Porto Velho (RO) terça-feira, 26 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Esporte

Galo supera Olimpia e acorda América com canto campeão


Galo supera Olimpia e acorda América com canto campeão - Gente de Opinião

O Galo vai cantar "campeão" madrugada adentro. Na virada desta quarta para quinta-feira, o Atlético-MG derrotou o Olimpia por 2 a 0 no tempo regulamentar (gols de Jô e Leonardo Silva) e não aproveitou o fato de jogar com um a mais na prorrogação, mas levou a melhor na disputa dos pênaltis e conquistou no Mineirão o título de melhor da América pela primeira vez.

O time treinado por Cuca teve muito mais espaço nos 30 minutos extra e não foi capaz de balançar a rede olimpista pela terceira vez. Contudo, nos pênaltis o goleiro Victor mais uma vez brilhou. Ele defendeu a primeira cobrança adversária, mal efetuada por Miranda, e abriu o caminho para o triunfo decisivo. Depois de Alecsandro, Guilherme, Jô e Leonardo Silva converterem a favor dos donos da casa, Aranda chutou a bola no travessão e decretou o resultado final.

O Olimpia até jogou inteligentemente, a princípio, após ter vencido o jogo de ida por 2 a 0, em Assunção. Entretanto, depois de não se arriscar na etapa inicial desta quarta-feira, falhou com menos de um minuto do segundo tempo e deixou Jô abrir o placar. Mais tarde, perdeu Manzur expulso. E, com um a menos, um cabeceio lento de Leonardo Silva teve a rede como endereço final, forçando a prorrogação. Estava desenhado o cenário negativo para o Rey de Copas.

Para o Galo, o começo do enredo é que era desfavorável. Além da desvantagem, Cuca não tinha Marcos Rocha nem Richarlyson - o treinador escalou Júnior César e Michel respectivamente pelos lados esquerdo e direito. Em compensação, uma das grandes apostas da equipe brasileira, Bernard, estava de volta. Alvo de equipes do exterior, o meia-atacante jogaria para mais de 60 mil atleticanos e alguns olheiros do futebol europeu. 

Logo no primeiro minuto, porém, ele e Jô desperdiçaram grande chance de abrir o placar, não conseguindo desviar ótimo chute rasteiro de Diego Tardelli pela ponta direita. Foi assim, à base de cruzamentos por baixo e pelo alto - ou em arremates de fora da área -, que o Atlético tentou vazar a meta do goleiro Martin Silva ao longo da primeira etapa.

Outras oportunidades criadas pelo lado direito, com Michel, não foram aproveitadas por Réver e Tardelli. O zagueiro desviou rente à trave direita de Silva, enquanto o atacante, bem colocado na primeira trave, furou o cabeceio. O goleiro uruguaio só efetivamente trabalhou em arremate à distância de Ronaldinho, aos nove minutos. Trabalhou mal, por sinal, deixando a bola na área.

Ronaldinho também não fez muito mais do que isso antes do intervalo. O camisa 10, que entrou em campo ensandecido, não traduziu a agitação inicial em uma boa atuação. Nem mesmo a bola parada, grande arma sua, resultou em chances de gol a favor do Atlético. O meia abusou de tentativas de ligação direta para Jô, todas sem o efeito pretendido.

Muito bem postado, com três homens fixos e dois laterais também preocupados defensivamente, o Olimpia teve menor posse de bola, mas ofereceu mais perigo. Victor fez ao menos duas boas defesas, em chutes rasteiros de Freddy Bareiro e Alejandro Silva, ambos originados em desatenção da retaguarda atleticana, facilmente envolvida. 

Precisando de dois gols, no mínimo, Cuca sacou Pierre no intervalo e lançou o Atlético ainda mais à frente, com Rosinei. Em seu primeiro lance, com menos de um minuto da segunda etapa, o meia-atacante cruzou da ponta direita e viu a defesa olimpista falhar. Mesmo caído no chão, Jô enfiou o pé direito na bola e fez o primeiro gol da partida.

E não seria o único. Apesar de os gritos de "eu acredito" (ouvidos em Belo Horizonte todos os dias da semana) terem esfriado no decorrer da etapa, o segundo gol atleticano foi amadurecendo aos poucos. Aos 41, dois minutos depois de Manzur ser expulso e deixar o Olimpia com um a menos, o zagueiro Leonardo Silva, que já havia acertado o travessão, cabeceou para a rede.

Na prorrogação, o Atlético acertou a trave novamente e ainda perdeu um grande oportunidade com Alecsandro. O jogo então foi para os pênaltis, meio pelo qual a equipe mineira havia chegado à decisão na semifinal contra o Newell's Old Boys - e também na fase anterior, em cobrança defendida por Victor no último minuto do duelo frente ao Tijuana. 
 
Fonte: Gazeta Press / Tossiro Neto, enviado especialBelo Horizonte (MG)

Mais Sobre Esporte

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos  e campeão mundial

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos e campeão mundial

Morreu hoje (11), aos 75 anos de idade, o ex-jogador de futebol Antônio Wilson Vieira Honório, mais conhecido como Coutinho, lendário parceiro de Pelé

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

O Juventude Esporte Clube da Linha 6, tetracampeão da Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol Amador (2010, 2013, 2015 e 2016) , começou bem sua pa

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

O paulista de Maresias, Gabriel Medina, conquistou o bicampeonato nesta segunda-feira ao vencer o sul-africano Jordy Smith e avançar à final em Pi

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Estudante foi indicada ao prêmio pela Federação Rondoniense de GinásticaA Ginasta Wenddy Naelly Cruz Pimentel, de 11 anos, do Clube Escola Municipal