Porto Velho (RO) sexta-feira, 15 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

História

O forte que levou o nome do Príncipe da Beira


 
Nas escolas, ao se perguntar quem seria esse tal “Príncipe da Beira” (CLIQUE E VEJA FOTOS), que deu nome a um famoso forte dos primórdios da colonização rondoniense, os jovens escolares jamais poderiam imaginar que, se o príncipe entrasse naquele exato momento em sua sala de aula, talvez pudesse ser confundido com seus colegas de classe. O nobre talvez se denunciasse pelo sotaque lusitano, pois d. Afonso de Santa Maria de Bragança, que reivindica hoje o título de Príncipe da Beira, tem 13 anos, nasceu e vive em Portugal. 


Saiba Mais

09/07/2009
REAL FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA: RONDÔNIA COMEÇA AQUI

19/08/2009
UM OLHAR SOBRE A NOSSA MURALHA (O REAL FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA) 

08/12/2007
FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA: Após 225 anos, Guardião do Guaporé pode ser restaurado
Em 1734, quando nasceu Maria Francisca Isabel Josefa Antónia Gertrudes Rita Joana, futura rainha portuguesa que enlouqueceu e mandou Tiradentes à forca, seu avô, o rei João V, tinha como principal diversão gastar fartamente o ouro e as pedras preciosas que seus súditos extraíam do solo brasileiro, construindo obras inúteis e espalhafatosas. Exatamente no ano em que sua neta Maria nasceu, filha do futuro rei d. José I, o rei João V instituiu o título de Príncipe da Beira, que passaria a ser conferido ao primogênito do herdeiro presuntivo da Coroa de Portugal. O herdeiro do trono tem o título de Príncipe Real e seu primeiro filho (pode ser também menina, até que venha a nascer um varão). 

Quando foi idealizado o Real Forte Príncipe da Beira, localizado na margem direita do rio Guaporé, atual Guajará-Mirim, no município de Costa Marques (RO), em 1776, sob o reinado de d. José I, o então Príncipe da Beira era d. José de Bragança, que com a ascensão de sua mãe Maria ao trono, no ano seguinte, passou a ostentar o título de Príncipe do Brasil. Pouco se soube a respeito do Príncipe da Beira porque ele morreu bem jovem e em seu “vácuo” entrou um dos grandes personagens da história de Portugal e do Brasil – o príncipe d. João, que viria a ser o rei d. João VI, pai do imperador d. Pedro I. 

O Forte Real – O forte que levou o nome do Príncipe da Beira tinha a função de proteger a rota do ouro, entre as províncias do Grão-Pará e Mato Grosso, assim como a Vila de Santo Antônio do Alto Rio da Madeira, no início do trecho encachoeirado do Madeira. Os comboios de ouro eram protegidos para seguir a Belém e Portugal. 

Uma historia que ainda iria durar muitos anos, ao contrário da curtíssima permanência do príncipe, d. José Francisco Xavier de Paula Domingos António Agostinho Anastácio de Bragança, que não chegaria a reinar em Portugal e sobre o Brasil. 

Mais Sobre História

Iniciadas as gravações para o Museu da imagem e do Som do Cremero

Iniciadas as gravações para o Museu da imagem e do Som do Cremero

Começaram na manhã desta terça 27 as gravações para o Museu da Imagem e do Som do Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero), que

Por dentro da história: Diálogo é apontado como fator primordial na Assembleia Constituinte em 1983

Por dentro da história: Diálogo é apontado como fator primordial na Assembleia Constituinte em 1983

Os deputados constituintes de Rondônia eleitos em 1982 assumiram em 1983 diante de um clima tenso, e o diálogo foi fundamental nesse contexto. A par

Fecomércio/RO parabeniza Estrada de Ferro Madeira Mamoré pelos 107 anos

Fecomércio/RO parabeniza Estrada de Ferro Madeira Mamoré pelos 107 anos

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia (Fecomércio/RO) parabeniza os 107 anos de existência da Estrada de Ferro Mad

Palestra sobre história de Rondônia será ministrada na Reitoria do IFRO

Palestra sobre história de Rondônia será ministrada na Reitoria do IFRO

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia sediará na próxima sexta-feira (19) a palestra “RONDÔNIA: história e curiosidades”.