Porto Velho (RO) quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Educação

Projeto de rádio e TV em escola melhora comunicação



Lembra de quando o supervisor da escola, ou outro profissional, informava sobre alguma atividade indo de sala em sala? Na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Orlando Freire, em Porto Velho, essa prática ficou no passado após a criação doProjeto de rádio e TV em escola melhora comunicação - Gente de Opiniãodantes, realiza entrevistas e leva aos alunos notícias de dentro e fora da unidade escolar através das caixas de som montadas no pátio da instituição.

Com uma caixa de som, um microfone, um aparelho de som e dois alunos, os professores de informática e coordenadores da Rádio Falante, Reinaldo Ramos e Alcemir Arruda lembram que foi dessa maneira simples que começou o projeto há quatro anos.

Desde o início, a intenção da rádio era ser uma alternativa para diminuir o índice de violência das redondezas da escola e tornar um facilitador da comunicação – tanto entre funcionários com alunos, quanto entre os próprios estudantes. E foi assim que surgiu o nome da atividade.

Ramos explica que a Rádio funciona dentro de uma sala, onde ficam os locutores, apresentadores e o operador de áudio; todos são alunos. O programa vai ao ar duas vezes no dia, uma antes das aulas, por volta das 7h15, e a outra no intervalo, às 9h45.

Com duração de 15 minutos, a rádio começa com um momento cívico, tocando os hinos nacional e do Estado. No intervalo o clima é mais descontraído, quando são tocadas músicas variadas, realizado um quiz educativo com sorteio de pipoca ou sorvete e, de uma a duas vezes na semana, pessoas ligadas à informação, arte, cultura, esporte, entre outros, são entrevistadas pelos estudantes.

Alcemir conta que a necessidade de manter as crianças e jovens informados é alta e o formato do projeto ajuda nisso. “No intervalo, separamos algumas notícias que estão acontecendo aqui no Estado e no Brasil e informamos. Em forma de dinâmica, realizamos um quiz, o que acaba estimulando a pesquisa nos alunos. Inconscientemente, eles acabam adquirindo conhecimento de uma forma leve e saudável”, explica um dos coordenadores.

Sendo transmitida apenas pelas caixas de som no pátio, a Rádio Falante começou a despertar a curiosidade dos alunos em saber como era feito dentro da sala e quem estava sendo entrevistado. “Os estudantes forçavam a porta da rádio para ver o que estava acontecendo dentro da sala”, lembra Reinaldo.

Para solucionar este problema, em 2013, criou-se a TV Paredão, onde os coordenadores adquiriram uma câmera gravadora e a escola disponibilizou uma televisão para colocar no pátio e transmitir ao vivo as atividades que aconteciam dentro da sala. Hoje, a Rádio Falante e a TV Paredão contam com oito alunos colaboradores, quatro microfones, uma mesa de áudio, computador e uma câmera. Neste ano, a ideia dos coordenadores é estender o projeto para o período da tarde.

Alunos a frente do projeto

De acordo com Alcemir, mais de 20 alunos já participaram da construção da Rádio Falante desde a criação em 2010. Hoje, a equipe é formada pelas alunas do 9º ano do Ensino Fundamental Andreia Thais e Vanessa Gomes, como locutoras e apresentadoras, e o aluno do 8º ano Nelson Francisco na operação do áudio.

Andreia e Vanessa são irmãs e contam que tentaram a chance de serem apresentadoras no ano passado, mas sem sucesso. Neste ano tentaram mais uma vez e agora fazem parte do grupo. Andreia diz que quis entrar para a Rádio por achar divertido e legal. “Ainda estou um pouco nervosa, mas é normal. Quero continuar”, afirma. 

Já Vanessa conta que a vontade de participar veio depois que a mãe lembrava que ela entrevistava as bonecas. “Eu me perguntava ‘por que não participar?’. Fui lá e tentei”.

O caso de Nelson é de superação. O jovem diz que sempre foi muito tímido e não conversava muito com amigos e professores. Depois que entrou para Rádio Falante, Nelson mudou. “Ele era muito quieto, quase nunca conseguia ouvir a voz dele. Hoje ele fala e se relaciona bem com o pessoal. Até mesmo nas apresentações de trabalhos ele se sai bem”, revela a supervisora da escola Naftali Sena. O aluno confirma a mudança e que, enquanto estiver na Orlando Freire, vai querer continuar no projeto.

Prêmios

A Rádio Falante acumula seis prêmios educacionais e neste ano, a TV Paredão recebeu o 3º lugar no ‘Construindo a Nação’. Além disto, a Rádio Falante já foi tema de oficinas em outros municípios, o que levou a ideia do projeto para demais escolas do Estado. “A gente não queria só uma rádio na escola que tocasse música e desse recadinhos. Inovamos e acho que foi por isso que a rádio obteve tanto sucesso”, conclui Reinaldo.

Texto: Halex Frederic
Fotos: Quintela

 

Mais Sobre Educação

“Nossas experiências irão nos alavancar por este novo mundo”, afirma formanda durante segunda noite de colação de grau da FIMCA

“Nossas experiências irão nos alavancar por este novo mundo”, afirma formanda durante segunda noite de colação de grau da FIMCA

Aconteceu na última sexta-feira (15) o segundo e último dia de colação de grau da Faculdade FIMCA, realizado na Vila Olímpica do campus. O momento foi

Campus Vilhena do IFRO oferta cursos gratuitos nas áreas  de espanhol, francês e italiano

Campus Vilhena do IFRO oferta cursos gratuitos nas áreas de espanhol, francês e italiano

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Vilhena, abre inscrições para os cursos de Formação Inicial e Conti

Senai oferece cursos gratuitos de  aprendizagem industrial na Capital

Senai oferece cursos gratuitos de aprendizagem industrial na Capital

Inscrições em cursos de aprendizagem industrial básica estão abertas e 70 vagas estão disponíveisEstudantes com idade mínima de 14 anos e cursando a p

Primeira noite de colação de grau da FIMCA é marcada por agradecimentos

Primeira noite de colação de grau da FIMCA é marcada por agradecimentos

Na última quinta-feira (14) a FIMCA teve a honra de realizar a colação de grau dos formandos dos cursos de Administração Agronomia, Biomedicina, CIênc