Porto Velho (RO) sábado, 27 de novembro de 2021
×
Gente de Opinião

Educação

Alunos de Rondônia retornam e contam a experiência de intercâmbio nos Estados Unidos


Gente de Opinião

Alunos e professor da Escola Estadual Anísio Teixeira que participaram do intercâmbio

Cinco alunos e um professor tutor viajaram aos Estados Unidos, em Denver, Colorado, para um intercâmbio de línguas. Eles viajaram em fevereiro e retornaram no início de março.

Todos os alunos participantes deste ano do Conexão Mundo – programa da Confederação Nacional da Indústria, CNI, em parceria com o Serviço Social da Indústria, Sesi e do Governo do Estado de Rondônia – são da escola estadual Anísio Teixeira, localizada na rua Paulo Leal, no Centro de Porto Velho.

Este ano Ana Isabel, Natanael, Ana Karoline, Sandra Raquel e Ana Paula viajaram acompanhadas do professor Djair de Souza Silva e permaneceram 15 dias nos EUA participando de visitas a faculdades, universidades, museus, laboratórios e escolas, “visando melhorar e enriquecer a vivência dos intercambistas”.

O programa prevê a inserção dos alunos em famílias adotivas, que acolhem os adolescentes, onde lá, eles são inseridos na cultura local, “aprendendo a se virar. Até a comida tínhamos de preparar se os pais não estivessem em casa”, disse a entusiasmada Ana Paula, de apenas 14 anos, que complementa: “a primeira coisa que os pais fizeram foi mostrar onde ficava tudo para que eu me sentisse à vontade”.

Todos foram unânimes em afirmar o estranhamento com a alimentação local, composta de muitos lanches, sanduíches. “Senti falta do feijão com arroz e bife, tanto que preparei para a família que adorou”, disse Ana Karoline. Natanael disse que levou goma de tapioca e preparou para a família que adorou a iguaria regional amazônica.

Ana Paula ressalta a organização de tudo nos Estados Unidos, começando pelos ônibus. “Se está marcado para ele passar às 7h30 ele passa no horário. Aqui tem horário mas sempre atrasa”.

Gente de Opinião

Alunos da Anísio Teixeira relatam a experiência do intercâmbio

O PROJETO

Os alunos que participam do intercâmbio são selecionados (em torno de 50) e passam por seleções e capacitações que vão peneirando até chegar ao número estipulado pelos parceiros, conforme a disponibilidade financeira.

Os alunos passam por seleções via conversação no hangout, atividades no Facebook e duas vezes por semana, conversação com monitores americanos que vão avaliando o desempenho e evolução do aprendizado.

O hábito da prática do inglês diário fez com que os alunos hoje busquem notícias em sites americanos, ler histórias em quadrinhos, livros e a assistir filmes legendados para ouvir mais e a praticar a pronúncia de novas falas.

Os intercambistas são unânimes em afirmar que o projeto é inovador e realizador de sonhos, sendo um estímulo para o aprendizado de línguas, é “um iniciador, um empurrão. O resto é com a gente”, disse Ana Isabel.

A VIAGEM

“Passamos muito frio”, disse Natanael, “pegamos temperatura de até -20ºC”. Mas o programa forneceu roupas de frio para todos “e minha família me emprestou roupas para passear na neve”, disse Ana Paula.

Gente de Opinião

Intercambistas seguram a nota de US$ 1,00

Para o deslocamento e o custeio de despesas extras, cada aluno recebeu o equivalente a U$ 1,5 mil (mil e quinhentos dólares), pagos ou pelo governo (três bolsas) ou pelo Sesi (duas). A Escola Estadual Anísio Teixeira foi adotada pelo projeto por trabalhar o ensino integral voltado ao estudo de línguas. Quem organiza toda a viagem é uma ONG contratada pela CNI para este serviço. “A US-Brazil Connect é a responsável por todo o aparato do intercâmbio”, disse Djair.

Em Denver, onde ficaram os alunos de Rondônia, também estavam alunos do Mato Grosso do Sul, Paraná e Maranhão. Os professores que viajam com os estudantes, ficam em hotéis e acompanham todas as atividades dos alunos.

Segundo o professor Djair, durante a semana os adolescentes ficam com as famílias, visitam faculdades, universidades e museus. Nas universidades há monitores que explicam o processo de intercâmbio, sanando todas as dúvidas “caso algum dos alunos queiram retornar para estudar”.

Durante a semana eles estão inseridos nesta rotina familiar, e nos fins de semana, voltados aos passeios com as famílias. Ana Isabel conta que foram esquiar na neve e houve uma nevasca. Na volta ela dormiu no carro e acordou com o carro atolado na neve. “Fomos socorridos por um caminhão da polícia”.
 


Fonte
Texto: Geovani Berno
Fotos: Ésio Mendes
Decom - Governo de Rondônia

Mais Sobre Educação

IFRO publica edital para abertura do Concurso Público para preenchimento de 41 vagas na instituição

IFRO publica edital para abertura do Concurso Público para preenchimento de 41 vagas na instituição

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) divulgou nesta quarta-feira, 24/11/2021, na Seção 3 do Diário Oficial da Un

Hildon Chaves anuncia bonificação de fim de ano aos professores durante Congresso Municipal de Educação

Hildon Chaves anuncia bonificação de fim de ano aos professores durante Congresso Municipal de Educação

O V Congresso Municipal de Educação iniciou, nesta quarta-feira (24), em Porto Velho. O evento reúne mais de 5 mil professores e diretores escolares p

Pais e responsáveis sem acesso à internet podem participar da chamada escolar de forma presencial em Porto Velho

Pais e responsáveis sem acesso à internet podem participar da chamada escolar de forma presencial em Porto Velho

Pais e responsáveis sem acesso à internet, ou com dificuldades de manuseio de aparelho eletrônico, podem buscar, até a próxima sexta-feira (26), um do

Vencedores do prêmio Boas Práticas são anunciados durante Congresso Municipal de Educação em Porto Velho

Vencedores do prêmio Boas Práticas são anunciados durante Congresso Municipal de Educação em Porto Velho

Os dez vencedores da 3ª edição do prêmio Boas Práticas foram reconhecidos nesta quarta-feira (24). A premiação aconteceu durante a solenidade de abe