Porto Velho (RO) sábado, 23 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Esporte

Muricy reprova atitude polêmica de Rogério Ceni


Durante anos, quando dirigiu o São Paulo, o técnico Muricy Ramalho teve no goleiro Rogério Ceni um dos seus “homens de confiança” dentro do grupo tricolor, campeão brasileiro por três anos consecutivos: 2006, 2007 e 2008. Apesar disso e da admiração pelo capitão são-paulino, o treinador do Santos não aprovou a atitude de Ceni, que pediu uma substituição para Ney Franco, comandante do Tricolor Paulista, durante o empate com a LDU de Loja-EQU, na última quarta-feira, no Morumbi, pela Copa Sul-americana.

O experiente arqueiro pedia a entrada de Cícero como jogador de referencia na área, só que Ney optou pela entrada de Willian José, deixando Rogério Ceni desesperado. No final, a equipe paulista segurou o resultado e garantiu vaga na etapa seguinte da competição internacional.

Mas, na visão de Muricy, a atitude de Ceni foi errada. “Também não gosto. Nem durante o jogo, nem no intervalo. Por isso que nesse negócio do diálogo, é até certo ponto, porque senão o jogador começa a mandar nas coisas. Claro que você precisa ouvir o atleta, perguntar o que ele está achando, o que está sentindo, mas nunca perguntar o que faço, O técnico está lá para escalar”, afirmou.

Caso algo semelhante acontecesse com ele, o técnico santista destacou que o problema poderia ser resolvido de uma maneira diferente – Ney Franco repreendeu Ceni publicamente e, após a reapresentação do elenco tricolor, o tema foi dado como encerrado.

“Comigo isso nunca aconteceu e se acontecer, pode ter certeza que a resposta vem forte. Existe diálogo até certo ponto, porque tem hierarquia”, comentou.

Ainda no mesmo assunto, Muricy Ramalho foi questionado sobre a atitude do ex-maestro alvinegro, Paulo Henrique, na decisão do título paulista de 2010. Na ocasião, o então técnico do Santos, Dorival Júnior, iria sacá-lo para a entrada do zagueiro Bruno Aguiar. Porém, Ganso se negou a deixar o jogo, forçando Dorival a substituir outro jogador. No final, o Peixe foi campeão e o ato do meia, agora no Tricolor Paulista, foi exaltado pela torcida, na época.

“Eu iria jogar com 12, porque o meu (jogador) iria entrar. Ninguém gosta de sair, mas o técnico tem o direito de mudar as coisas. É hierarquia, meu filho. Na hora de fechar a conta, o treinador é o primeiro a ser mandado embora. Jogador joga e o técnico escala. Simples!”, encerrou.

Fonte: Gazeta Esportiva
 

Mais Sobre Esporte

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos  e campeão mundial

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos e campeão mundial

Morreu hoje (11), aos 75 anos de idade, o ex-jogador de futebol Antônio Wilson Vieira Honório, mais conhecido como Coutinho, lendário parceiro de Pelé

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

O Juventude Esporte Clube da Linha 6, tetracampeão da Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol Amador (2010, 2013, 2015 e 2016) , começou bem sua pa

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

O paulista de Maresias, Gabriel Medina, conquistou o bicampeonato nesta segunda-feira ao vencer o sul-africano Jordy Smith e avançar à final em Pi

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Estudante foi indicada ao prêmio pela Federação Rondoniense de GinásticaA Ginasta Wenddy Naelly Cruz Pimentel, de 11 anos, do Clube Escola Municipal