Porto Velho (RO) domingo, 24 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Esporte

Dilma ergue a taça e afirma: 'Estamos preparados...'


 
Paulino Menezes/ Portal da Copa/ ME

Gente de Opinião

A curiosidade é de todos, mas o privilégio é de poucos.  Erguê-la, como fez o capitão Bellini pela primeira vez em 1958, é algo permitido a campeões mundiais e a chefes de Estado como a  presidenta Dilma Rousseff, que repetiu o gesto de levantar a taça a dez dias da Copa do Mundo da FIFA 2014, na tarde desta segunda-feira (02.06), no Palácio do Planalto.

“Curiosamente ela tem as cores verde e amarela. Por isso, diante dessa taça, sempre vamos imaginar que ela será levantada por uma seleção no Maracanã, o templo do nosso futebol. Para nós, brasileiros, é impossível deixar de sonhar que a seleção a levantar a taça seja a seleção brasileira”, disse a presidenta.

No momento simbólico, a presidenta contou com a ajuda de alguém que já está acostumado com o brilho, o peso, a beleza e a alegria que envolvem o cobiçado troféu.

“É linda, maravilhosa, e eu tenho certeza de que os meninos vão fazer bem feito dentro de  campo para que essa belezura fique conosco”, disse o pentacampeão Cafu, responsável por levantá-lo na última conquista brasileira, em 2002, na Copa da Coreia do Sul e do Japão.

Paulino Menezes/ Portal da Copa/ ME

Gente de Opinião

O presidente da FIFA, Joseph Blatter, acompanhou o gesto de perto, assim como o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e várias olhares hipnotizados: filhos e filhas de funcionários do Palácio do Planalto, com albuns de figurinhas embaixo dos braços e  celulares e maquinas fotográficas nas mãos, ficaram encantados pelo brilho da taça. Todos, menos uma pequena fã do Neymar que, com sua mini-camisa 10, fez pose diante do troféu e arrancou sorrisos das autoridades, como de Aldo Rebelo.

“Eu creio que o país anfitrião tem o momento de recepcionar a taça e a presidenta Dilma, ao fazer esse gesto, é como se instalasse oficialmente a Copa do Mundo 2014 no Brasil”, disse o ministro.

Preparados

No discurso proferido antes de levantar a taça, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que o país está preparado para receber a 20ª edição da Copa do Mundo.

“Estamos preparados para oferecer ao mundo um maravilhoso espetáculo, acrescido da alegria, do respeito e da gentileza característica do povo brasileiro. Nós sabemos que estamos prontos, os estádios estão prontos. E os torcedores que já os conheceram sabem que são modernos, confortáveis e seguros”, disse a presidenta.

Dilma Rousseff acrescentou que os aeroportos brasileiros vão dar conta da demanda adicional prevista para o período do Mundial e destacou a preparação do país na área de segurança.

“Aos brasileiros e aos estrangeiros que nos visitarem, asseguro que a estrutura de segurança que organizamos vai proporcionar a tranquilidade necessária para aproveitar os jogos, as festas e os passeios, para conhecer as nossas belezas. Nós somos um país democrático, que respeita a liberdade de manifestação e de expressão, um país que a valoriza, e que também é capaz de preservar os direitos da maioria que quer assistir aos jogos, quer confraternizar e comemorar”, acrescentou.

» "Estou muito animado com as próximas semanas", diz presidente da FIFA no Palácio do Planalto

Copa sem racismo

A luta contra o racismo durante a Copa no Brasil foi reforçada tanto por Dilma Rousseff quanto pelo presidente da FIFA durante a solenidade.

“A vigésima Copa do mundo da FIFA vai ser uma plataforma também para lutar contra a discriminação de qualquer tipo e em particular o racismo" , disse Joseph Blatter.

“A todos os brasileiros e estrangeiros, eu convido a serem parceiros na realização de uma Copa sem racismo, pela paz, sem discriminação, uma Copa na qual o futebol se mostra sempre, mais uma vez, um extraordinário instrumento para nos ajudar a disseminar os valores do entendimento, do diálogo, da paz e do respeito entre nós", complementou a presidenta.

O tema também foi comentado pela ministra-chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. “O futebol é muito importante para o combate ao racismo porque é a área da vida social onde a diversidade racial tem sido um valor fundamental e, no caso brasileiro, talvez seja até a causa da excelência no futebol. Vamos pensar esse momento da Copa sem racismo também como uma sociedade sem racismo”, disse.

Fonte: Carol Delmazo – Portal da Copa

Mais Sobre Esporte

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos  e campeão mundial

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos e campeão mundial

Morreu hoje (11), aos 75 anos de idade, o ex-jogador de futebol Antônio Wilson Vieira Honório, mais conhecido como Coutinho, lendário parceiro de Pelé

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

O Juventude Esporte Clube da Linha 6, tetracampeão da Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol Amador (2010, 2013, 2015 e 2016) , começou bem sua pa

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

O paulista de Maresias, Gabriel Medina, conquistou o bicampeonato nesta segunda-feira ao vencer o sul-africano Jordy Smith e avançar à final em Pi

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Estudante foi indicada ao prêmio pela Federação Rondoniense de GinásticaA Ginasta Wenddy Naelly Cruz Pimentel, de 11 anos, do Clube Escola Municipal