Porto Velho (RO) quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Educação

Prefeitura capacita educadores da EJA


A partir de 2012, os cerca de 4 mil estudantes matriculados no Programa de Educação para Jovens e Adultos (EJA) da prefeitura vão passar a receber também a chamada educação profissionalizante. Serão cursos oferecidos pela secretaria municipal de Educação (Semed), que buscam preparar os alunos para o mercado de trabalho, capacitando os estudantes para alguma profissão. Trata-se do projeto Reintegrar, que vem obtendo resultados considerados excelentes em Jacy Paraná, onde o sistema foi implantado em duas escolas em agosto. “A evasão escolar caiu em 40% com essa mudança, mostrando que os estudantes querem que a escola os prepare para o mercado de trabalho”, salientou a professora Adriana Oliveira, que coordena o Projeto Reintegrar na Semed.

Nos dias 28 e 29 de novembro, segunda e terça-feira, os cerca de 200 educadores que trabalham com turmas do EJA na área urbana da Capital vão participam de um seminário para debater o papel de cada docente nessa nova proposta pedagógica, e quais referências serão necessárias no cenário que envolve a formação escolar e profissional dos estudantes. Segundo Adriana, também vão estar sendo debatidos os conteúdos dos livros didáticos utilizados na EJA e métodos específicos de ensino para pessoas adultas.

Entre os palestrantes convidados, estão confirmadas as presenças da psicopedagoga Inácia Damasceno, mestre em Educação da Unir, e também da doutora em lingüística Maria do Socorro Loura.

Em Jacy Paraná, a educação profissionalizante passou a ser incluída no conteúdo da EJA a partir de agosto deste ano, nas escolas Cora Coralina e Joaquim Vicente Rondon. Na área urbana de Porto Velho, o programa vai iniciar com um projeto piloto em apenas três escolas: Olavo Pires, Antônio Augusto Rabelo e escola Padrão Francisco Erse. Num primeiro momento, estão confirmados os cursos de cabeleireiro, manicure, eletricista e montagem e manutenção de computadores. Os estudantes terão em aula o conteúdo da educação básica de segunda a quarta-feira. Na quinta e sexta-feira ocorrem as aulas do ensino profissional. Após o projeto piloto, a intenção é estender o projeto para todas as 39 escolas que trabalham com o EJA em Porto Velho.

Segundo Adriana, em Jacy, o programa foi implantado numa parceria da prefeitura com o Governo Federal e com a empresa Energia Sustentável. Na área urbana, o projeto será implantado com recursos próprios da Prefeitura. Para a secretária municipal de Educação, Fátima Ferreira, o projeto de aliar a educação básica à profissionalizante é um sonho antigo, uma estratégia para combater a evasão, que nas turmas do EJA na Capital já atinge cerca de 50%. “Queremos ajudar os jovens que, além de concluírem o ensino fundamental, também tenham acesso rápido e facilitado nesse tão competitivo mercado de trabalho”, disse.

Fonte: Róbinson Gambôa

Mais Sobre Educação

ONU declara, 2019 será  o Ano Internacional das Línguas Indígenas

ONU declara, 2019 será o Ano Internacional das Línguas Indígenas

Iniciativas apoiadas pela Fundação Banco do Brasil reforçam a relevância dos povos na história, cultura e preservação do meio ambienteA ONU (Organizaç

“Nossas experiências irão nos alavancar por este novo mundo”, afirma formanda durante segunda noite de colação de grau da FIMCA

“Nossas experiências irão nos alavancar por este novo mundo”, afirma formanda durante segunda noite de colação de grau da FIMCA

Aconteceu na última sexta-feira (15) o segundo e último dia de colação de grau da Faculdade FIMCA, realizado na Vila Olímpica do campus. O momento foi

Campus Vilhena do IFRO oferta cursos gratuitos nas áreas  de espanhol, francês e italiano

Campus Vilhena do IFRO oferta cursos gratuitos nas áreas de espanhol, francês e italiano

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Vilhena, abre inscrições para os cursos de Formação Inicial e Conti

Senai oferece cursos gratuitos de  aprendizagem industrial na Capital

Senai oferece cursos gratuitos de aprendizagem industrial na Capital

Inscrições em cursos de aprendizagem industrial básica estão abertas e 70 vagas estão disponíveisEstudantes com idade mínima de 14 anos e cursando a p