Porto Velho (RO) segunda-feira, 29 de novembro de 2021
×
Gente de Opinião

Educação

MPF recomenda que faculdade forneça intérprete de Libras para alunos com deficiência auditiva


Para garantir a aplicação das leis de acessibilidade à educação, o Ministério Público Federal em Rondônia (MPF/RO) emitiu uma recomendação à União das Escolas Superiores de Rondônia (Uniron). Pela recomendação, a faculdade particular deve disponibilizar intérprete de Língua Brasileira dos Sinais (Libras) e equipamentos de tecnologia assistiva para atender necessidade educacional específica de alunos com deficiência, sem custos adicionais para os estudantes.

Um aluno com deficiência auditiva solicitou à Uniron um intérprete de Libras, mas a faculdade informou ao estudante que ele deveria arcar com os custos adicionais deste serviço. A mãe do estudante apresentou o caso ao MPF/RO, que abriu um inquérito civil público para apurar os fatos. Nas informações prestadas ao MPF/RO, a faculdade alegou que não era obrigada a fornecer o intérprete de Libras e não poderia atender a solicitação do aluno.

Para o MPF/RO, “a conduta da Uniron inviabiliza, de modo injustificável e discriminatório, o exercício de um direito fundamental (a educação), ao impor que estudantes com deficiência custeiem as medidas aptas a lhes garantir a igualdade de acesso e permanência no ensino superior”.

Segundo o procurador da República Ercias Rodrigues, os serviços de educação podem ser prestados pelo setor privado, entretanto, as instituições de ensino devem observar as normas gerais de educação. No Decreto Federal nº 5296/2004 consta que a empresa prestadora de educação superior deverá proporcionar serviços de atendimento para pessoas com deficiência auditiva, disponibilizando intérpretes ou pessoas capacitadas em Libras.

Também na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada pelo Congresso Nacional, considera-se “discriminação por motivo de deficiência” a recusa de adaptação razoável. Além disto, o Ministério da Educação estabelece que os serviços e recursos de acessibilidade deverão ser solicitados pelos alunos e fornecidos pela instituição de ensino superior (nota técnica nº 566/2010).

A faculdade tem dez dias para responder se cumprirá a recomendação. Em caso de descumprimento, o MPF/RO pode adotar medidas administrativas ou judiciais para que sejam cumpridas as leis de acessibilidade.

Fonte: MPF/RO (www.prro.mpf.gov.br)
 

Mais Sobre Educação

Campus Porto Velho Calama abre seleção para Pós-Graduação Lato-Sensu em ensino de Ciências e Matemática

Campus Porto Velho Calama abre seleção para Pós-Graduação Lato-Sensu em ensino de Ciências e Matemática

Por meio do Departamento de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (Depesp), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia-IFRO, Cam

IFRO publica edital para abertura do Concurso Público para preenchimento de 41 vagas na instituição

IFRO publica edital para abertura do Concurso Público para preenchimento de 41 vagas na instituição

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) divulgou nesta quarta-feira, 24/11/2021, na Seção 3 do Diário Oficial da Un

Hildon Chaves anuncia bonificação de fim de ano aos professores durante Congresso Municipal de Educação

Hildon Chaves anuncia bonificação de fim de ano aos professores durante Congresso Municipal de Educação

O V Congresso Municipal de Educação iniciou, nesta quarta-feira (24), em Porto Velho. O evento reúne mais de 5 mil professores e diretores escolares p

Pais e responsáveis sem acesso à internet podem participar da chamada escolar de forma presencial em Porto Velho

Pais e responsáveis sem acesso à internet podem participar da chamada escolar de forma presencial em Porto Velho

Pais e responsáveis sem acesso à internet, ou com dificuldades de manuseio de aparelho eletrônico, podem buscar, até a próxima sexta-feira (26), um do