Porto Velho (RO) quinta-feira, 18 de outubro de 2018
×
Gente de Opinião

Esporte

Com vinho, franceses veem o jogo em que dão adeus à Copa


Mariana Tokarnia - Agência Brasil 

Gente de Opinião

Depois de perder para a Alemanha, um recado: "Pobre Brasil", diz a diretora da Aliança Francesa, Elisabeth Ranedo. A francesa, de 47 anos, preferiu fumar um cigarro e não assistir aos últimos minutos do jogo. De vez em quando, espiava o telão armado no anfiteatro da escola e repreendia aqueles que gritavam gol antes que ele fosse marcado: "Não pode gritar gol antes, não dá sorte". Deu azar.

A Alemanha ganhou da França por 1 a 0, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. A seleção alemã passa para a fase semifinal e enfrentará o vencedor do jogo das 17h, disputado entre Brasil e Colômbia, em Fortaleza. "O jogo foi bom. Os alemães têm um nível excelente", reconhece Elisabeth.

A estudante franco-espanhola Sonia Eusébio, de 17 anos, perdeu na Copa do Mundo o segundo time para o qual torcia. "Quando a Espanha saiu, fiquei desesperada", disse. Pela mãe francesa, passou a torcer pela França. "Agora vou torcer para a Colômbia", brinca.

A partida teve altos e baixos, todos regados a vinho, pipoca e Richard, também chamado de patís - um licor à base de anis, típico do verão francês. Mas nem mesmo o vinho francês Baron D'Arignac deu sorte. A torcida estava animada até os últimos minutos. "Allez, allez", gritavam e impulsionavam o time a cada posse de bola.

Gente de Opinião

Franceses sofrem com a derrota para a Alemanha e a despedida da Copa do MundoWilson Dias/Agência Brasil

A brasileira Érica Boraschi, de 37 anos, entrou no coro francês. Servidora pública, ela apaixonou-se pela França há três anos. "Foi quando eu comecei a estudar a língua", conta. Entre gritos e palmas, ela manda mensagens de texto pelo celular para a amiga, Denise Alves, que mora em São Paulo e é igualmente apaixonada pelo país.

Érica diz que o Brasil não é opção de torcida: "Minha manifestação particular. Acho que o Brasil tem que investir em outros setores, estimular outros esportes. Damos muita ênfase ao futebol".

A opinião de Érica não é compartilhada pela francesa Caroline de Lelis. Com 38 anos, Caroline veio para o Brasil há seis anos para trabalhar no Instituto de Pesquisas Ecológicas (Ipê). Casou-se com o brasileiro Alexandre Goulart e teve um filho, Thiago, de 2 anos. Mãe e filho assistiram ao jogo pintados com as bandeiras da França e do Brasil, uma em cada lado do rosto. "Meu coração é dividido entre França e Brasil, agora é Brasil", disse depois do jogo em que a França deu adeus à Copa.

Mais Sobre Esporte

Mega-Sena acumula e prêmio vai a R$ 27 milhões

Mega-Sena acumula e prêmio vai a R$ 27 milhões

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 2.086 da Mega-Sena, realizado hoje (10) em Joaçaba (SC).As dezenas sorteadas foram  04 - 35 - 43

Federação Rondoniense de Xadrez recebe Certificação do CONEDEL

Federação Rondoniense de Xadrez recebe Certificação do CONEDEL

O Presidente Gualter Amélio recebe das mãos de Luiz Carlos o Certificado de Registro de Entidade Esportiva devidamente qualificada, no Conselho Estadu

Nenhuma aposta acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 19 milhões

Nenhuma aposta acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 19 milhões

Nenhuma aposta acertou o prêmio principal do concurso 2084 da Mega-Sena. O sorteio foi realizado na noite dessa quarta-feira (3), no Caminhão da Sorte