Porto Velho (RO) domingo, 24 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Esporte

Projeto de proteção da infância será legado mundial dos Jogos Rio 2016


Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil

O Comitê Olímpico Internacional recebe até o fim do ano as recomendações para ações mundiais de proteção à infância. O relatório será feito com base nos dados levantados pelo Comitê de Proteção Integral à Criança e aos Adolescentes nos Megaeventos do Rio de Janeiro em ações de divulgação e prevenção durante os Jogos Olímpicos e que continuarão na paralimpíada.

O trabalho de redução de riscos de ocorrência das violações de direitos humanos de crianças e adolescentes vem sendo feito na cidade desde a Copa das Confederações, em 2013, e foi aprimorado para a Olimpíada, quando o comitê de proteção foi montado com representantes de instituições como serviços da prefeitura, estado e governo federal, organizações da sociedade civil e conselhos tutelares.

Para a Olimpíada, a gerente de Programas e Relações Empresariais da Childhood Brasil, Eva Dengler, explicou que a entidade fez uma parceria com o Comitê Organizador Rio 2016 para adaptar o trabalho e unificar as campanhas de conscientização.

Passaporte Verde

“Pela primeira vez num megaevento no Brasil, conseguimos unir todos os parceiros ligados à questão da criança e do adolescente para que todos trabalhassem a comunicação da proteção à infância de forma unificada, com forma de falar sobre. Isso para que não tivéssemos como ocorreu na Copa, com cada organização fazendo uma campanha e muitas vezes com mensagens conflitantes”.

De acordo com o comitê de proteção, cinco tipos de violação aos direitos da criança e do adolescente são mais comuns em megaeventos: crianc as em situac a o de rua, explorac a o sexual, trabalho infantil, uso de álcool e/ou drogas e crianc as desaparecidas. Cada violação teve um fluxo específico de atendimento e encaminhamento durante os jogos e, segundo Eva, o trabalho vai continuar até o fim da Paralimpíada.

“Através do programa Passaporte Verde, da Organização das Nações Unidas, que promove o turismo sustentável no mundo, adaptamos para a Olimpíada e conseguimos que a proteção de criança e do adolescente fosse priorizada como tema de responsabilidade social de bares, hotéis, pousadas, hostels e outros estabelecimentos comerciais. Esse engajamento do trend turístico é fundamental quando a gente trabalha em um evento tão grande como esse”.

Experiência

Segundo ela, com o trabalho feito no Rio de Janeiro a proteção da infância deve entrar como legado na pauta de ações globais do Comitê Olímpico Internacional (COI) para as próximas olimpíadas. A ideia é que as ações preventivas sejam premissas básicas e compromisso para a escolha das futuras sedes.

“Essa experiência que a gente vem vivendo no Brasil nos megaeventos trouxe alguns desafios, entre eles o fato de que a estrutura olímpica ainda não está contemplando uma série de aspectos extremamente importantes para garantir os direitos de crianças e adolescentes e que não fazem parte nem do momento em que uma cidade é selecionada para sediar os jogos nem dos procedimentos operacionais desses jogos. A proteção da criança e do adolescente nesses eventos é um aspecto muito invisível e que nunca vinha sendo considerado um ponto de atenção”.

Estratégia

A Childhood Brasil informou que os direitos da infância são muito impactados pela grande circulação de turistas e que o objetivo é que o COI tenha esse aprendizado conseguido no Rio. “Vamos entregar o relatório para que os próximos países possam avançar a partir do ponto que a gente chegou”, acrescentou Eva.

O trabalho foi apresentado ao COI pela rainha Silvia da Suécia, fundadora da Childhood Brasil, que visitou o Brasil durante os Jogos Olímpicos.

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos ainda não fechou a estratégia de atuação para a Paralimpíada, mas informou que deve seguir o modelo utilizado na Olimpíada, com foco principal na proteção e prevenção e distribuição de pulseiras de identificação.

Mais Sobre Esporte

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos  e campeão mundial

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos e campeão mundial

Morreu hoje (11), aos 75 anos de idade, o ex-jogador de futebol Antônio Wilson Vieira Honório, mais conhecido como Coutinho, lendário parceiro de Pelé

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

O Juventude Esporte Clube da Linha 6, tetracampeão da Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol Amador (2010, 2013, 2015 e 2016) , começou bem sua pa

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

O paulista de Maresias, Gabriel Medina, conquistou o bicampeonato nesta segunda-feira ao vencer o sul-africano Jordy Smith e avançar à final em Pi

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Estudante foi indicada ao prêmio pela Federação Rondoniense de GinásticaA Ginasta Wenddy Naelly Cruz Pimentel, de 11 anos, do Clube Escola Municipal