Porto Velho (RO) terça-feira, 19 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Esporte

Nadador rondoniense faz bonito nas Olimpíadas Escolares em Londrina-PR



O domingo (8) amanheceu chuvoso em Londrina, onde acontecem as provas de handebol e natação das Olimpíadas Escolares Brasileiras 2009. Enquanto a equipe masculina de handebol da Escola Álvares de Azevedo, de Vilhena, enfrentava a equipe do Amazonas, um grande público lotou as piscinas do Londrina Country Clube, onde aconteciam as finais da natação que aconteceram sob chuva durante toda a manhã, a ponto da premiação acontecer no salão de festas do clube. 

Mesmo com o mau tempo o nadador Daniel Lima, do Colégio João Bento da Costa de Porto Velho, mais uma vez nadou contra os melhores do país no 50 metros nado costas e chegou na sexta posição, melhorando sua marca pessoal. Daniel estava em desvantagem por ser este o seu primeiro ano como juvenil, enquanto os demais nadadores eram veteranos, a exemplo do nadador Luiz Brito, do Colégio Objetivo da Bahia, que venceu a prova e bateu o recorde da competição. “Foi muito bom, eu ainda sou novo e este é meu primeiro ano como juvenil”, disse Daniel. 

Daniel Lima nadou também as finais dos 200 metros medley, considerada uma das provas mais completas da natação por envolver os 4 estilos de nado: costas, peito, borboleta e livre – exigindo técnica em todos os fundamentos. E mais uma vez o nadador rondoniense pagou o preço da juventude: com 16 anos Daniel era o nadador mais jovem classificado para as finais da prova e acabou chegando na oitava posição, sendo mais uma vez superado por adversários mais treinados e experientes, fator determinante para uma boa classificação.

O dia que a campeã não nadou e chorou

A excelente organização dos jogos, e em especial da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – C.B.D.A. e da Federação Paranaense de Natação, foi o destaque na piscina do Country, onde cerca de 40 árbitros e fiscais atuaram durante as provas da natação. Mas o que chamou atenção de todos foi o choro inconformado da nadadora paranaense Alessandra Marchioro, do Dom Bosco de Curitiba, atleta da equipe nacional juvenil e recordista brasileira em diversas provas, considerada uma das grandes esperanças do futuro da natação do país e favorita em todas as provas que iria competir. 

Mas por não estar com a credencial de atleta Alessandra foi impedida de nadar pela direção da prova. Ela já estava na raia para a largada da primeira prova, os 50 metros nado livre – na qual é a detentora do recorde brasileiro, quando foi solicitada a credencial pela fiscal para a liberação da prova. Alessandra não tinha a credencial em mãos e foi retirada da raia pela direção da competição. O público nas arquibancadas assistiu em silêncio o choro daquela que era apontada como a grande favorita inclusive pelas adversárias em todas as provas que disputaria, o que viria a se confirmar ao final do campeonato, pois suas marcas pessoais eram melhores que as obtidas pelas concorrentes. 

Por não apresentar a credencial, Alessandra não pôde nadar também os 100 metros nado livre e nem as provas de 50 e 100 metros nado de peito e nado borboleta, e só voltaria a nadar na penúltima prova, e vencer com recorde brasileiro, os 200 metros medley por equipes, quando sua credencial já havia sido encontrada no hall do hotel onde estava hospedada. 

Após a prova, conversando com os repórteres mas ainda inconformada consigo mesma por não ter trazido a credencial, Alessandra declarou que espera nadar nas Olimpíadas de 2012 e também no Rio em 2016. “A natação é minha vida, eu treino pelo menos oito horas todos os dias e este é o meu objetivo”, disse a atleta do Colégio Dom Bosco de Curitiba, o grande vencedor da natação das Olimpíadas Escolares, ao se despedir com apenas uma medalha de ouro. 

Alessandra Marchiori, esperança de um futuro de medalhas na natação brasileira – a atleta curitibana que veio e não venceu por não ter credencial. Seu consolo foi ver a colega de quarto Carolina Bergamaschi vencer todas as provas que nadou.

Handebol masculino vence no tiro livre depois de duas prorrogações

Os meninos da Escola Álvares de Azevedo de Vilhena venceram na disputa do tiro livre a equipe do Colégio Miguel Cervantes, de Manaus – AM. 

Depois de um jogo dramático, que terminou empatado em 21 x 21, seguiram-se duas prorrogações,que também terminaram empatadas. Passou-se então para a disputa do tiro livre, semelhante à cobrança de pênalti no futebol, que culminou com a vitória do representante rondoniense por 2 x 1. 

Como foram derrotados na primeira partida pela equipe do La Salle de Brasília – DF, o handebol masculino não tem mais chances de medalhas, e nem de passar para a divisão especial, que classifica somente os campeões dos grupos. A equipe retorna à Rondônia na tarde desta segunda-feira, desembarcando no aeroporto de Porto Velho por volta das 23:30 horas e seguindo para Vilhena. 

Fonte: Decom

Mais Sobre Esporte

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos  e campeão mundial

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos e campeão mundial

Morreu hoje (11), aos 75 anos de idade, o ex-jogador de futebol Antônio Wilson Vieira Honório, mais conhecido como Coutinho, lendário parceiro de Pelé

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

O Juventude Esporte Clube da Linha 6, tetracampeão da Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol Amador (2010, 2013, 2015 e 2016) , começou bem sua pa

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

O paulista de Maresias, Gabriel Medina, conquistou o bicampeonato nesta segunda-feira ao vencer o sul-africano Jordy Smith e avançar à final em Pi

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Estudante foi indicada ao prêmio pela Federação Rondoniense de GinásticaA Ginasta Wenddy Naelly Cruz Pimentel, de 11 anos, do Clube Escola Municipal