido, um caipira, elege-se misteriosamente foi governador de Rondônia a partir de 2003.

Presume-se que seria completamente impossível a construção de REPRESAS para hidrelétricas, inclusive o aumento das COTAS, para  submergir toda a região, inclusive a EFMM. no rio Madeira, entre Porto Velho e Guajará Mirim...”e calados...”como no Chico city.

Implantado no peito e na raça, mas, não valeu o impedimento pelas leis ambientais, Constituição de Rondônia (1989) e o Tombamento federal em 2005 (IPHAN 1220-T-87).

 

   Auschwits é aqui... e o apito da sirene

 

 MAÇARICDO NA HISTORIA DE RONDONIA “Não vi ação tão perversa como essa na EFMM, nem na ditadura militar”. (Rondôniaovivo.com). 27 de janeiro  de 2020. Putz....

Um crime negociado  - Gente de Opinião

Dói, aliás é desesperador, ouvir a CIRENE da EFMM, anunciar a conquista do CRIME... SIM; PERDEMOS A BATALHA mas, a guerra não acabou.

Ocorre agora, contra a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, como aconteceu em Auschwits, Campo de Concentração na Áustria, segunda Guerra Mundial,  onde se destruía o patrimônio de homem. Além da reputação, da honra e a desconstrução das pessoas, sua identidade, viabilizam a chacina final, é a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, de seus defensores e pensadores, nos reduziram a PÓ ! Nos tiram o que lhe restou, das marcas do que restou na ferrovia do diabo e que desconhecem a  luta popular do povo de Rondônia, que representa para o seu resgate e o surgimento do Ministério Publico dentro da nova constituição brasileira.

 

Que um jogo de força invisível, iniciado no começo do novo milênio  que objetivava o domínio e uso da máquina governamental no Estado de Rondônia, do silencio da população,  a partir do governo de Rondônia  iniciado em 2003 a 2010. Ignorando a essa Carta Maior, o Tombamento do IPHAN,  e as leis que protegem o patrimônio histórico artístico nacional em Rondônia. Em 2007, Naquela, da calada da noite, oportunidade foi abortada a LEI nº 1776/2007 – “lei Ivo Narciso Cassol/ Neodi Oliveira/ Alex Testoni e Assembleia Legislativa”. a CONSTITUIÇÃO de Rondônia em seu artigo 264, acrescentado em seu inciso 1° foram violados.  Foi aí, quando se tornou oficial, uma guerra contra um povo inocente. 

 

 

                            OFICINAS FERROVIÁRIAS Destruição bilionária

Um crime negociado  - Gente de Opinião

Oficinas Ferroviárias  anexo a Rotunda três edificações ainda original  em funcionamento.. A Ferrovia do Diabo, de M. R. Ferreira -  Edição 1959.

 

A Inconstitucionalidade referida, viabilizaria uma ação não republicana, impor o silencio, antecipou a anunciado pela CIRENE, da no pátio ferroviário, a nos torturar diariamente, acionada do gabinete do ódio. Aconteceu bem antes aqui... Seria A IMOBILIDADE DE REBANHO PARA CONTAGIO...o contágio foi não reagir, ficar omisso, ficar indiferente aos aos danos contra nossa cultura e contra nossa raça. Estão nos matando, não reagimos. 

Uma fraude, contra o meio ambiente e contra o patrimônio histórico nacional em Rondônia, implicaria no desmente da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, e em seu lugar submergido os trilhos históricos,  por grandes lagos artificiais, águas represadas nas cachoeiras e corredeiras do rio Madeira (Santo Antonio e JIRAU).  Todo o seu monumental acervo histórico, desmontados e destruídos e comercializado como ferro velho; chama atenção diante existência de um Nessa situação inclui-se até procuradores e promotores, de defesa da cidadania e do meio ambiente do patrimônio cultural do MPE e MPF.

     A Memória do Processo cientifico e calculo para  memorial descritivo para ferrovia a vapor, usado na MADEIRA-MAMORE, a mais importante no inicio século vinte, destruída no inicio do terceiro milênio, por ORCRIM infiltrada em parte dos poderes constituídos.

Um crime negociado  - Gente de Opinião

DESTRUIÇÃO

Oficinas Ferroviárias e,  todo um processo cientifico e cálculo e  memorial descritivo, criminosamente destruídos,  da mais importante a vapor do mundo , por tratores, pá carregadeiras, rolo compressor pela ORCRIM, para ser transformada em shopping de Camelô. Foto de MANOEL COELHO DE 2017. 

 

Que toda e qualquer reação que visasse exigir justiça contra crimes, do Meio Ambiente e o Patrimônio Histórico, na região do alto Madeira, passaram ser imediatamente silenciados e violentamente reprimidas, com a humilhante “Promoção de Arquivamento” pela procuradora de Meio Ambiente, MPF, que veio de Tabatinga AM,

 

 Os variados tipos de perseguição, Desde Prisões e ameaças, contra o autor que denunciou deia 25 de abril de 2014, oedudi justiça contra os criminosos: a UNIÃO, ESTADO DE RONDONIA, PREFEITURA, DE PORTO VELHO, IPHAN, IBAMA, SANTO ANTONIO ENERGIA, pedido a condenação, fomos atendidos, dessas instituições honrosas da republica.  preservadores, e a retirada de trabalhos profissionais como arquiteto e urbanista, foi o que aconteceu com o  autor dessas simples palavras;

Como morreu Antonio Veras de Abunã? Como Mataram NICINHA, também da região de ABUNÃ. O crime contra ela foi para a impunidade. Mas antes de desaparecer misteriosamente, responsabilizou o meio ambiente do MPF, as hidrelétricas, entre outros.  Ate  Um Juiz federal passou ser ameaçado, passou ser vigiado, ele silenciou depois das enchentes de 2014, rolou solto.

Daí foi paralisados trens, desmonte das Oficinas Ferroviárias, desmonte do Museu ferroviário da EFMM, despejo do Museu de Imagem e Som Madeira Mamoré;

 Que a Lei Cassol 1776/2007, favorecia a desconstrução da honra, reputações e desconstruir valores dos pensadores de  Porto Velho e de lideranças  que ao longo dos anos tem cumprido o Papel Instituído defensores pela Constituição Federativa do Brasil e tombamento. Presume-se que poderia ser a força autor da  lei 1776/2007 que reconduziu a funcionaria/do MPF ao cargo que fora, demitida por RODRIGO JANOT. De forma estranha, o companheiro da mesma ter ido para companhia geológica do Brasil, e quando  no alto cargo, permitiu o aumento das COTAS das hidrelétricas com o apoio da “ALE” 

Os preservadores, a AMMA não conseguiu se aproximar, apenas entregou um manifesto, de denuncia contra os infratores do meio ambiente QUE FORAM CONDENADOS.

                ...Um juiz vigiado

Um juiz vigiado- Introspectivo, consciente,  aa receber a denuncia da  AMMA, naquele 25 de abril de 2014, ainda com as marcas da LAMA na Cel Church e, diante o assédio traiçoeiro, contra o magistrado, mesmo assim veio a JUSTIÇA  de Dimes, que condenou os  os criminosos denunciados, Presumimos o porque não continuou a defender a EFMM, com precisão a justiça, foi levado.  Assim como os membros da AMMA.  

Um crime negociado  - Gente de Opinião

Um crime negociado  - Gente de Opinião

Talvez não Percebesse o constrangimento imposto.               

         ORCRIM INVISOVEL E OS EXECUTORES....

 

Cercado traidores;;;Entre  falsários, “fantasiados de ferroviários”, estavam e agentes públicos  completavam a farsa, orquestração do IPHAN, SPU, DER, DNIT, CAU. Serviço Geológico do Brasil,  Ibama, Prefeitura de Porto Velho (comprou a peso de ouro levado o quadro municipal, os agentes  que praticaram ação não republicana, Governo de Rondônia, Santo.Antonio Energia., estava ali os executores, uma macabra, uma orquestração que viabilizou um crime contra a CONSTITUIÇÃO de RO, e o Tombamento da EFMM. Um dos mentores da fraude da desfiguração do complexo na primeira imagem à esquerda....

 

Atrás  o de chapéu, junto a sua facção, saqueou em Abunã, do Bate Estaca, do Cemitério de locomotivas, do Museu ferroviário, do Complexo Ferroviário, a direita. o RECEPTADOR à direita,, trazido de Minas Gerais, fabricou, com protótipos roubados, uma boneca estilo  de uma “Maria Fumaça” colocado no inicio da av. Jorge, Teixeira (espaço alternativo.  crime elegeu um deputado federal- o inexpressivo, um diretor do DER). Foto:ManoelCoelho

Fabricados pela ORCRIM INVISIVEL, os EXECUTORES, da violação da Constituição pós a efeito a destruição do Meio ambiente e a Estrada de ferro Madeira-Mamoré.

 

Juiz Dimes Braga, Naquela manhã de 25 de abril de

 2014, depois que baixa as alagações, naquele mar de lama, surpreendeu, Abre-se um respiro de alivio. O Juiz ao receber as denuncias, Algum tempo depois veio a DECISÃO. Com as condenações pelos crimes aos instituições infratoras, contra o meio ambiente e a estrada de ferro Madeira-Mamoré. Condenados: SANTO ANTONIO ENERGIA, PREFEITURA DE PROTO VELHO, GOVERNO DE RONDONIA, IBAMA, INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTORICO E ARTISTICO NACIONAL, IPHAN, UNIÃO (SPU), na corte especial de Brasília, TRF 1, foram condenados.

 

 

 Os pilantrosos, com o aval do IPHAN, SPU, dos curadores do meio ambiente, comercializaram pequenos vagões, locomotivas, cortadores á maçarico de plataformas de vagões e troleys, vendidas às siderúrgicas de São Paulo. Espertos... Aprovado a mutilação do pátio ferroviário. “cotas”, para o aumento das represas de JIRAU, esses, ao burlar a lei,  são içados,  a peso de ouro, pelo município.     Constituem um bando.  Cortaram Baldwin locomotive works   de locomotivas alemãs, montaram uma “Maria fumaça”, alguns barbadianos que se apresentavam da descendente da nobreza britânica ou ferroviários que construíram a EFMM: mentiram.

   Depois que uma “raposa passa a dominar a cena,. direcionar e....”

 

Mas, o juiz vigiado, foi estrategicamente afastado (ou se  afastou) do caso. Essas condenações aos criminosos,  foram habilidosamente, transformados em prêmios, fomos ludibriados.  O juiz SILENCIOU, aliás foi afastado habilmente e a rabosa rapidamente dominou.

 

Vagão da EFMM, na península dos Ministros

Um crime negociado  - Gente de Opinião

Vagão, que virou Ateliê Betty Bettiol  na Penúnsula dos Ministros e também outro vagão  exposto em posto de gasolina chamado “”estação 23”,  até recentemente estavam em Brasilia, Aparicio de Carvalho era vice governador e secretário de saúde, Bettiol era secretário  de Educação Tinha faculdade em Rolim de Moura.  Bettiol. Aparicio Carvalho, Faculdades FIMA, em Porto Velho.  Foto Henry Boero

 

 

     Um altar profanado e saqueado

 

O comando da organização, colocou estrategicamente, comando da ações não republicanas, no domínio da cidade e no domínio burlar de Constituição...em postos estratégicos.

 

Um ex- promotor de Justiça e uma ex- procuradora em Tabatinga-Amazonas. Ele segundo a Corregedoria do MP, “...não servia  para ser promotor” não entramos em detalhes”...(Rondôniaovivo.com) é  o atual prefeito de Porto Velho reeleito (rondoniaovivo.com). Ela, que foi demitida... por ações não republicanas do MPF, onde atuava em tabatinga Amazonas. Volta ao cargo, forças poderosas e estranhas, da Lei Cassol, 1777/2007. insconstitucional. por decisão judicial um escândalo nacional. Mas, readmitida. Pelo poder político e força da função da vitaliciedade. Mas,  porque Rondônia? na Curadoria de Meio Ambiente, presume-se, as estreitas  relações grupo político e  ao estranho vitaliciedade que ampara aos procuradores de justiça  e promotores de justiça MPF ( ou MPE) em Rondônia.

Com toda certeza, esses membros, são conhecedores das leis que protegem o rico patrimônio histórico de um povo. São obrigados a ser guardiões. Não estamos de falando de heresia.  Um procurador de Justiça ou um promotor de Justiça, conhecem os mecanismos da honrosa função na instituição que é o Ministério Público,  deveria estar a serviço da proteção da cidadania, liberdade  e fazer cumprir as Leis e a Constituição e. tem a FUNÇÃO à defesa daqueles direitos, individuais e sociais  indisponíveis a defesa da ordem jurídica – defesa do regime democrático de direito é, interesse público, essencial  em muitos casos, a oportunidade de estar como um juiz,  Ao fazer decidir sobre a “Promoção de Arquivamento” de as centenas de DENUNCIAS feitas pela AMMA, pelos   CRIMES ao meio ambiente e a EFMM. Foram estrategicamente para a impunidade. Abuso de Poder e prevaricação pela funcionária do MPF, na caso da EFMM,  Feita pelo autor desse artigo.

 

that destroys on the RAILWAY... “ …AMONG otherscandals and crimes committed by the "criminal organization.

                       

           Entre a ignorância e a soberba


 RONDONIA É RORAIMA: ONDE FICA ESSE LUGAR?

 

FARINHA DO MESMO SACO

 

Enganaram, até o enrolado ministro turismo. Que aparentemente parecia interessado em visitar a maior referencia mundial de ferrovia a vapor do século XX e o forte Príncipe (da Beira). Mas embaraça-se sem saber onde ficaria.


Coitada de Rondônia
. Para que servem 8 deputados federais e 3 senadores, para que servem? São como múmias, paraliticas. Sabemos que são ociosos, e sequer representam os interesses do Povo dessa no Congresso.

“...terra sem limite onde tudo se admite...”

Quando compareceu o Ministro do Turismo  na CPI da Câmara dos deputados, dia 8 de julho, após estar neste Estado, sem duvida, para visitar o acervo cultual e do patrimônio histórico da região. Putz...veja a joia, a impressão do soberbo Ministro turismo falou què:

 “... estive num município, fronteira da bolivia (o nome?), La visitei o Forte Príncipe da Ribeira...”  ,, 

Essa é uma discussão entre pergunta feita por um deputado e a resposta soberba do ministro,  e aqui?...

..

Deviam ter sido mais honestos, deveriam ter levado o Jesualdo, Gisele e Hildon para explicar aquela marmota revitalizada Na Madeira-Mamoré..

Um município perto da Bolívia. Disse .... Não se conteve. Disse “Rondônia será colocada no mapa do turismo nacional....que envolve a estrada de ferro Madeira Mamoré.”

 

Sem ter sido, usado o grandioso Teatro Rondonia, o  CORONEL  MARCOS ROCHA da linha estúpida, “terrivelmente evangélico”, junto ao seu secretário de Cultura, ajuda derrivelmente destruir a cultura de Rondônia do Estado, e o acervo do museu  ao relento, um crime.



IMPUNIDADE

 

O desembargador  Souza Prudente do TRF 1, ou Dimes, desembargador e juiz,  precisam saber, as jogadas rasteiras, o que foi o ocorrido para desmontar a decisão do TRF 1  pelos CRIMES praticados pela Prefeitura, Estado de Rondônia, IPHAN, UNIÃO. IBAMA, SANTO ANTONIO ENERGIA contra o meio ambiente e o patrimônio histórico...  Desconhecia a condenação pelos crimes contra o meio ambiente e a ferrovia Madeira Mamoré praticados pelos entes públicos, Prefeitura, Estado de Rondônia .  IPHAN, UNIÃO, ESTADO DE RO, as hidrelétricas, da submersão da EFMM,

PONTE DE PERIQUITOS, as lesmas de deputados, não se interessam, pelo seu triste fim, jogada a ribanceira  e arrastado Mortos da Candelária, que envolve todos esses.. que  esta sendo posto em prática, um processo criminoso que vem destruindo a estrada de ferro Madeira Mamoré, segundo a AMMA essas denuncias foram Levadas a Curadoria de Meio Ambiente... e “Promoção de “Arquivamento”, ela PREVARICOU....Realmente, a sirene continuar a destruição da Maior referencia de uma ferrovia a vapor no Mundo.

Um crime negociado  - Gente de Opinião

A Ferrovia do diabo

O saudoso escritor Manoel Rodrigues Ferreira, 94 anos,  em imagem com o autor Luiz Leite de Oliveira, 2009, o escritor nos doa, toda sua obra cientifica e produção intelectual, fantástica, que está em Porto Velho, para compor parte do Acervo do MUSEU DE IMAGEM E SOM ESTRADA DE FERRO MADEIRA MAMORÉ. Trilhos e Sonhos (Dream And Tracks) Esse acervo se soma, de valor incalculável, aos doados, pelo  Museu de Nova York, da Madeira Mamoré Raiway Societ, da Inglaterra, Dinamarca, Áustria, Alemanha, Museu Paulista, etc. revisão do célebre livro A FERROVIA DO DIABO, em 2004, autorizou Luiz Leite de Oliveira, a contribuir e escrever aquela ultima  edição histórica. E solicitou que fosse redigido os fatos criminosos, e os gestores, que praticaram atos  que ocorreram  na ferrovia naquele inicio do milênio, devido ao cumprimento da importante missão de escrever a verdade, Manoel deu a oportunidade a Luiz Leite a estrear mundialmente como escritor. Infelizmente FURNAS  e Santo Antonio Energia, apropriaram indevidamente 80 % dos Livros, esse roubo dos originais enviados do livro da EDITORA MELHORAMENTO, impediu a população não tivesse a oportunidade de ser distribuído ao publico.

Agradecimento ao Apoio de pesquisadores

Evandro Lopes (Rio)

Chrstian Kaasberg (Dinamarca)

Martin Cooper (Inglaterra)

Germano Bello (Guajará Mirim))

Alan Erick (Vila Nova/ Vila Murtinho)

Manoel Coelho (Porto Velho)

Erivelton Kuger (Candeias do Jamari)

Henry Boero (Porto Velho


Luiz Leite de Oliveira, Autor do caboclo, estudou  UNB Universidade de Brasília, Diplomado em arquitetura e urbanismo é arquiteto e urbanista, Pesquisador do patrimônio histórico na Amazônia, Professor Fundação Educacional do Distrito Federal, Diretor de teatro, autor do filme DRAMS AND TRACKS – Trilhos , e sonhos, nasceu no seringal “Nova Síria” São Carlos do Jamari/Manicoré.

Observação: DESPEJO pelo coronel Marcos Rocha e o Pastor secretário da cultura.... Contra a sede do MUSEU DE IMAGEM E SOM ESTRADA DE FERRO MADEIRA MAMORÉ. Trilhos e Sonhos (Dream And Tracks).