Porto Velho (RO) quarta-feira, 20 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Educação

Um problema chamado ENEM


Nos últimos dias a imprensa nacional noticiou a confusão causada pela correção de várias (milhares) de redações do ENEM 2012, onde o tema central era a migração do povo haitiano ao Brasil nos últimos anos. Mais de 4,5 milhões de brasileiros fizeram a dita cuja redação. Redação do estudante paulista que dissertou sobre uma Receita de Miojo, macarrão instantâneo, onde o mesmo consegui atingir 560 pontos, causou revolta e desconforto entre os que participaram do ENEM 2012 e a cúpula dirigente do INEP, órgão vinculado ao Ministério da Educação, responsável pela organização e gerenciamento da prova de Redação do Enem 2012. Outros temas mirabolantes e sarcásticos colecionaram o duvidoso critério de seleção do ENEM. Desde 2007, o Exame Nacional do Ensino Médio vem causando aborrecimentos aos que utilizam a prova como meio de seleção tanto nas instituições públicas de ensino superior quanto nas privadas, através do programa federal de bolsas universitárias, chamado PROUNI, Programa Universidade para Todos.

A Redação do ENEM avalia cinco competências do autor. Essas competências são distribuídas entre o domínio da língua culta, a organização das ideias do texto, a compreensão do tema e da proposta, mecanismos lingüísticos e o conhecimento diverso relacionado ao tema com sugestões que abordem valores humanos, respeito e diversidade cultural. A correção das provas de Redação do ENEM é realizada por uma banca formada por quatro pessoas graduadas no curso de Letras e um doutor que irá equilibrar a média do autor da Redação caso haja incompatibilidade entre as médias atribuídas entre os membros da banca avaliadora. O critério de seleção que o INEP/MEC utiliza para selecionar estes professores que irão avaliar as Redações não é confiável e necessita de uma seleção avaliativa, pois, nem todos graduados em Letras dominam escrever bem, muito menos julgar uma Redação. Uma das Redações que foi selecionada com a nota máxima 1000 pontos tinha erros grotescos de concordância e acentuação bem como de ortografia. Erros dos quais inaceitáveis não para um estudante que está se submetendo a avaliação de uma Redação em nível do ENEM, mas sim pelo fato de ter-lhe atribuído conceito máximo, ou seja, 1000 pontos.

Erros de ortografia como “enchergar” e “trousse” são um dos exemplos da péssima banca que atribuiu tal nota a este autor. Esta não é uma Redação isolada. Ela pertence a um grupo formado por outras dezenas de redações que foram atribuídos 1000 pontos e possuíam erros gritantes gramaticais. Os lingüistas possuem uma visão sobre o ocorrido e os gramaticistas outra. Os lingüistas defendem a valorização da expressão, da língua e do falar. Já os gramaticistas têm uma versão de que a escrita deve se preconizar a valorização pela norma culta e pelas regras gramaticais que aprendemos desde nossa infância nas séries iniciais. Claro que estamos tratando de seleção pública que envolve milhões de estudantes, sendo eles de todas as classes sociais e econômicas, de diferentes saberes e formação escolar. Nada contra os lingüistas de plantão, mas, se formos focar a fala como referência de organização de uma Redação, trarar-se-á erros gritantes de escrita que são praticados quando falamos no dia a dia. Não estou defendendo aqui os gramaticistas e sim o que aprendemos durante 11 anos no banco escolar através da maneira correta de se escrever obedecendo às normas e regras da nossa língua portuguesa. Por se tratar de uma seleção pública concorridíssima o ENEM deve sim valorizar a norma culta da língua, sem desconsiderar a ideia central de que a argumentação e o desenvolvimento em uma prova de Redação são fatores essenciais para que o texto se complete entre coerência, coesão e a norma culta vigente. Se você, caro leitor, publicar seja um artigo, uma opinião ou um editorial em um jornal ou site e cometer erros semânticos e ortográficos será julgado pelos seus erros e não pelas suas ideias. Certo que sua opinião será debatida, mas seus desvios em relação à norma culta de escrita serão muito mais observados.

 Uma boa Redação deve ter em comunhão respeito às normas gramaticais e desenvolvimento coeso em relação ao tema central do texto exposto para a confecção da argumentação. A fala é um mecanismo tão importante como a escrita, porém quando estamos tratando de uma avaliação com banca formada por profissionais do universo das letras, creio que a norma culta, o respeito às regras e o entendimento claro e coeso do texto são fundamentais para se atingir o objetivo esperado. O INEP/MEC precisa urgentemente modificar sua estrutura de seleção dos componentes de banca de avaliação das Redações. É necessário aplicação em todos os Estados da Federação, através das Secretarias Estaduais de Educação, avaliação e entrevista para que se possa conhecer melhor e eficazmente o perfil daqueles que vão avaliar e julgar as milhares de provas de Redação que fazem parte do universo de seleção do Exame Nacional do Ensino Médio. Como observei anteriormente nem todos os professores graduados em Letras e profissionais desta graduação que se encontram aptos a correção de redações tem o perfil para tal. Aqui em Rondônia, estado que resido, o critério de seleção é duvidoso e apadrinhado, privilegiando pessoas ligadas à alta cúpula administrativa da Secretaria de Estado da Educação. Há profissionais das letras e da comunicação muito preparados e com grande conhecimento de escrita, fala e organização textual que não são aproveitados pelo INEP/MEC devido à falta de comunicação por parte dos organizadores do ENEM e principalmente da Secretaria Estadual de Educação.

A Redação é um instrumento importante na avaliação de conhecimentos de um estudante ou de qualquer pessoa que venha a se submeter à avaliação do ENEM. É importante que uma banca de avaliação criteriosa e de alto nível seja pensada pelo Ministério da Educação. Mais ainda é importante que o ENEM não caia na descrebilidade e, assim, as instituições de ensino superior de natureza pública deixem de utilizar este importante instrumento de avaliação nacional que, infelizmente está se tornando satírico e duvidoso aos olhos do Brasil.

Prof. Victoria Ângelo Bacon

e-mail: victoriabacon2004@hotmail.com

Mais Sobre Educação

Laerte Gomes se reúne com secretário de Educação e anuncia indicação do plano de segurança nas escolas públicas

Laerte Gomes se reúne com secretário de Educação e anuncia indicação do plano de segurança nas escolas públicas

Parlamentar informou que indicará ao Governo implantação de Plano Estratégico de Segurança nas escolas públicas do EstadoO presidente da Assembleia

Programa de Desenvolvimento Executivo proporciona dupla certificação FGV em tempo reduzido

Programa de Desenvolvimento Executivo proporciona dupla certificação FGV em tempo reduzido

Programa de Desenvolvimento Executivo (PDE)O Programa de Desenvolvimento Executivo (PDE) da Sapiens FGV está com turmas abertas para Manaus e Porto

Sapiens FGV recebe evento de fomento ao comércio exterior nos dias 09 e 10 de abril

Sapiens FGV recebe evento de fomento ao comércio exterior nos dias 09 e 10 de abril

O Grupo Sapiens é parceiro do Business Day Rondônia, encontro empresarial voltado para importação e exportação que acontece nos dias 9 e 10 de abril,

Mestrado Acadêmico em Psicologia - Divulgado edital do Processo Seletivo 2019 para ingresso discente

Mestrado Acadêmico em Psicologia - Divulgado edital do Processo Seletivo 2019 para ingresso discente

O Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) torna público o03/2019/Mapsi/Unir, relativo ao Processo