Porto Velho (RO) quinta-feira, 21 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

História

Artista de Porto Velho restaura Marco Divisório


Artista de Porto Velho restaura Marco Divisório - Gente de Opinião

A restauração do Marco da Divisa Mato Grosso Amazonas foi iniciada semana passada  pelo artista plástico de Porto Velho, Júlio Carvalho. O trabalho está ocorrendo no largo da capela de Santo Antônio, onde o marco ficará permanentemente exposto.

A reconstrução do monumento começou com o nivelamento e a recomposição da base da peça que pesa mais de duas toneladas. Em todo o trabalho estão sendo usadas pedras da região (granito Santo Antônio )  que foram o tipo de rocha usado no marco original, em formato de pirâmide, datado de janeiro de 1911. As letras do monumento, que delimitava os Estados do Amazonas e Mato Grosso,  estão sendo esculpidas em alto relevo nas rochas, respeitando as características originais da escultura. Os trabalhos de restauração são acompanhados pelo Iphan, Superintendência Estadual de Esportes Cultura e Lazer (Secel) e Fundação Cultural.

O artista plástico revela que o marco restaurado possui uma novidade. Trata-se de uma cápsula do tempo, que é uma garrafa contendo manuscritos que explicam os trabalhos de restauração, além de jornais e moedas que identificam o período atual para as gerações futuras. A garrafa foi lacrada com parafina e colocada dentro do monumento.

Julio Carvalho é um artista bastante conhecido dos rondonienses. Foi ele que criou, em 2006,  a obra “O Indígena”, uma escultura em metal com mais de quatro toneladas e sete metros de altura, localizada na BR 364, perto do bairro Ulisses Guimarães. Ele também é autor de outras obras localizadas na cidade.

Na restauração do marco ele conta com o auxílio de dois assistentes e a previsão é de que os trabalhos sejam concluídos ainda nesta semana. Todo o restauro possui investimento da Santo Antônio Energia.

Permanecendo próximo à Capela de Santo Antônio, o marco pode ser facilmente visitado por portovelhenses e turistas, agregando ainda mais valor à região que é berço histórico e cultural de Porto Velho. Vale frisar que o entorno da capela foi completamente  urbanizado pela Santo Antônio Energia no ano passado. A concessionária construiu também um Centro  Cultural Indígena formado por cinco prédios e uma grande oca estilizada que poderão abrigar centros de exposição, biblioteca, cafeteria, loja de conveniência e administração.

Fonte: Carla Nascentes
 

Mais Sobre História

Iniciadas as gravações para o Museu da imagem e do Som do Cremero

Iniciadas as gravações para o Museu da imagem e do Som do Cremero

Começaram na manhã desta terça 27 as gravações para o Museu da Imagem e do Som do Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero), que

Por dentro da história: Diálogo é apontado como fator primordial na Assembleia Constituinte em 1983

Por dentro da história: Diálogo é apontado como fator primordial na Assembleia Constituinte em 1983

Os deputados constituintes de Rondônia eleitos em 1982 assumiram em 1983 diante de um clima tenso, e o diálogo foi fundamental nesse contexto. A par

Fecomércio/RO parabeniza Estrada de Ferro Madeira Mamoré pelos 107 anos

Fecomércio/RO parabeniza Estrada de Ferro Madeira Mamoré pelos 107 anos

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia (Fecomércio/RO) parabeniza os 107 anos de existência da Estrada de Ferro Mad

Palestra sobre história de Rondônia será ministrada na Reitoria do IFRO

Palestra sobre história de Rondônia será ministrada na Reitoria do IFRO

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia sediará na próxima sexta-feira (19) a palestra “RONDÔNIA: história e curiosidades”.