Porto Velho (RO) sábado, 23 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Esporte

André Lima dá vitória ao Grêmio sobre a Ponte Preta


Guilherme Becker
Zero Hora

Com um gol aos 45 minutos do segundo tempo, o Grêmio venceu a Ponte Preta por 1 a 0, na noite deste sábado, no Estádio Olímpico, e se manteve na terceira colocação no Campeonato Brasileiro, com 63 pontos.

Sem brilho, sem um grande futebol, com muitos erros de passes, pouca criatividade e baixíssima produção ofensiva, o time superou as adversidades na base da insistência e da vontade.

Com Julio Cesar expulso na etapa final — ele havia substituído Pico no final do primeiro tempo —, a equipe teve de passar por cima de uma Ponte Preta que, na maior parte do jogo, esteve melhor postada taticamente e criou as melhores oportunidades.

Primeiro tempo

O Grêmio ensaiou a pressão, conseguiu três escanteios antes dos cinco minutos, cruzou inúmeras bolas para a área, mas os lances de maior perigo foram da Ponte Preta nos contra-ataques. Sem mobilidade no meio, o time parecia sentir a ausência de Elano. Sozinho, Zé Roberto era o responsável pela criação. Sem êxito.

Os erros de passe pareciam deixar o time apressado e impreciso, incapaz de prender a bola e fazê-la chegar na frente com qualidade, pelo chão, seja pelo meio ou pelas pontas. Com uma zaga adversária alta, as tentativas de cruzamentos gremistas eram sempre cortadas pelos defensores Cleber, Ferron e Tiago Alves.

Com a criatividade em baixa, com muitos erros de passes e sofrendo com os contra-ataques da Ponte Preta, a melhor chance do Grêmio em todo o primeiro tempo ocorreu, justa e ironicamente, em uma bola alta: uma cabeçada sem direção de Marcelo Moreno, que tentou escorar cruzamento de Pará, vindo da direita.

A Ponte, por outro lado, colecionou oportunidades e só não abriu o placar pelas defesas que, se não exigiram elasticidade, confirmaram a boa colocação de Marcelo Grohe embaixo das traves. Aos 13, a troca de passes levou a Ponte à grande área. Pico tocou para a linha de fundo. No escanteio, Cleber subiu sozinho e a bola passou por cima, muito perto.

Aos 20 minutos, Luan se livrou da marcação na meia direita, entrou na área e rolou para Roger, que chutou para firme defesa de Grohe. Aos 28, Nikão cortou para o meio e arrematou forte. A bola passou por cima, muito perto do travessão. Aos 33, uma saída errada de Pará e Werley resultou em uma chance claríssima de gol: cara a cara com Grohe, Roger chutou para fora.

Em uma falta na intermediária já aos 40 minutos, Zé Roberto cruzou para a área e Roberto espalmou de maneira estranha, para trás. Escanteio. Que não deu em nada. Quatro minutos depois, a melhor oportunidade da partida. Da Ponte. Em jogada pela esquerda, Luan arrancou e rolou para o meio. Sozinho, frente a frente com Marcelo, Roger chutou para fora. No lance, Pico machucou o braço e deixou o gramado para a entrada de Julio Cesar.

Um primeiro tempo, que teve pouco futebol pelo lado do Grêmio — com inúmeros passes errados, jogadas equivocadas pelo meio e pelas pontas, praticamente sem chances de gols —, terminou em vaias no Olímpico. Afinal, não seria surpresa se a Ponte Preta tivesse terminado a etapa inicial com um ou até dois gols de vantagem. As melhores chances, nitidamente, foram paulistas. Taticamente, a Ponte também foi superior.

Segundo tempo

Tudo o que a torcida gremista esperava para a etapa complementar, ou seja, mudança de atitude e mais futebol, não se confirmou. A tônica do segundo tempo foi idêntica à do primeiro, com a Ponte melhor postada taticamente, embora tenha chegado com bem menos contundência e intensidade do que nos 45 minutos iniciais.

O Grêmio seguiu errando passes e só construiu uma boa jogada aos nove minutos, quando Pará entrou pela direita, invadiu a área e chutou para fora. Foi o primeiro chute a gol do time na partida.

Embolado no meio, o jogo pouco mudou a partir das entradas de André Lima e Elano — nos lugares de Leandro e Fernando, respectivamente —, mas se alterou principalmente depois da expulsão de Julio Cesar, aos 25 minutos. Um carrinho violento desferido contra Rildo, que arrancava em um contra-ataque pela ponta esquerda, terminou em cartão vermelho. E com o Olímpico e o Grêmio incendiados.

Com um a menos, a equipe gaúcha insistiu, tentou por cima, por baixo, martelou nos cruzamentos, procurou nos escanteios. Sem sucesso. Com um a mais, o time paulista quase marcou aos 43, quando Grohe se esticou para defender, no chão, um chute de Giancarlo já dentro da grande área.

Aos 45, no apagar das luzes, a redenção: o escanteio cobrado por Zé Roberto encontrou a cabeça de André Lima, que se antecipou ao goleiro Roberto e desviou para marcar o gol da vitória e também para enlouquecer de vez o Olímpico: 1 a 0.

Os três pontos na conta tiveram um sabor a mais não apenas pelo fato de o time, neste domingo, poder garantir vaga na Libertadores 2013 em caso de derrotas de Botafogo, Vasco e Inter. Premiou um Grêmio que venceu com a cabeça na persistência, baseada nas vozes dos mais de 40 mil torcedores que foram ao Olímpico.

O Grêmio não jogou bem, nem mesmo fez por merecer. Talvez tenha sido a pior partida da equipe em todo o campeonato. O futebol, no fim das contas, é instigante também por isso.

FICHA TÉCNICA:

BRASILEIRÃO, 34ª RODADA, 3/11/2012

GRÊMIO - 1
Marcelo Grohe; Pará, Werley, Naldo, Pico (Julio Cesar, 45'/1ºT); Fernando (Elano, 14'/2ºT), Souza, Zé Roberto, Elano; Leandro (André Lima, 24'/2ºT), Marcelo Moreno. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

PONTE PRETA - 0
Roberto; Tiago Alves, Cleber, Ferron e João Paulo; Baraka, Wendell, Renê Júnior e Nikão (Marcinho, 31'/2ºT); Luan (Rildo, 20'/2ºT) e Roger (Giancarlo, 37'/2ºT). Técnico: Guto Ferreira.

Gol: André Lima (45'/2ºT)

Cartões amarelos: Luan, Renê Júnior (Ponte Preta); Marco Antonio, Werley (Grêmio)

Cartões vermelhos: Julio Cesar (Grêmio).

Arbitragem: André Luiz de Freitas Castro (GO), auxiliado por Rodrigo Pereira Joia (RJ)e Fabiano da Silva Ramires (ES).

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre

Público: 40.760 torcedores

Renda: R$ 577.215,00

Mais Sobre Esporte

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos  e campeão mundial

Morre ex-jogador Coutinho, célebre parceiro de Pelé no Santos e campeão mundial

Morreu hoje (11), aos 75 anos de idade, o ex-jogador de futebol Antônio Wilson Vieira Honório, mais conhecido como Coutinho, lendário parceiro de Pelé

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

Tetracampeão Juventude estreia com vitória na Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol

O Juventude Esporte Clube da Linha 6, tetracampeão da Taça Regional Cacoal Selva Park de Futebol Amador (2010, 2013, 2015 e 2016) , começou bem sua pa

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

Pela terceira vez Brasil: Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe no Havaí

O paulista de Maresias, Gabriel Medina, conquistou o bicampeonato nesta segunda-feira ao vencer o sul-africano Jordy Smith e avançar à final em Pi

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Ginasta da rede municipal concorre a prêmio esportivo em Porto Velho

Estudante foi indicada ao prêmio pela Federação Rondoniense de GinásticaA Ginasta Wenddy Naelly Cruz Pimentel, de 11 anos, do Clube Escola Municipal