Porto Velho (RO) sábado, 23 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Educação

Reivindicações de grevistas da Unir dependem do Governo Federal


As principais reivindicações dos professores e alunos da Universidade Federal de Rondônia que estão em greve desde a semana passada, por melhorias na instituição de ensino superior, só serão totalmente atendidas depois que o Congresso Nacional aprovar o projeto de lei que autoriza a ampliação de vagas para a contração de docentes e técnicos para universidades federais.

Segundo o reitor Januário Amaral em 2009, foi aprovado o projeto de consolidação da Unir apresentado ao Ministério da Educação para contemplar a contratação de professores e técnicos não previstos no REUNI ( Reestruturação, Consolidação e Expansão das Instituições Federais de Ensino Superior).

Diante de outros pleitos dos grevistas no que tange ao funcionamento da Universidade Januário admitiu que o recurso orçamentário da instituição não é suficiente para atender toda a demanda, mas ressalvou que mesmo com essa dificuldade conseguiu durante a sua gestão buscar o funcionamento eficaz.

“A constatação de que estamos investindo na melhoria da Unir é o apoio da comunidade acadêmica, tendo em vista que nenhum campus aderiu totalmente ao movimento grevista e a maioria não aderiu”, destacou Januário.

Embora alguns problemas apontados pelo comando de greve não dependam do reitor para ser solucionados em curto prazo já que o mesmo tem que buscar junto ao MEC e ao Ministério do Planejamento autorização, Januário Amaral está fazendo gestão junto a esses órgãos da esfera federal para priorizar Rondônia, tendo em vista o movimento grevista por problemas, cuja resolução não depende apenas da universidade.

Na próxima sexta – feira, 23, o reitor da Unir Januário Amaral manterá uma audiência em Brasília com o secretário de Educação do Ensino Superior do SESU/ MEC, Luiz Cláudio Costa e a diretora de Desenvolvimento das Instituições Federais de Ensino Superior – DIFES / MEC Adriana Rigon Weska com o objetivo de apresentar a pauta de reivindicações da Unir.

Foi para apresentar essa situação aos grevistas que a Reitoria da Unir convocou duas reuniões, inclusive com a presença de representante do Ministério Público Federal. Como o comando de greve não compareceu aos eventos, o reitor da Unir Januário Amaral está utilizando os meios de comunicação para conclamar alunos e professores para uma negociação.

Fonte: João Albuquerque


 

Mais Sobre Educação

6ª Olimpíada de Língua Portuguesa é lançada e recebe inscrições

6ª Olimpíada de Língua Portuguesa é lançada e recebe inscrições

Uma cerimônia com homenagens e muita emoção marcou o lançamento na última quarta-feira (20) da 6ª Olimpíada de Língua Portuguesa, no Auditório Guajuvi

Acadêmicos do curso de Biomedicina realizam triagens no projeto "Posso escolher"

Acadêmicos do curso de Biomedicina realizam triagens no projeto "Posso escolher"

Nesta quarta-feira (21), acadêmicos do curso de Biomedicina da FIMCA participaram do projeto "Posso escolher", realizado pela Prefeitura de Porto Velh

ONU declara, 2019 será  o Ano Internacional das Línguas Indígenas

ONU declara, 2019 será o Ano Internacional das Línguas Indígenas

Iniciativas apoiadas pela Fundação Banco do Brasil reforçam a relevância dos povos na história, cultura e preservação do meio ambienteA ONU (Organizaç

“Nossas experiências irão nos alavancar por este novo mundo”, afirma formanda durante segunda noite de colação de grau da FIMCA

“Nossas experiências irão nos alavancar por este novo mundo”, afirma formanda durante segunda noite de colação de grau da FIMCA

Aconteceu na última sexta-feira (15) o segundo e último dia de colação de grau da Faculdade FIMCA, realizado na Vila Olímpica do campus. O momento foi