Porto Velho (RO) domingo, 8 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Folclore Político

DOUTOR QUEM?


Em campanha eleitoral se ouve e vivencia muita coisa. Em 1986 o jornalista Sérgio Melo está na assessoria do governador Ângelo Angelin e no palanque do comício do PMDB em Colorado. O prefeito Marcos Donadon (o pai inicia seu discurso: 'Doutor Ângelo Angelin, doutor Jerônimo Santana, doutor Aires do Amaral, doutor....' e por aí afora, naquele seu modo próprio de chamar a todos de 'doutor'.

Nominou todos até que enxergou o Sérgio, encostado no fundo do palanque. E na sequência vinha dizendo '...doutor Tomás Correia, doutor...., doutor..., como é mesmo o nome do doutor aí?', disse, dirigindo-se ao Sérgio, em meio a risadas.

Vereador João Bento Porto Velho, (1972/1983) cria o maior tumulto na contagem dos votos para a Câmara Municipal em 1976. O juiz Cesar Montenegro vai saber o que está acontecendo e o candidato explica que numa cédula o eleitor havia escrito 'jumento' mas que a intenção fora escrever 'João Bento'. Risadas gerias, mas ele acabou eleito.

Fonte: Lúcio Albuquerque

Mais Sobre Folclore Político

Barroso suspende proibição do ensino sobre sexualidade em Palmas

Barroso suspende proibição do ensino sobre sexualidade em Palmas

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, suspendeu os efeitos do artigo 1º de uma lei municipal de Palmas (TO) que vetava o ensino sobre gênero e sexu

Temer edita decreto para confiscar caminhões

Temer edita decreto para confiscar caminhões

“autoriza a requisição de veículos particulares necessários ao transporte rodoviário de cargas consideradas essenciais pelas autoridades”

PT discute o vice para rodar o país em nome de Lula: Haddad ou Amorim

PT discute o vice para rodar o país em nome de Lula: Haddad ou Amorim

247 - A senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT, discute hoje com governadores do PT a nomeação do candidato a vice-presidente para compor a chapa

Polícia faz operação e 7.500 alunos ficam sem aulas no Rio

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil Uma operação das polícias civil e militar deixou mais de 7.500 alunos sem aulas hoje (27) no Rio de Janeiro.