Porto Velho (RO) terça-feira, 30 de novembro de 2021
×
Gente de Opinião

Educação

Rondônia pela educação



A Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero) lançou na manhã de segunda-feira (23) o Movimento Rondônia pela Educação, que pretende promover ações para alavancar os índices de educação no Estado. A solenidade reuniu representantes dos setores econômicos, dos sindicatos patronais e de trabalhadores, dos setores educacionais, da sociedade civil e do poder público para apresentar uma proposta de trabalho que contemple não só a melhoria das estatísticas, mas que ofereça uma educação que faça sentido e prepare de forma mais abrangente os jovens para o mercado de trabalho que está cada vez mais competitivo.

Nesse primeiro momento, a Fiero e apoiadores iniciais irão buscar a adesão das empresas de Rondônia. Essa adesão não significa o comprometimento com alguma ação educacional especifica, mas uma sinalização de apoio ao Movimento Rondônia pela Educação. As ações serão aprovadas pelo Conselho de Governança da Fiero.

Zerar o analfabetismo entre os trabalhadores de Rondônia; integrar a escola, família e sociedade para melhorar a educação; implantar projeto de formação para gestores escolares; reduzir 80% da evasão escolar identificada no Estado; promover experiências que diminuam ou erradiquem a evasão escolar e promover 70% de escolaridade básica completa dos trabalhadores da indústria são as metas anunciadas.

O presidente da Fiero, Marcelo Thomé, ressaltou que o Movimento de Rondônia foi inspirado no programa executado com sucesso pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc). “A Indústria pela Educação é um movimento exitoso realizado pela Fiesc, cujos níveis de excelência nos motivaram a replicá-lo, para alavancar os indicares e alcançar uma melhoria da qualidade da educação ofertada em nosso estado”, disse.

Thomé destacou ainda que a meta é unir forças para dar salto qualitativo nos indicadores educacionais. “É um plano ambicioso, temos consciência disso, mas não impossível. Trata-se de um projeto para as gerações futuras. A educação é um dever do Estado e um direito inalienável das famílias, portanto deve ser realizada pelo Estado, através da escola, mas não podemos esquecer que é indispensável a participação da família e da sociedade neste processo. Por isso, é nossa obrigação enquanto empresários, enquanto homens públicos que somos lutar pela melhoria da educação, deixando um legado melhor para os que virão depois”, explicou.

Confúcio Moura, Governador de Rondônia, destacou que o movimento era o que faltava para engajar de forma efetiva a participação das empresas nas ações de âmbito educacional. “Precisamos da ajuda de todos para contribuir com o crescimento e melhoria da qualidade da educação. Rondônia sai na frente ao lado de Santa Catarina, com esta proposta inovadora e que tenho certeza que trará muitos benefícios a nossa população”, falou.

O presidente da Fiesc, Glauco José, pontuou que o programa de Santa Catarina, lançado em 2013, já alcançou relevantes resultados na melhoria dos indicadores educacionais do Estado. “Já estamos com diversas ações consolidadas. Hoje vivemos um processo de mudanças no campo profissional e a educação deve acompanhar estas alterações. De acordo com o relatório Future of Survey (2016), 30% dos empregos atuais não existiam há 10 anos e 65% das crianças de hoje vão se empregar em ocupações que não existem ainda. As novas formas de produção exigirão profissionais com características diferentes das atuais formações”, salientou Côrte.

“Nossa convicção é de que o futuro das crianças está acontecendo hoje. Como a sociedade está se preparando para isso? Hoje nós estudamos uma profissão a vida inteira. Amanhã, precisaremos estudar a vida inteira para ter uma profissão. Com esta perspectiva temos a obrigação de preparar nossas crianças para as mudanças que virão e a educação é o recurso para acompanhar este progresso”, concluiu o presidente da Fiesc.

Termo de Cooperação – Na ocasião, o presidente da Fiero, Marcelo Thomé e o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte assinaram um termo de cooperação técnica, onde a Fiesc se compromete a oferecer apoio junto a Fiero, na implantação do Movimento Rondônia pela Educação, com vistas a mobilizar, articular e influenciar o poder público e a iniciativa privada para melhorar a educação nos aspectos relacionados à escolaridade, qualificação profissional e qualidade do ensino, com foco nas demandas do mundo do trabalho.

Termo de Adesão – O Governador de Rondônia, Confúcio Moura assinou Termo de Adesão ao Movimento para sinalizar a disposição em apoiar as ações educacionais, corroborando para a melhoria do nível educacional, o aprimoramento profissional e a qualidade da educação.

Fonte: Ascom

 

Mais Sobre Educação

Alunos da rede municipal em Porto Velho são atendidos pelo Programa Saúde

Alunos da rede municipal em Porto Velho são atendidos pelo Programa Saúde

Buscando garantir o desempenho dos estudantes dentro da sala de aula, a Prefeitura de Porto Velho desenvolve um programa para a reparação da visão a a

Campus Porto Velho Calama abre seleção para Pós-Graduação Lato-Sensu em ensino de Ciências e Matemática

Campus Porto Velho Calama abre seleção para Pós-Graduação Lato-Sensu em ensino de Ciências e Matemática

Por meio do Departamento de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (Depesp), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia-IFRO, Cam

IFRO publica edital para abertura do Concurso Público para preenchimento de 41 vagas na instituição

IFRO publica edital para abertura do Concurso Público para preenchimento de 41 vagas na instituição

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) divulgou nesta quarta-feira, 24/11/2021, na Seção 3 do Diário Oficial da Un

Hildon Chaves anuncia bonificação de fim de ano aos professores durante Congresso Municipal de Educação

Hildon Chaves anuncia bonificação de fim de ano aos professores durante Congresso Municipal de Educação

O V Congresso Municipal de Educação iniciou, nesta quarta-feira (24), em Porto Velho. O evento reúne mais de 5 mil professores e diretores escolares p