Porto Velho (RO) sexta-feira, 21 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Eleições 2014

Poucos presos provisórios exercem o direito de voto


 

Danyele Soares - Enviada Especial do Radiojornalismo/EBC

Neste domingo (5), os brasileiros vão às urnas para escolher presidente da República, governadores, deputados federais e estaduais ou distritais. O voto é assegurado a todos os maiores de 16 anos, inclusive aqueles que perderam a liberdade e estão na condição de presos provisórios, à espera de decisão judicial. Também podem votar os adolescentes que cumprem medida socioeducativa.

O Brasil tem hoje cerca de 230 mil presos provisórios, mas, a exemplo do que tem sido registrado em eleições anteriores, poucos devem exercer o direito de voto. Nas eleições gerais de 2010, a Justiça Eleitoral contou 18 mil votos de apenados provisórios - número reduzido à metade nas eleições municipais de 2012, embora a escolha de prefeitos e vereadores tenha sido tradicionalmente mais acirrada. A estimativa, agora, é que se repita número de votantes parecido com o das últimas eleições.

Gente de Opinião

O Brasil tem atualmente cerca de 230 mil presos provisóriosArquivo/Agência Brasil

A Constituição Federal impede o voto apenas de quem, no dia do pleito, tiver condenação criminal transitada em julgado, ou seja, que não cabe mais recurso. O preso provisório tem direito de participar. Mas, de acordo com a Resolução 23.399/2014 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os tribunais regionais só podem instalar zonas eleitorais nos presídios que tenham, no mínimo, 50 detentos aptos a votar. O número é maior do que os 30 detentos eleitores exigidos no pleito de 2010.

O diretor do Foro Eleitoral de Belo Horizonte, juiz Carlos Henrique Braga, afirma que quem ainda aguarda decisão da Justiça mantém os direitos políticos, e deve votar ou justificar a ausência. Ele explica que o processo de votação no presídio é semelhante ao funcionamento normal: “A seção eleitoral é montada com as mesmas características de uma seção no mundo livre, além das grades do presídio. Então, tem o presidente, os mesários, os secretários e todas essas pessoas vão dar aos presos provisórios as mesmas condições que nós, cidadãos livres, teremos aos nos dirigirmos às seções eleitorais”.

Para o coordenador nacional da Pastoral Carcerária, Padre Valdir Silveira, o número baixo de votos dos presos provisórios é consequência do desinteresse. “Conversando com os presos, muitos dizem o seguinte: 'nós não acreditamos que a política faça alguma coisa por nós. Estamos abandonados e esquecidos por todos. A gente chegou aqui porque faltou tudo para nós. Somos pobres, semianalfabetos'. Outra justificativa é a falta de documentos dos presos para votar”, afirma.

Segundo o sociólogo Antônio Testa, a solução para a falta de interesse é o investimento em educação. “A maioria das pessoas que estão presas tem nível educacional muito precário e, como a maioria da população brasileira, não tem ainda uma visão da importância de participar politicamente. Mas, se quisermos mudar essa realidade, é preciso investir maciçamente na educação política e cívica de todos os brasileiros”, salientou.

Desde 2002, o voto do preso provisório é garantido em alguns estados. De acordo com o TSE, os detentos devem se alistar e transferir o título para a seção eleitoral do presídio. Quem não fizer isso deve justificar a ausência na própria unidade. Aqueles que se alistaram, mas não estiverem mais no estabelecimento penal no dia da eleição, podem ir ao presídio para votar.

Mais Sobre Eleições 2014

65 milhões de panettones foram produzidas para Natal 2014

A produção dos panettones da Visconti está a todo vapor desde setembro de 2014 e junto com as outras marcas da Pandurata, espera encerrar o ano com 65

TSE registra 290 milhões de acessos no período eleitoral

  Da Agência Brasil O número é 974% maior que o registrado no período não eleitoral, quando a média fica em torno de 27 milhões de acessos. De acordo

No Jornal da Record: Dilma diz que 'mercado vai acalmar' e propõe diálogo

No Jornal da Record: Dilma diz que 'mercado vai acalmar' e propõe diálogo

247 - Um dia depois da disputa pelo segundo turno, em sua primeira entrevista após a vitória, a presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) afirmou, nesta

Confúcio mira na saúde anuncia Hospital do Câncer da Amazônia

Confúcio mira na saúde anuncia Hospital do Câncer da Amazônia

  O anúncio feito na manhã desta segunda-feira (27) durante coletiva de imprensa pelo governador reeleito Confúcio Moura (PMDB) que foi aplaudido por